quarta-feira, maio 31, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXIV



The Projection - Cameron Gray


Como A Planta Crescendo
No Mais Fértil Dos Solos,
Que É Fecundado Pela
Grande Chuva Que Em Si
Traz As Bençãos Do Alto:
A Primeira Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Como A Águia Voando
Sobre Céus Dourados,
Onde Altos Seres Tocam
As Harpas Cósmicas
De Todos Os Versos
E Universos:
A Segunda Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Como O Raio Caindo
Para Elevar Aos Altos
Chamados Cósmicos
E Ascendendo Para
A Exaltação Soberana
Do Ser Fora Do Transitório:
A Terceira Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Como O Livro Aberto
Sobre As Terras Fecundas,
De Onde Brotam Mestres
Que Falam Com A Voz
Do Boníssimo Coração
E Agem Sobre As Cinzas
Do Maligno Ego
Que Domam Com
As Mãos:
A Quarta Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Esquecer As Quatro
Doutrinas Anteriores:
A Quinta Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Esquecer As Cinco
Doutrinas Anteriores:
A Sexta Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Esquecer As Seis
Doutrinas Anteriores:
A Sétima Doutrina
Daquele Que Segue
O Fogo Que Eu Sou.
Esquecer A Palavra
E Ser A Palavra:
A Inominável Doutrina
Daquele Que Esquece
Das Extinguíveis Palavras
E Sempre Se Lembra
De Escrever A Si Mesmo
Como O Fogo Que Eu Sou
Em Seu Livro
Como Ser Eterno.




Nenhum comentário: