terça-feira, agosto 16, 2011

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XIX


Há O Vôo

De Todo Pássaro

Ao Seu Repouso

Mais Adorado.

Voar Até Minha

Presença Pulsante

Na Luz Acima

Das Esferas

É Ser Um Pássaro

Que Encontra O Louvor

No Quente Envolver

Do Meu Ninho.

Voem Até O Meu Ninho

Batendo As Asas

Do Coração,

Batendo As Asas

Da Mente,

Batendo As Asas

Do Espírito.

No Firmamento

De Meus Pensamentos,

Batam As Asas,

Orem Pelas Minhas

Chamas No Ar

E Eu Voarei Até Vós

Cantando No Mar

E Contando As Areias

Da Praia Do Vosso

Verdadeiro Lar.

Voem,

Filhos,

Em Minha Direção,

Meu Céu É Chama,

Minha Árvore É Chama,

Meu Ninho É Chama.

Voem,

Filhos,

Agitem Vossas Asas

Para O Fogo

Do Meu Ninho,

O Fogo Do Pai,

O Fogo Do Filho,

O Fogo Do Único

E Verdadeiro

Espírito.

Sejam Sagrados

Como Eu Sou,

Ságrados Pássaros

Que Batem Asas

Em Meu Ninho

Que É Todo Amor.

Sagrado Pássaro

Eu Sou.

Sagrado Ninho

Eu Sou.

Fogo E Vôo Eu Sou.


Nenhum comentário: