sexta-feira, maio 26, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXIII


The Catalyst Fire - Cameron Gray


Entrego-Me Ao Sopro
De Teus Chamados
Pela Senda Dos Meus
Altos Prados,
Te Embalo No Útero
De Onde Faço Nascer
Cada Universo
Da Grande Obra
Por Mim Manifestada.
Abro Teu Coração
Nele Soprando Tudo
Da Minha Expansão
Pelos Vales
Da Manifestação.
Abro Tua Mente
Esboçando Novos Sopros
Da Minha Expansão
Pelos Túneis
Da Manifestação.
Abro Tua Alma
Potencializando O Meu
Automanifestado
E Incognoscível Sopro
Em Minha Expansão
Pelos Mundos
Da Manifestação.
E No Teu Corpo De Chamas
Acendo Uma Pequena
Fogueira Que Sopra
Para Longe De Tua
Existencial Rota
A Pequenez Insinuante
Que Esmaga Toda
Vontade Até Mim
Direcionada.
Sou Em Teu Corpo
De Efêmera Carne
Todo O Calor Das Chamas
Do Teu Corpo Espiritual,
A Este Dotando
Das Luzes Concretas
Da Eterna Combustão
De Minha Expansão.
Manifesto-Me Em Sopro
No Todo Do Teu Ser,
Sopro De Fogo A Subir
Pelas Expansivas Montanhas
Que Incendeio Em Teu
Universo Interior,
Como O Único Artesão
Construtor De Novos Seres
Que Passem A Habitar
No Imanifestado Em Mim.
E Tu Sopras.
Sopras Nova Existência.
Sopras Nova Essência.
Sopras Nova Presença.
Sopras Nova Visão.
Sopras Nova Atuação.
E Aprende Que
O Imanifestado
É A Verdadeira
Fátua Razão
De Toda A Criação.




Nenhum comentário: