domingo, agosto 30, 2015

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXXIX




Dentro De Tua Alma,
Eu Te Evoco.
Dentro De Tua Alma,
Eu Te Invoco.
Eu,
O Fogo Da Criação,
Te Evoco Como
A Incinerante Brasa
Que Vós Podeis Ser
E Te Invoco Como
A Sagrada Fogueira
Que A Tudo Pode Consumir.
Queijo Em Tua Coroa,
Em Tua Fronte,
Em Tua Garganta,
Em Teu Coração,
Em Teu Pulmão
E Em Teu Âmago
Imemorial
A Vociferar Nomes
Que Um Dia Foram Nomes
Dentro De Todos Os Vossos
Órgãos Espirituais.
Como O Fogo Que Eu Sou,
Eu Evoco
E Invoco
O Fogo Que Tu És
Para A Manhã
Do Teu Existir
E A Noite
Do Teu Caminhar.
Assemelhe-Se A Cada Uma
Das Minhas Chamas,
Beba
E Se Alimente
De Cada Uma Das Minhas
Eternas Chamas.
Leve-Me Em Vossos Lábios
Como Uma
Permanente Canção
E Louve Minhas Chamas
Nos Sete Caminhos
Da Tua Canção.
E Cantemos Juntos
Na Fátua Orquestra
Cósmica.
E Cantemos Juntos
Entre Os Fátuos Cantores
Cósmicos.
E Cantemos Juntos
A Fim De Sermos Ouvidos
Pelos Filhos Da Música
Cósmica.
Cantemos Na Mesma Chama.
Cantemos Na Mesma Melodia.
Cantemos Na Mesma Harmonia.
Cantemos
Em Unidade.
Cantemos
Em Fátua Verdade.

domingo, agosto 23, 2015

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXXVIII




Eu Queimo 
A Roda De Mil Rodas 
Que É Tua Coroa. 
Eu Queimo
A Rosa De Mil Pétalas 
Que É Tua Coroa. 
Eu Rondo A 
Coroa Cósmica 
Que Se Apresenta 
Nas Coroas De Todos 
Que Se Fazem 
Governantes Cósmicos. 
Eu Sou 
A Ronda Cósmica, 
O Próprio Fogo Cósmico 
Da Verdadeira Vida, 
Da Verdadeira Vontade, 
Do Verdadeiro Ser 
E Da Verdadeira Existencialidade. 
Quatro Vezes 
Sou Verdadeiro 
Na Raiz E No Tronco 
Da Árvore Sagrada 
Dos Cósmicos Semeadores 
Das Minhas Palavras. 
Aos Que Ainda Estão 
No Ramo Das Árvores 
Ressequidas, 
Eu Dou O Lampejo 
Mais Silencioso 
Na Forma Da Chama 
Mais Harmoniosa. 
Aos Ainda Desencontrados, 
Dispersos 
E Confusos, 
Eu Aqueço Com Chamas 
Que São 
As Mãos, 
Os Pés 
E Os Lábios 
Daqueles Que Sabem Beber 
Do Fogo Que Eu Sou 
Estando Coroados 
Com As Minhas Chamas. 
O Fogo 
Convoca Todo 
Desencontrados. 
O Fogo 
Convoca Todo 
Disperso. 
O Fogo 
Convoca Todo 
Confuso. 
Eu, 
O Fogo, 
Recebo A Todos 
Da Esquerda, 
Da Direita 
E Do Meio. 
Recebo Incinerando.