terça-feira, agosto 24, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto IV


Em Partos Concretizo

A Realidade Da Existência,

Extinguo A Nulidade

E Exalto

A Verbalidade.

Sou Verbo De Fogo

E Conjugo-Me

O Prato Principal

De Todos Aqueles

Que Se Alimentam

Do Fogo Que Eu Sou.

Estou Descendo Neles

E Ascendendo

Junto Com Eles

Ao Reino De Chamas

Que Eu Sou.

Pai Me Chamam

E Pai Em Chamas

Eu Sou.

Filho Me Chamam

E Filho Em Chamas

Eu Sou.

Espírito Santo Me Chama

E Espírito Santo

Em Chamas

Eu Sou.

Rodeio A Circunspecção

De Todas As Almas,

Acendendo Três Vezes

As Três Chamam

Que Apagam O Poder

Das Trevas.

Dou Luzes De Chamas

Aos Corações

Em Rosas Perpétuas,

Pois Eu Sou

A Rosa Do Verdadeiro Fogo

Das Esferas.

A Todos Vós

Concedo A Relíquia

Do Tesouro Da Vida

Nas Fagulhas Da Fogueira

Do Fogo Da Vida.

Não Simulo,

Não Finjo,

Eu Sou O Verdadeiro Fogo,

O Espanto Para

Os Desencaminhados,

A Riqueza Para

Os Libertos.

Incendeio Como Pai.

Incendeio Como Filho.

Incendeio Como Espírito Santo.

Eu Sou O Incêndio Vivo.

Eu Sou O Fogo Invencível.








Nenhum comentário: