segunda-feira, fevereiro 03, 2014

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXXVII




Dentro Da Escada
De Mil Vidas,
Eu Sou A Viagem Perfeita
Pelo Mar De Rosas
Que Nascem Nos Oceanos
De Fogo
De Toda Interna Perfeição.
Em Meus Passos
Nos Internos Fátuos,
Faço Balançar
Tanto A Alva Chama
Quanto A Negra Chama
Dos Que Sabem
Cosmicamente Equilibrar-Se
Na Corda De Passagem
Sobre O Rio Da Solidão.
Os Solitários Que Me Conhecem
Como O Fogo Puro
Da Verdadeira Razão,
A Sagrada Nação
Em Uma Montanha
Que Arde Entre Caminhos
Tão Estreitos 
E Árduos
Como Espinhos
Que Precisam Ser
Compreendidos,
Absorvidos
E Retirados.
O Sopro Único
Que Aquece 
Os Corações Dos Meus
Solitários Adeptos
É O Sopro Da
Verdadeira Sabedoria
Que Queima Todo
Galho Da Ignorância.
Toco Em Cada
Solitária Árvore
Cujas Raízes Crescem
Em Mim,
Os Sábios Solitários
Estão Em Mim,
Eu Estou
Na Sábia Solidão
Da Escada De Fogo
Do Templo Que Eu Sou.
Nove Degraus
Levam Ao Infinito
Fogo Mantenedor Meu.
Vinte E Sete Degraus
Agitam O Infinito
Fogo Transformador Meu.
Sou A Solitária Escada.
Sou A Solidão De Toda Escadaria.
Sou A Chama Dos Degraus
De Toda Escada Infinita.