quarta-feira, agosto 17, 2011

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XX


Aguardo A Onda

Do Mar Individual

De Cada Um Daqueles

Que A Mim Querem

Retornar.

Guardo As Ondas

De Puro Fogo

De Cada Um Que

A Mim Já Retornou

E Como O Gerador

De Todo Fogo

Toco Apenas Em Uma

Diminuta Fagulha,

Nos Corações Dos Candidatos

Ao Retorno,

Para Que Se Acenda

O Fogo Que Em Minha

Incendiante Direção

Faz Levar.

As Ondas Do Fogo

De Todo Aquele Que

Até Mim Está A Retornar

Fazem Da Carne

E Do Espírito

Uma Única Chama

Que Permanecer A Clamar

Pelo Fogo Que Eu Sou.

Ouço Todo Chamejante Clamor

Na Escuridão,

Ouço Todo Chamejante Clamor

Na Luz

E Ouço Todo Chamejante Clamor

Dentro De Mim.

Ouço Os Clamores De Fogo

Dos Meus

E Os Alimento Com

A Minha Espada,

A Espada De Jeová,

Fazendo-Os Escalar

A Grande Escada De Todos

Os Maiores Incêndios,

Escada Cujos Degraus

Levam Ao Alto Da Minha

Chamejante Morada.

Sou O Brilho Maior

Em Cada Chama Maior

Dos Degraus Da Escada

Oferecida A Todos Que

Em Mim Incendeiam-Se

Por Toda A Carne

E Por Todo O Espírito.

A Cada Degrau Clamem Por Mim.

A Cada Degrau Eu Clamo Por Vós.

Subam Cada Degrau.

Subam Para O Alto Fogo Que Eu Sou.

O Alto Fogo Que Faz Subir Muito Mais.

Nenhum comentário: