quarta-feira, outubro 05, 2011

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XXVII




A Sinceridade É

A Verdadeira Plenitude

Da Minha Senda.

Eu Venho Sincero,

De Dentro Dos Vossos

Corações Para Mim Abertos,

A Fim De Vos Abraçar.

Eu Vou Sincero,

Quando Ouço Vossos

Sinceros Clamores,

Aos Recintos Mais Profundos

Do Vosso Interno Lar.

É Com Sinceridade

Que Eu Recebo

A Todos Os Sinceros

Que Oram No Silêncio

Do Grande Calor.

Dou Força Ao Sol

Que Queima Nos Corações

Dos Sinceros Discípulos Meus

Que Se Enchem

Do Sincero Ser Que Eu Sou.

Sou Gigante

E Sinceramente Humilde.

Sou Imperador

E Sinceramente Simples.

Sou Creador

E Sinceramente Criativo.

Das Lutas Por Mim,

De Todas As Lutas

Que São Travadas

Pelos Que Me Buscam

Com Sinceridade Alta,

Sou Aquele Guerreando

Com A Arma De Meu Verbo

Feito Sincera Chama.

Não Se Vai Ao Topo

Sem Ser Sincero

E Todo Sincero,

No Topo Das Auroras

Do Meu Eterno Dia,

Caminha Mais Acima

E Alcança Outros Topos

Que São A Minha

Chama Viva.

Eu Agradeço Aos Sinceros

E Falo Aos Corações Deles

Que Estou Chamejante

Dentro De Cada Um

Nas Correntes Da Própria Vida

Que Eu Sou.

Todos Devem Ser Sinceros.

Tudo Está Na Sinceridade.

Eu Sinceramente Ardo Em Mim.

Eu Sinceramente Ardo Em Vós.

Eu Sinceramente Ardo Em Todos.

Nenhum comentário: