domingo, setembro 01, 2013

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXXIV




Venho A Realizar-Te
Como Meu Fogo
Quando Tu Ardes
Por Mim,
Eu Atendo Ao Teu Chamado
Desde O Mais Infindo
Das Alturas Imagináveis.
Quando Tua Chama
Eleva Tua Alma
Em Direção À Minha
Alma,
Eu Vou E Te Beijo
Dentro Do Fogo
Da Eterna Fornalha
Do Meu Abençoar-Te.
Quando Ardo
Em Ti,
Filho Meu,
Rompo As Cadeias
De Cada Servidão
E De Cada Escravidão.
Quando Ardo
Em Ti,
Filho Meu,
Te Faço Receber
Da Coroa De Flores
Da Verdadeira Salvação.
Quando Espalho
As Minhas Chamas
Em Tua Direção,
Filho Meu,
Alcanço Toda A Razão
Do Teu Nobre Coração.
Quando Estou Bem Perto,
Quando Estou Bem Quente,
Aí Dentro De Tua 
Alma Ardente,
Ah,
Filho Meu,
Como Estou Feliz,
Como Estou Contente!
Eu Me Expresso,
Então,
Através Da Tua Voz.
Eu Me Expresso,
Então,
Através Do Teu Olhar.
Eu Me Expresso,
Então,
Através Do Teu Pensar.
Eu Me Expresso,
Então,
Através Do Teu Obrar.
Eu Sou Tua Mão A Queimar.

Nenhum comentário: