terça-feira, novembro 02, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XII


Os Girassóis De Fogo

Acumulam A Minha Voz,

Que É Chama Possante

Do Ato Gerador

De Vossas Respirações.

Cada Respirar Vosso,

Minha Filha,

É Uma Chama Minha.

Cada Respirar Vosso,

Meu Filho,

É Outra Chama Minha.

Pensem Que Sou

Como Chuva De Chamas

Que Cai Do Firmamento

Do Seu Mundo

E Que Cada Gota

Das Minhas Chamas,

Ao Cair Em Vossas

Gargantas,

Incinere Vossos Corpos.

Respirem Neste Propósito

De Por Mim

Se Incinerarem,

Naturalmente Me Sintam

Em Vossos Corpos,

Eu Beijo E Sou

Vossos Corações,

Eu Beijo E Sou

Vossos Olhos,

Eu Beijo E Sou

Vossos Lábios,

Eu Beijo E Sou

Vossas Faces,

Eu Beijo E Sou

Vossos Seres.

Eu Respiro E Incinero

Toda A Minha Obra,

Sou O Sentido

De Toda Força Do Fogo

Da Procriação

E Da Perpetuação

Da Materialidade

E Da Imaterialidade.

Sou Respirante Em

Vossas Almas,

Filhos Do Meu Coração,.

Sou O Pulmão De

Vossas Vontades,

Filhos Da Minha Verdade.

Respiram E Sintam

Meu Odor.

Respirem E Abracem

Meu Odor.

Respirem,

Meu Odor

É Verbo Redentor.







domingo, outubro 31, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto XI


Entre Os Que Buscam

As Relíquias Do Coração

Estou.

Entre Os Que Semeiam

Campos De Puro Amor

Estou.

Entre Os Que Participam

Dos Verdadeiros Atos

De Caridade

Estou.

Meu Fogo Ensina,

Meu Fogo Purifica,

Meu Fogo Esclarece,

Eu,

O Supremo Fogo,

Sou A Fortaleza

Dos Incendiados

Pelo Que Eu Sou.

Permaneço Firme

Naquele Que É

Rocha De Salvação

Dos Desesperados

E Dos Perdidos

Do Mundo.

Permaneço Amigo

Dos Que Sondam

As Raízes Do Meu Coração

E Tornam O Próprio

Coração

Semelhante Ao Meu.

Cada Chama

Destes Que São

Os Corajosos Do Amor

Está Repleta De Poder,

O Poder Ardente

Que Eu Sou.

Transmito Segurança,

Transmito Força,

Transmito Toda

A Alvura Da Aliança

Dos Que Estão

Seguindo A Estrela

Da Minha Estação.

Eu Brilho Como Chama

De Oração

Nos Corações Dos Filhos

Do Alto Setentrião.

Abram Os Vossos Corações

Para O Meu Reinado.

Abram Os Vossos Corações

Para O Meu Cetro.

Abram Os Vossos Corações

Para A Minha Coroa.

Abram Os Vossos Corações

Para O Meu Coração,

Aquele Que Bate Pela Criação.







quarta-feira, setembro 01, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto X


Reajam,

Estou Queimando.

Retornem,

Estou Queimando.

Respeitem,

Estou Queimando.

Amem,

Estou Queimando.

Eu,

A Vida A Queimar,

Reajo Ao Vosso

Sincero Orar.

Eu,

A Vida A Queimar,

Retorno Ao Vosso

Sincero Ser.

Eu,

A Vida A Queimar,

Respeito O Vosso

Sincero Clamor.

Eu,

A Vida A Queimar,

Ouço Com Amor Cada Voz

Dirigida Ao Meu

Coração De Pai.

Eu Que Sou

A Própria Vida

Queimando Hostes Infinitas

Que Revelam Meu Poder,

Ouço Vossa Voz

A Me Chamar

Dentro Do Meu

Coração De Pai.

Um Coração Que Ora

Pelo Vosso Reconhecer

Em Mim

Como Teu Único

Incinerante Pai.

Um Coração,

O Meu Coração,

Pulsante Na Oração

Que Versa Sobre

O Vosso Coração

A Chorar E A Agradecer

Quando Digo

Que Hei De Vos Salvar.

Meu Coração,

Cujas Batidas São

A Eternidade.

Meu Coração,

Cujas Batidas São

A Verdade.

Coração De Pai.

Coração De Filho.

Coração De Espírito Santo.

Coração Do Único A Incinerar.







terça-feira, agosto 31, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto IX


Avistem Meu Barco

No Mar De Chamas

Universais.

Nadem No Fogo

Do Firmamento Altíssimo

Que Eu Sou.

Vitoriosos,

Nadem,

Em Direção A Mim,

Sou Teu Deus

Abrasador.

As Ondas Do Fogo

Que Vem De Mim

Afugentam A Angústia

E Preparam Armadilhas

Para O Acusador.

O Acusador Diante De Mim

É Uma Criança Rebelde,

Não O Temam,

Ele Apenas Age

Através Da Permissão

Do Fogo Que Eu Sou.

Eu Sou

O Reino Dos Reinos.

Eu Sou

O Juiz Dos Juízes.

Eu Sou

O Governo Dos Governos.

Eu Sou

A Sentença Das Sentenças.

Eu Sou

O Martelo Dos Martelos.

Eu Sou

A Mão Das Mãos.

Eu Sou

A Justiça Dos Justiceiros.

Minhas Chamas Queimam

O Fogo Do Horror

E O Fogo Do Desamor,

Vós Podeis Em Mim

Encontrar O Berço

E O Lar

Do Verdadeiro E Único

Amor.

Colhereis Em Mim

Plantas Da Verdade

E Flores Da Vida

Que Eu Sou

Vos Farão Como

Eu Sou.

As Mudas Descem.

As Raízes Tecem.

Os Troncos Despertam.

As Folhas Ascendem.

Queimo Em Vós Como

A Árvore Da Vida Nascente.







segunda-feira, agosto 30, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto VIII


Fogo Queimando

Nas Searas.

Fogo Queimando

Nas Tiaras.

Fogo Queimando

Nas Coroas.

Fogo Queimando

Nas Atitudes Todas

Dos Caminhos

Que Se Fazem

Os Meus Caminhos.

De Todas As Coisas

Eu Sou O Fogo Primeiro

E Único,

Ativo Incendiador

De Todos Os Rumos.

De Todas As Coisas

Eu Sou O Fogo Consumidor

Das Excelsas Máximas

E Eternas Forças.

De Todas As Coisas

Eu Sou O Fogo Reto

Descendo Como

Torre De Chamas,

Incendiárias Chamas

Do Templo Da Carne

E Do Templo Do Espírito.

Eu Irradio O Alimento

Primeiro

E Sou O Próprio

Eterno Alimento.

Eu Sorvo O Líquido

Primeiro

E Sou O Próprio

Eterno Líquido.

Comam Do Meu Fogo,

Do Fogo Que

Eu Sou.

Bebam Do Meu Fogo,

Do Fogo Que

Eu Sou.

Assemelhem-Se

Às Minhas Chamas

E Dancem Carbonizados

Pelo Meu Amor.

Tornem-Se Cinzas

E De Novo Carne

E Espírito,

Revelando As Obras

Do Incinerante Espírito

Que Eu Sou.

Voltem Em Mim.

Olhem Para Mim.

Sejam Em Mim.

Em Mim,

O Fogo Iniciador.






sexta-feira, agosto 27, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto VII




Destemidos Me Procuram

Em Vão,

Eu Sou Dos Mansos

E Pacíficos

Que A Mim Chegam

Abrindo Os Portões

Das Cidades De Chamas

De Seus Corações.

Com Destemor

E Brutalidade

Não Me Alcançam.

Com Temor

E Fraqueza

Não Me Alcançam.

Com Orgulho

E Soberba

Não Me Alcançam.

Os Que Me Alcançam

Mergulham No Oceano

De Chamas

Que Eu Sou,

Praticando O Silêncio,

Praticando A Retidão,

Praticando A Solidão.

A Solidão Em Mim

É Povoação

E Iludem-Se Todos

Os Que Pensam Ser

Sozinhos

A Todos Aqueles

Que Me Encontram

Nas Chamas Do

Verdadeiro Caminho.

Nadando Em Silêncio,

Completos,

No Fogo Que Eu Sou,

Não Há Mais

A Carne,

Não Há Mais

A Cinza Da Materialidade.

Em Mim,

Os Que Nadam Encontram

Seu Próprio Espírito

E Compreendem A Missão

Que Lhes Dei

Desde Antes De Serem

O Que Ainda Serão.

São Todos Tranquilos.

São Todos Amáveis.

São Todos Amigos.

São Todos Bons.

São Todos O Que Eu Sou:

Fogo Que Eleva,

Fogo Que Purifica,

Fogo Que Santifica,

Fogo Que Salva.







quinta-feira, agosto 26, 2010

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - Somente De Mim Vem O Fogo - Canto VI


Vibrações No Ar

Indicam Sempre

Que Eu Permaneço

Como Sou.

Vibrações No Mar

Indicam Sempre

Duas Vezes

Que Eu Permaneço

Como Sou.

Vibrações Na Terra

Indicam Sempre

Três Vezes

Que Eu Permaneço

Como Sou.

Vibrações No Éter

Indicam Sempre

Quatro Vezes

Que Eu Permaneço

Como Sou.

Vibrações No Fogo

Indicam Sempre

Cinco Vezes

Que Eu Permaneço

Como Sou.

As Vibrações

São Invisíveis Fogos,

Sopros De Calor

Dos Meus Pulmões,

Que São As Coisas

Que Presentes Estão

Em Toda Natureza.

Eu Vibro Em Vós

Como O Ramalhete

Cheio De Chamas

Que Cresce Na

Ondulação Das Ondas

Do Vosso Coração.

Eu Vibro,

Vibro Voando

Em Direção

Ao Repouso Desconhecido

Por Vós,

O Mais Profundo,

De Vosso Coração.

Eu Vibro,

Soprando Chamas

Em Direção

Aos Caminhos Todos

Das Estradas

De Vossos Corações.

Eu Vibro Como O Fogo

Que Eu Sou.

Eu Sopro Como O Fogo

Que Eu Sou.

Eu Sopro O Sopro De Fogo

Que Te Dá Calor.