quarta-feira, maio 10, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXXI


Perhaps The Dreams Are Of Soulmates - Cameron Gray


Os Eternos Poetas
Cantam Nos Corações
Das Grandes Estrelas
Sobre O Meu Raio
A Fazê-Los Ascender
Pela Estrada Prateada.
Os Eternos Poemas
Escritos Como Canções
Que As Grandes Estrelas
Entoam Como Orações
À Criação Inteira
Alcançam Os Verbos
Que Conjugo De Alto
A Baixo
Na Estrada Dourada.
A Eterna Poesia
Presente No Meu Útero,
O Berço Das Grandes
E Das Pequenas Estrelas,
Leva As Minhas Chamas
Aos Poetas Que Ainda
Me Encontrarão Dentro
Da Estrada Alva.
Meus Poetas,
Meus Poemas,
Minha Poesia:
A Doce Entoação Da Voz
No Meio Do Fogo
Que Eu Sou Nos Versos
De Toda Minha Obra.
Meus Poetas,
Meus Poemas,
Minha Poesia:
Os Eternos Livros
Acessíveis A Todos
Que Escrevem Despertando
As Eternas Estrelas
De Suas Eternas Almas.
Meus Poetas,
Meus Poemas,
Minha Poesia:
A Eterna Saga Que
Canta Indefinidamente
Sobre O Que Sou
Manifestado Em Chamas
E Se Cala Sobre
O Que Não Sou
Imanifestado Em Fumaça.
Sou O Poeta,
Sou O Poema,
Sou A Poesia:
O Manifestado Próximo
Às Humanas E Não-Humanas
Palavras Dos Orbes
Densamente Habitados.
Sou Declamado,
Sou Discutido,
Sou Delineado,
Mas,
Nunca Declarado Fora
De Cada Uma Das Páginas
Da Existência Que Eu Sou.




Nenhum comentário: