quarta-feira, janeiro 02, 2019

Sobre Somente De Mim Vem O Fogo

The Mistery Of Ourselves - Cameron Gray

Inomináveis Saudações a todos vós, Batedores De Asas!

Aos 03 de Agosto de 2018, As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo foi concluído. Sem alarde, porque escândalos não são necessários na Inominabilidade. Sem alegria, porque a Inominabilidade não é festa humanamente constituída. Sem estampidos ou vaidade ou orgulho da parte deste Inominável Ser que vos fala, a Inominabilidade não se consagra ao pequeno mundo das humanas excrescências. Através do Inominável Ser Que Eu Sou, O Fogo Aqui Falou. Falou na forma de noventa e nove Cantos do dia 30 de Julho de 2010 até a data citada no início deste texto. Oito anos de escrita de uma obra a se desdobrar no que O Fogo me Revelou. Oito anos de versos em chamas a estarem batizados pelo Fogo, que aqui Expressou-Se. Oito anos de uma poesia que não é minha, mas do Fogo, que me Inspirou, Respirou e Aspirou.


Me tornei Chama e fui mediador entre O Fogo e o Mundo Material. Não sou o único Inspirado Pelo Fogo nesta Criação, pelo Kosmos outros poetas, artistas, profetas, oradores e os mais desconhecidos Caminhantes Do Fogo são pelo Mesmo conduzidos no Sagrado Ato Criador. Deixo para este mundo a obra que neste blog foi escrita, orientado por Asin Du An No In, a Entidade Caída que está mais próxima do Reino Divino do que muitos que se dizem “Escolhidos por Deus”. Que Deus? Qual Deus? Não é o Deus que, Internamente, é o que de Divino cada um de nós porta. Não é o Verdadeiro Deus que em nossos corações aguarda que O Convoquemos Das Trevas De Nossa Espiritual Cegueira. Não é o Deus Que Nós Somos quando extinguimos tal Cegueira e conseguimos visualizar O Fogo A Girar Nos Firmamentos De Nossas Almas. O “Deus” daqueles que mentem, roubam e enganam multidões de fiéis; que acumulam bilhões em contas bancárias corrompendo o Verbo Revelador do Trono Da Fé; que erguem templos materiais que se pretendem alcançar as estaturas dos Templos Divinos Imateriais; que discriminam, julgam e destilam ódio contra tudo aquilo que seus supostos “Livros Sagrados” dizem; esse “Deus” tão humano, limitado, medíocre e absurdo, não é O Fogo.


De cada um deles que corrompe O Verbo, O Fogo já cuidou. O Fogo, como dito em um dos Cantos desta obra, pode ser chamado também de Deus, Este sendo o da Visão Interna descrita no parágrafo anterior. Esclareço acima de tudo que Somente De Mim Vem O Fogo não é um “Livro Sagrado” que se pretende ser iniciador de alguma seita, religião ou qualquer outra humana ruptura para com a sanidade mental, espiritual e existencial desta Humanidade já tão abarrotada de horrendos hospícios que são caricaturas escandalosas da Verdadeira Espiritualidade. Este livro é, apenas, O Fogo. Este livro é, unicamente, O Ser Do Fogo. Este livro é, simples e humildemente, O Fogo Que Infinitamente Arde Nas Altas Vestimentas Reveladas Pela Inominabilidade. Através de meu Ser, Deixei O Fogo Falar. Através de meu Ser, Deixei O Fogo Agir. Através de meu Ser, Deixei O Fogo Abrir As Portas Do Meu Coração Para Que Este Possa Incendiar Outros Corações Neste Terrestre Campo Existencial.


Esta foi A Visão Inominável do Fogo que a mim chegou. Não foi a primeira. Não é a única. Não é a última.


Ouçam O Fogo nela.


O Fogo Te Ouve


Abracem O Fogo nela.


O Fogo Te Abraça


Sejam O Fogo nela.


O Fogo Que Um Dia Vós Sereis


Saudações Inomináveis a todos vós, Batedores De Asas!