segunda-feira, janeiro 18, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - O Anjo Inominável Do Amor - Canto XVIII


Lua E Bem:

A Alta morada

Cósmica

Dos Senhores

E Das Senhoras

Que Agitam

As Internas Marés.

Dentro de todos

os Seres,

dentro de todas

as Coisas,

O Luar Do Bem

Agita O Interno Mar

Que Ama

O Sempre Bom.

A Loba Mostra

Sua Desconhecida

Face,

A Inominável Face

Da Loba...

Dos Subterrâneos

De Todos

Os Interiores

Emergem

Uivos D'Amor...

O Anjo,

As Senhoras,

Os Senhores,

O Beijo Do Sol

Nas Faces Amorosas

De Todas As Luas...

Ah,

luar,

O Bem Anima

O Interior Mundo

Do Ser!

Ah,

Luar,

O Bem,

O Alto Bem,

Anima

O Interior Ninho

De Amor

Do Vir-A-Ser!

Ah,

Luar,

Luar,

Luar,

Qual Ser Resiste

Ao Brilho

Do Verdadeiro Bem?

Na Vestimenta Noturna,

no prateado

dos luares,

nos silêncios

das noites,

na Escuridão Amante

Do Bem,

O Anjo Veste-Se

Como A Noite

Do Amor

E Desce Seguido

Pelas Lunares Legiões

Dos Homens Bons

Até Os Corações

De Todos

Os Membros

De Todas

As Humanidades!

Descem

Pelos

Luares...

Penetram

Nos

Internos

Luares...

Abençoam

Os

Internos

Luares...

Festejam

Os

Internos

Luares...

Médicos Do Ser,

Médicos Do Vir-A-Ser,

O Anjo

E Seus Irmãos

No Verdadeiro Bem

Permanecem

Nos Corações

De Todos Aqueles

Que Podem

Ao Verdadeiro Bem

Materializar.

Nas Humanidades,

eles são

Os Verdadeiros Desapegados.

Nas Humanidades,

eles são

Os Verdadeiros Caridosos.

Nas Humanidades,

eles são

Os Verdadeiros Bons.

E eles são

sóis brilhantes

abrasando os solos

das dores,

dos sofrimentos,

das lágrimas,

das aflições,

das angústias,

das solidões.

E eles são

Os Filhos Do Sol

Do Amor,

Os Solares Seres

Do Alto Amor,

Os Solares Frutos

Dos Solares Raios

Do Uno Amor.

E O Anjo,

O Inominável Sol

Do Amor

Pela Criação,

Veste-Se De

Amoroso Sol

Ao Lado Daqueles

Que Fazem

Pelos Mundos

O Verdadeiro Bem

Brilhar Como

Verdadeiro Sol

De Infinitos Raios

De Toda Cor.









Nenhum comentário: