quinta-feira, junho 07, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCV


Dolarice - Cameron Gray


Apresente-Se Ao Firmamento
Onde Giram As Minhas
Múltiplas Fátuas Faces
Operando O Enxame
Das Transcendentes Operações
Do Véu Da Eternidade.
Opero Em Fogo
No Interior Da Tua Alma,
Sou O Grande Instrumento
Do Jardim Das Chamas
Que Sempre Dançarão
Pelos Altos Atos
De Toda A Minha Criação.
E Continuo Criando
E Continuarei A Criar
E Criarei A Mais
Navegando Entre As Ondas
Do Grande Mar De Fogo
Que Eu Infinitamente
Sou.
Despejo Nos Que Entram
Em Cada Uma
De Minhas Ondas
A Infinita Latitude
De Elementos Moldadores
De Existenciais Longitudes
Sublimes
E Altíssimas.
Toco Em Teu Mar Interior,
Agito As Tuas
Ondas Interiores
Quando Desço Como
A Cósmica Manhã
Incinerando Todas
guAs Cósmicas Vidas.
E Desço Ainda Mais Fundo,
Desço Ainda Mais
Ao Profundo,
Desço Aos Subterrâneos
Do Teu Verdadeiro Ser
Se Tu És Um Ser
Que Ousa Descer Nadando
Até Os Meus Subterrâneos.
E Desço Além
Dos Teus Subterrâneos
Quando Tu Ousas
Ultrapassar O Teu Ousar
E Descer Além
Dos Meus Subterrâneos.
E Ascendo Junto Contigo
Se A Vontade Da Tua
Verdadeira Ascensão
Estiver Acesa Junto Com
A Nossa Magna Comunhão
Dentro Dos Batimentos
Do Meu Cósmico Coração.
E Me Torno O Teu Coração
Se Tu Te Tornas
O Meu Coração
Batendo Infinitas Vezes
Nas Marés Das Chamas
De Minha Criação.




Nenhum comentário: