terça-feira, novembro 02, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XII


Os Girassóis De Fogo

Acumulam A Minha Voz,

Que É Chama Possante

Do Ato Gerador

De Vossas Respirações.

Cada Respirar Vosso,

Minha Filha,

É Uma Chama Minha.

Cada Respirar Vosso,

Meu Filho,

É Outra Chama Minha.

Pensem Que Sou

Como Chuva De Chamas

Que Cai Do Firmamento

Do Seu Mundo

E Que Cada Gota

Das Minhas Chamas,

Ao Cair Em Vossas

Gargantas,

Incinere Vossos Corpos.

Respirem Neste Propósito

De Por Mim

Se Incinerarem,

Naturalmente Me Sintam

Em Vossos Corpos,

Eu Beijo E Sou

Vossos Corações,

Eu Beijo E Sou

Vossos Olhos,

Eu Beijo E Sou

Vossos Lábios,

Eu Beijo E Sou

Vossas Faces,

Eu Beijo E Sou

Vossos Seres.

Eu Respiro E Incinero

Toda A Minha Obra,

Sou O Sentido

De Toda Força Do Fogo

Da Procriação

E Da Perpetuação

Da Materialidade

E Da Imaterialidade.

Sou Respirante Em

Vossas Almas,

Filhos Do Meu Coração,.

Sou O Pulmão De

Vossas Vontades,

Filhos Da Minha Verdade.

Respiram E Sintam

Meu Odor.

Respirem E Abracem

Meu Odor.

Respirem,

Meu Odor

É Verbo Redentor.