quarta-feira, dezembro 09, 2015

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XLIII



Ao Clamor
Que Vem Dos
Passos Dados
Em Direções
Que Incineram
Caminhos Erráticos,
Ergo Minha Voz
Em Sentenças
Diante Do Arcano
Da Verdade
E Do Amor.
É Da Verdade
Que Está Viva
Em Mim
E É Do Amor
Que Nasce
Em Mim
Que Estou A Falar.
Indefinível
Verdade,
Indefinível
Amor,
Chamas Da Realidade
Em Meu Interior.
Sensata
Verdade,
Sensato
Amor,
Chamas Da Intensidade
Em Meu Exterior.
Inescapável
Verdade,
Inescapável
Amor,
Em Redor
Daqueles Que
Melhor Compreendem
A Verdade
E O Amor
Que A Mortalidade
Jamais Contemplará.
Fátua
Verdade,
Fátuo
Amor,
Veículos Da Eternidade
Manifestando As Minhas
Mais Ardentes
Faces.
Ativa
Verdade,
Ativo
Amor,
No Fogo Automanifestado
Da Minha Presença
Em Cada Interior
Dos Que São
Da Verdade,
Dos Que São
Do Amor.

Nenhum comentário: