sexta-feira, abril 15, 2011

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XIII


Sou Vida Plena

Oferecida Aos Vivos

Que Tecem Glórias

Ao Poder Do Meu

Vivo Nome.

Meu Vivo Nome

Está Na Fronte

Dos Filhos Do Amanhã

No Qual Serei

A Única Fonte.

Eles Bebem De Mim

E Eu Neles Sou

A Bebida Eterna

Da Embriaguez

Da Eternidade.

Minha Bebida

É Uma Chama

A Incendiar

A Água Viva

Que Ofereço Nítida

Aos Que Olham Para Mim

Em Verdade.

A Paixão Por Mim

Embriaga

E O Amor Por Mim

Engolfa Todo O Ser

No Líquido Da Eternidade.

Em Ondas De Fogo

Sou Bebido

E Permaneço Lívido

Dentro Do Coração

Da Oração Mais Profunda

Que Vem Em

Minha Direção.

Oriento Nos Mundos

A Todos Os Seres

Em Direção À Minha

Eterna Embriaguez.

Bebam,

Filhos Da Minha Criação,

Filhos Do Fogo Que Eu Sou,

De Mim,

O Verdadeiro Pai Vosso

Revelado Em Fogo

Que Toma Conta

De Vossas Almas.

Bebam De Mim,

O Creador Da Lei Da Vida,

O Creador Das Vivas Palavras,

O Creador Das Vivas Ações,

O Creador Das Vivas Alianças,

O Creador Da Viva Presença.

Bebam Da Vida Das Palavras.

Bebam Das Ações Das Alianças.

Bebam Da Presença,

A Minha Fátua Presença.

Nenhum comentário: