terça-feira, maio 02, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXIX


Open Memory: One For Two - Cameron Gray


As Virtudes Ígneas
Tecendo Oceanos Vivos
Arrebatam Aqueles
Que Sabem Se Tornar
Os Peixes Mais Perfeitos
Das Chamas Que Ardem
Todo Mar Onde Sou
O Único Pescador.
A Rede Que Lanço
Pesca Os Sublimes
Que Me Reencontram
Nas Praias Das Realidades.
A Rede Que Lanço
Pesca Os Libertos
Que Me Reencontram
Nas Praias Das Reais Idades.
A Rede Que Lanço
Pesca Os Áureos
Que Me Reencontram
Nas Praias Das Universais Idades.
Sou O Grande Pescador,
O Único Pescador,
O Lançador Da Única Rede
Onde Caem Todos Que
Almejam O Tridente
Que Arde Em Minhas
Flamejantes Mãos.
Tridente Que Aponta
Para O Coração Daquele
Que Me Chama
Do Alto Da Montanha,
Dentro Da Caverna,
Enterrado Na Cova,
Colhendo Flores,
Vivendo Romances
E Saboreando O Mundo
Moldado Pelo Domínio
Do Espírito Desperto
Sobre A Carne Domada.
Sou A Montanha,
Sou A Carne,
Sou A Cova,
Sou As Flores,
Sou Os Romances,
Sou O Mundo,
Sou O Espírito,
Sou A Carne.
Sou O Pescador Vivente
Nas Memórias Passadas,
Presentes
E Futuras Dos Peixes
Que Pesco.
Peixes Que Se Tornam
Pescadores.
Pescadores Que Renascem Como 
Oceanos.
Oceanos Que Nascem
Em Mim.
Em Mim,
O Soberano Pescador
De Incessantes Fogos.




Nenhum comentário: