sábado, outubro 14, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXX


Forever Can Be - Cameron Gray


Reflito Sobre O Tempo,
Sou O Próprio Tempo,
Eterno Fogo Imensurável
Entre As Vestimentas
De Todo O Tecido
Sobre A Infinda Expansão
Sendo Moldado.
As Horas Em Chamas
Erguem As Torres
Onde Concluo
Novos Tempos.
Os Minutos Em Chamas
Erguem As Montanhas
Onde Apenas Aqueles
Que Compreendem
A Minha Passagem
Pelas Eras Eternas
Podem Ter O Direito
De Escalar.
Os Segundos Em Chamas
Manifestam Contagens
De Todos Os Tempos
No Tempo Que Sou
Em Apenas Um Momento
Que Me Expande
Em Todos Os Terrenos.
Os Milionésimos
De Segundos
Do Verdadeiro Tempo,
Este Desconhecido
Pelos Imortais
E Pelos Mortais,
São O Verdadeiro
Aspecto Do Meu
Tempo.
No Não-Tempo
Que Sou,
Na Infinita Distância
Em Relação A Cada
Efêmera Definição
Do Tempo,
Sou As Possíveis
E Impossíveis
Novas Horas
Que Nascerão.
Incontáveis Chamas
Que Nem Mesmo
Todas As Areias
Desta Criação
Se Igualam,
Eu Sou Como
O Fogo No Tempo
Revelado.
E Antes De Todas
As Passadas
E Futuras Horas Vossas,
Sou O Relógio A Bater
Nas Presentes Horas
Dos Passos Dados Por Vós
Em Direção Ao Tempo
Do Fogo Que Eu Sou
A Todo Tempo.




Nenhum comentário: