sexta-feira, janeiro 10, 2014

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXXVI




Eu Faço Em Mim
Navegar
A Verdade E A Vida,
A Verdade Da Luta
Incessante
Pela Verdadeira Vida,
A Vida De Busca
Incessante
Pelo Fogo Da Minha
Primazia.
Diante Da Veste
Que Concede A Coroa
Das Mil Vidas
Sedentas Pela Bebida
De Chamas
Que Tenho A Oferecer,
Filhos Meus
Na Alvorada Cósmica
Da Estrada Da
Transcendência,
Sou A Gota De Chama
Primeira
Acendendo A Gota 
De Chama
Última.
Navego Pelo Mar De Fogo
Dos Vossos Corações,
Filhos Meus
Em Todas As Possíveis
E Impossíveis
Estradas Cósmicas,
Sendo A Esfinge
A Ser Decifrada
Dentro Do Templo
Maior Sagrado
De Vossos Corações.
Respingo Fátuo
Em Vossos Corações,
Respiro Fátuo
Em Vossos Corações,
Ergo Em Nome
Do Fogo Que Eu Sou
Um Templo Muito Maior
Em Vossos Corações.
Sou A Centelha
Queimando Sempre
O Flagelo De Todo
Duro Coração
Que Ainda,
Verdadeiramente,
Não Me Conhece.
Sou O Verdadeiro Chamado
Ao Subir E Nunca Cair
Do Caminho Fátuo
Mais Sagrado.
Descubram-Me Sorrindo.
Desvendem-Me Sorrindo.
Sorrindo Para
A Augusta Presença
Do Ardor Que Eu Sou.