quinta-feira, abril 20, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXVIII


The Journey Begins - Cameron Gray

A Gigantesca Fonte Abre
Suas Torrentes Em
Tua Alma De Buscador
Dos Mais Gigantes,
O Buscador De Cada Gota
Das Infinitas Chamas
Que Faço Descer Sobre
As Cósmicas Plantas.
Plantas Que Crescem
Nos Jardins Universais,
Plantas Que Exercem
Com Suas Infinitas Raízes
O Dever De Consagrarem
Todos Os Solos
Ao Meu Alto Solo.
Alto Solo Onde
Também Faço Nascer
Infinitas Árvores De Fogo
Cujos Nomes Revelam
Cada Verdadeiro Nome Meu.
Cada Folha Em Chamas
Traduz Um Nome
Que Possuo Entre
Eternos Troncos Inderrubáveis.
Cada Chama Nas Folhas
Introduz Novos Nomes
Que Fico A Possuir Em
Eternas Raízes Inexoráveis.
Cada Tronco Em Chamas
Ergue Altas Florestas De
Eternas Árvores Onipotentes.
Cada Chama Nos Troncos
Afirma Altos Mundos De
Eternas Florestas Onipotentes.
Cada Floresta,
Cada Árvore
E Cada Raiz
Formam Altos Incêndios De
Eternas Chamas Oniscientes.
Cada Chama É
Árvore Da Incomunicabilidade
Aos Que Incompreendem
Meu Verbo Sendo
A Cada Incêndio Conjugado.
Cada Chama É
Árvore Da Incomensurabilidade
Aos Que Ignoram
Meus Cálculos Sendo
A Cada Incêndio Resolvidos.
Cada Chama É
A Única Árvore Possível
Entre Infinitas Árvores
Para Aquele Que Me Busca
Dentro Do Incomunicável
E Do Incomensurável
Que Eu Sou.
Meu Buscador,
Torna-Te Uma Árvore
Que Eu Possa
Infinitamente Incendiar.




quarta-feira, abril 12, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXVII


No Matter Where We Dream - Cameron Gray


Nunca Ancore
Tua Embarcação
Na Praia Da Estagnação,
Torna-Te A Chama
Que Logo Ergue
Incêndio Maior
Ao Pleno Tocar
No Meu Coração.
Guia Teu Barco
Pelo Fogo Do Rio
Que Em Mim Arde
Pelo Infinito.
Guia Teu Barco
Pelo Fogo Do Mar
Que Em Mim Transborda
Pelo Infinito.
Guia Teu Barco
Pelo Fogo Do Oceano
Que Em Mim Explode
Pelo Infinito.
Sejas O Rio
Do Fogo Infinito
Do Teu Navegar
Em Mim.
Sejas O Mar
Do Fogo Infinito
Do Teu Nadar
Em Mim.
Sejas O Oceano
Do Fogo Infinito
Do Teu Afogamento
Em Mim.
Tomes O Banho
Das Chamas
Que Faço Descer
Sobre Todo Aquele
Que Se Torna
O Mais Sagrado
De Todos Os Peixes
Nas Labaredas Ardentes
Do Meu Inegável
Ardor Embalador.
Aconchegue-Se Aos Meus
Embalantes Braços
No Fogo Infinito
Da Vestimenta Magna
Do Meu Manifestado
Doutrinante Furor.
Um Peixe,
Filho Do Fogo Que Eu Sou,
Tu Deves Ser
No Grande Labirinto
Das Águas Em Chamas
No Fátuo Nascer
Em Meu Transbordar.
Transborde Fátuo Em Mim.
Transborde Fátuo Em Ti.
Transborde Fátuo No Todo.
Transborde Fátuo No Nada.
Transborde Fátuo,
Filho Do Meu
Nadar
E Afogar.




domingo, abril 09, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo -Canto LXVI


Silence Seekers - Cameron Gray

Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Pronto
Para O Alcance
Do Primeiro Ser.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Voando
Pelo Alto Horizonte
Do Definitivo Eu.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Plantando
Cada Árvore Maior
Do Grande Jardim
Essencial.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Planejando
A Grande Construção
Do Verdadeiro Templo
Da Magna Magia
Do Alto Coração.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Escrevendo
O Eterno Livro
Das Múltiplas Revelações
Do Multiverso Existencial.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Orando
Às Primeiras Estrelas
Da Infinita Constelação
Do Alto Amor Incendiador.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Oferecendo
Cada Uma Das Tuas
Sinceras Lágrimas Derramadas
A Toda Alma Assassinada
Pelo Caos Material.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
Esteja Sempre Colhendo
No Grande Jardim Espiritual
A Flor Plantada Na Cruz
Que Gira A Favor
Do Poder Natural.
Navegante Do Oceano
Do Fogo Que Eu Sou,
A Mim Chegue
Ontem,
A Mim Chegue
Amanhã,
A Mim Chegue
Agora.
E Sejas Teu Próprio
Fogo A Elevar-Se
No Oceano Que Tu Serás.




quinta-feira, março 09, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXV


All We Have Is Now - Cameron Gray


Sem Uma Pausa,
Pulso Como Causa
E Consequência
Em Essência
Da Perfectibilidade
Das Chamas Plenas
No Palco Do Eterno
Alvorecer Dos Laços.
Sem Qualquer
Obscuridade,
Sou Cada Laço
Que As Eternas Horas
Depositam Na Alma
Das Altas Coisas
Manifestadas
Pelo Meu Nome
Em Chamas.
Sem Toda Chance
De Treva,
Nessas Chamas Acesas
Todas As Vezes
Nas Quais Sou
Verdadeiramente Evocado,
Desço Como Aquele
Que Porta A Espada,
Que Concede O Cetro,
Que Leva Ao Escudo
E Que Eleva
A Pena.
Sem Pausas
No Conceber,
Estou Na Pena
Do Poeta,
Do Escritor
E Do Verdadeiro
Sábio Que Sabe
Ser Sábio,
Revelando-Me Como
O Inquestionável
Incendiário
E O Inconquistável
Incêndio.
Não Ouse Domar
O Que Eu Sou
Se Tu Ainda
Não Estás Ciente
Do Ardente Incêndio
Em Teu Interior.
Não Sou Domado
Por Aqueles Que
Encontram-Me
Em Seus Eus.
Não Sou Domado,
Pois Eles Tornam-Se
O Próprio Incêndio
Deles Mesmos.
Tornam-Se O Que Eu Sou.
Tornam-Se O Que Eu Vejo.
Tornam-Se O Que Eu Não Sou.
Tornam-Se O Que Eu Não Vejo.




domingo, fevereiro 19, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXIV


Awake Could Be So Beautiful - Cameron Gray


Por Entre As Tribos
Que Cantam Em Redor
Do Meu Fogo
Me Encontre Gigante
Nas Almas Do Todo.
Por Entre Os Tronos
Ocupados Por Aqueles
Que Imperam Dentro
Do Meu Fogo
Me Encontre Gritante
Como O Comandante
Das Legiões Que Guerreiam
Nas Fogueiras Do Todo.
Por Entre Os Vales
Ocupados Pelos Que
Se Consomem Bebendo
Do Meu Fogo
Me Encontre Agitante
Dos Mundos Representantes
Do Meu Verbo
Nos Livros Do Todo.
Por Entre Os Oceanos
Onde Todas As Ondas
São As Faces
Do Meu Fogo
Me Encontre Insinuante
Como O Maior
Dos Peixes
A Nadar Profundamente
Nos Tempos Do Todo.
Por Entre As Muralhas
Das Torres Definidas
Pelos Momentos Maiores
Do Meu Fogo
Me Encontre Medindo
Na Forma De Perfeitos
Geômetras Vivos
Todas As Vestes Do Todo.
Por Entre As Nuvens
Dos Céus Tocados
Pelas Fulgurações
Do Meu Fogo
Me Encontre Realizando
A Dança De Pássaros
Que Se Tornam
Chamas Glorificantes
Das Escadarias Do Todo.
Por Entre Tudo No Todo
Que Pode Ser No
Grande Silêncio Por Mim
Erguido Na Tua Alma
De Caminhante
Do Meu Fogo
Me Encontre Residente
Nas Moradas Indeléveis
Do Teu Todo.
Me Encontre Completo.
Me Encontre Absoluto.
Me Encontre Sólido.
Me Encontre Próximo.
Me Encontre Quando Tu
Te Encontrares
No Teu Fogo.




sexta-feira, fevereiro 17, 2017

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LXIII


Sacrament For The Sacred Dreamers - Cameron Gray


A Ronda Inicia
Meu Ato Determinador,
Um Verbo Atado
Ao Fato Mesmo
Do Meu Expressar
Entre As Estrelas
Que Conhecem
O Meu Verdadeiro
Flamejante Nome.
O Tecido Se Rasga
E Revelado Fica
O Todo De Chamas
Que Ficam Por
Toda A Criação.
O Tecido Se Reconstrói
E As Letras Que
Escritas Foram Entre
Livros Perfeitos
E Incorruptíveis
Chegam Aos
Flamejantes Intérpretes
Das Estrelas Saídas
Do Meu Eu.
O Tecido
É A Minha
Vasta Verdade
E O Recinto Onde
O Faça Ser Gerado
E Gerado
No Eterno Tempo
Sem Tempo
Abre-Se Aos Que
Interpretam Além
De Todas As Estrelas
O Que Há Para
Ser Interpretado.
Tocadas Por Mim,
Cada Interpretação
Alude Ao Outro Livro
De Toda Minha
Interpretação.
Tocadas Pelo Intérprete,
Novos Livros Surgem
Em Templos Onde
As Colunas Exibem
Minha Sempre Nova
Interpretação.
Traduzido Sou
Entre Estrelas
De Único Fogo
No Coração
Do Intérprete.
Traduzido Estou
Nas Estrelas
De Todo Fogo
Nas Asas
Da Interpretação.
Traduzir
E Traduzir.
As Fagulhas
Da Minha Ação.