domingo, dezembro 04, 2016

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto LVIII


Hummingbird Love - Cameron Gray


O Sol Que Eu Sou Chega
Ao Altivo Enredo
Que Navega Expressando
Todo Alto Amor
No Meu Interno Louvor.
O Sol Que Eu Sou Molda
A Altura Do Teu Olhar
Dentro Da Vestimenta
De Elevações
Do Meu Olhar.
O Sol Que Eu Sou Pontua
O Existir
E O Não-Existir,
O Fluir
E O Não-Fluir,
O Ir
E O Não-Ir,
O Tempo
E O Não-Tempo,
O Espaço
E O Não-Espaço,
O Que Eu Sou,
O Que Eu Não Sou,
O Que Eu Ainda Serei,
O Que Tu És,
O Que Tu Ainda Serás.
O Sol Que Eu Sou,
Plano De Horizontes
Onde Reino Sem
As Muralhas Inconstantes
Do Reinado Do Desamor,
Brilhando No Facho
De Teu Coração,
Brilhando No Marco
De Tua Mente,
Brilhando No Astro
De Teu Corpo,
Brilhando Nos Passos
De Tua Estrada
No Mundo Onde Deves
Brilhar Como Um Sol
De Próprio Valor.
O Sol Que Eu Sou,
O Verso Que Eu Dou
Ao Sol Que Tu Deves
Ser,
Alimentará Ao Teu
Alto Misterioso Valor
Sempre.
Entre Em Fusão
Com As Chamas Interiores
Do Teu Ser
E Expandas O Sol
Que Ainda Tu Serás.
Ilumine A Noite
E O Dia Do Teu
Verdadeiro Eu.
Ilumine E Sejas
Um Verdadeiro Sol
Como Eu.




Nenhum comentário: