quarta-feira, maio 30, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCIV


The Body And The Self - Cameron Gray


Sigo Transformando,
Sigo Moldando,
Sigo Transbordando,
Eu Sou Expansão
E Cada Fruto Manifesto
Pela Minha Infinita
Moldura Criadora
É O Fato Que Concretiza
O Meu Interior
No Exterior.
Eu Habito No Habitado
Momento Que Aquece
Os Corações Dos Universos,
No Fogo Que Eu Sou
Os Campeões Da
Verdadeira Vida
Dançam Revelados Como
Os Autores De Novos
Mundos Habitados.
Mundos Que Eu
Transformo Com
O Sopro Do Fogo
Que Se Expande.
Mundos Que Eu
Modo Como
Fatores Das Chamas
Que Me Constituem.
Mundos Nos Quais
Eu Transbordo Como
Incessante Fogueira
A Expandir-Se.
Tudo Que É Efêmero
Também
Para Mostrar Aos Que
Podem Saber Quem
Eu Na Verdade Sou
Que Apenas Em Mim
Há A Maestria Que Abre
Cada Grande Portão
Da Verdadeira Imortalidade.
E Eu Estou Além
Da Imortalidade,
Sou Inalcançável Pelos
Mortais Colhidos Em
Ermos Pastor Selvagens
E Me Aproximo Apenas
Daqueles Aos Quais
Revelo O Círculo
Que Nunca Deixará
De Rodopiar
E Se Expandir.
Sou Aquilo Que Vai
Sempre Nascendo
E Aquele Que É
O Nascimento Do Nascer.
A Transformação,
A Moldura,
O Transbordamento:
Isto Tudo Eu Sou
Na Linguagem Humana.
Em Minha Linguagem,
Nenhuma Linguagem Humana
Conseguirá Habitar.




domingo, maio 06, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCIII


Butterfly And The Dreamer - Cameron Gray


Retire-Se Do Quadro
Bruto E Insensato
Daqueles Que Caem
Apagando Todas As
Altas Chamas Do Ser
Em Largas Portas
De Fel E De Barro.
Atire-Se Vivo,
Verdadeiramente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Ao
Fogo Que Eu Sou.
Atire-Se Vivo,
Magnificamente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Às
Chamas Que Fazem
De Mim
O Que Eu Sou.
Atire-Se Vivo,
Infinitamente
Mais Do Que Vivo,
Em Direção Ao
Abismo De Fogo
Onde Eu Sou
Todo Centro Originador
Da Vida Entre
Todos Os Mortais
E Imortais.
Atire-Se Em Mim,
Buscador Do
Fogo Que Eu Sou,
Sendo Um Amanhã
Que Busca Ser
O Novo Amanhã
Para Toda Fogueira
Na Criação.
Atire-Se Em Mim
Como Infindos
Buscadores Que
Me Encontraram
Incinerados
E Despertos Como
Incêndios Próprios
Para Todos Aqueles
Que Se Inspiram
A Buscar-Me
Atiraram-Se.
Atire-Se Em Mim,
Atire-Se Como
Eu Me Atiro
Em Teu Ser
Elevando-Te Aos Picos
Da Imanifestada
Montanha De Eternas
Chamas Que Giram
Em Meu Interior.
Atire-Se Agora.
Atire-Se Nu.
Atire-Se Desperto.
Atire-Se Fitando
Os Meus Olhos
Enquanto Cai.




quinta-feira, maio 03, 2018

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XCII


Blue Valentine Dreams - Cameron Gray


Seus Medos Precisam
Ser Calados Na Fogueira
Que Acendo Alta
Nos Cósmicos Sendeiros
Do Interior Firmamento.
Medos São Templos
Que Destroçam O Ser
Em Sua Razão
De Pleno Evoluir.
Medos São Tempos
Que Param O Ser
Dentro Das Horas
Do Relógio Da Eternidade
A Bater.
Medos São Terrenos
Cujas Terras
Submetem O Ser
Ao Desabrigo Do Seu
Próprio Existir.
Medos São Termos
Cujas Linhas
Se Inscrevem Entre
Todo Abismo Que
Aborta O Ser.
Sejas Acima
Do Medo
E Se Incendeie
Na Coragem Que
Tua Alma Possui.
Tua Alma Deve Ser
Somente Incendiada,
Incendiada Nas
Sementes De Tuas
Manhaa Liberta
Das Prisões Longe
Do Meu Livre Fogo
A Ser Sempre
Absolutamente
Libertador.
Tua Alma Valente
Na Guerra Pelo
Ascender Até O Meu
Incendiário Ser.
Tua Alma
No Incêndio
Que Proponho A Ti
Ser Como Eu Sou
No Interior Dos
Internos Firmamentos.
Meu Interior,
Meu Firmamento,
Ondas De Calor
Que São Verões
De Eterno Vigor
Para Os Que Estão
No Sol A Crear
Que Eu Sou.
Cale Teu
Menor Eu.
Grite No Teu
Maior Eu.