quinta-feira, março 09, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXV


All We Have Is Now - Cameron Gray


Sem Uma Pausa,
Pulso Como Causa
E Consequência
Em Essência
Da Perfectibilidade
Das Chamas Plenas
No Palco Do Eterno
Alvorecer Dos Laços.
Sem Qualquer
Obscuridade,
Sou Cada Laço
Que As Eternas Horas
Depositam Na Alma
Das Altas Coisas
Manifestadas
Pelo Meu Nome
Em Chamas.
Sem Toda Chance
De Treva,
Nessas Chamas Acesas
Todas As Vezes
Nas Quais Sou
Verdadeiramente Evocado,
Desço Como Aquele
Que Porta A Espada,
Que Concede O Cetro,
Que Leva Ao Escudo
E Que Eleva
A Pena.
Sem Pausas
No Conceber,
Estou Na Pena
Do Poeta,
Do Escritor
E Do Verdadeiro
Sábio Que Sabe
Ser Sábio,
Revelando-Me Como
O Inquestionável
Incendiário
E O Inconquistável
Incêndio.
Não Ouse Domar
O Que Eu Sou
Se Tu Ainda
Não Estás Ciente
Do Ardente Incêndio
Em Teu Interior.
Não Sou Domado
Por Aqueles Que
Encontram-Me
Em Seus Eus.
Não Sou Domado,
Pois Eles Tornam-Se
O Próprio Incêndio
Deles Mesmos.
Tornam-Se O Que Eu Sou.
Tornam-Se O Que Eu Vejo.
Tornam-Se O Que Eu Não Sou.
Tornam-Se O Que Eu Não Vejo.




Nenhum comentário: