quinta-feira, junho 18, 2009

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - O Anjo Inominável Do Amor - Canto I


Um homem de rosto ferido,

nu,

envelhecido,

cabelos brancos,

em meio a um corredor

cheio de trevas.

Sua mãe,

rosto ferido,

nua,

envelhecida,

em meio a um corredor

cheio de trevas.

As trevas do corredor

carregavam névoas

de afastamento

do luzidio

e do calor.

Nus eles estavam,

nus,

diante do

Agressor,

Mas,

diante deles,

com pés dourados,

asas abertas,

sorriso no rosto,

luz nas faces,

surgiu um dos mais

Belos Anjos Inomináveis.

Roupas se estenderam

diante do homem

e de sua mãe,

as trevas ganharam

luzes

e as luzes e as trevas

contrairam matrimônio.

Anjo Do Amor

que nomes não podem

definir,

Anjo Do Amor

que platéias dos mundos

não podem ver,

Anjo Do Amor

que apenas se aproxima

para aliviar toda dor.

Anjo Inominável Do Amor,

que não pede

a alma,

que não pede

o espírito,

que não pede

a mente,

que não pede

o corpo.

Anjo Inominável Do Amor,

Daqueles Guardiães

que apenas surgem

quando feridas n'alma

tendem a mui crescer.

Anjo Inominável Do Amor,

fazendo aquele homem

rejuvenescer,

fazendo aquela mãe

rejuvenescer,

dando uma esperança

que faz neles renascer

a fé na Unidade

que nenhuma palavra,

humana palavra,

é capaz de descrever

Em Verdade.

No Dia,

Ele Domina.

Na Noite,

Ele Domina.

Anjo Inominável Do Amor:

querem Saber

o nome

Dele?

Com sinceridade,

queiram encontrar

O Verdadeiro Amor

A Bater Suas Asas

Por Toda Cor

Que Brilha

Nos Sóis,

Nas Luas,

Nas Estrelas.






4 comentários:

Hellena disse...

Enquanto te lia, uma palavra não saiu da minha cabeça ...
Reconciliação
Bjssssss

Inominável Ser disse...

Uma grande reconciliação com um lado de minha natureza que não pode deixar de ser ampliada e desenvolvida, Hellena, de maneira nenhuma...

Adriana Godoy disse...

Inominável e Admirável Ser...que belos que voos nos proporcionam seus poemas nas asas da poesia, nas asas desses anjos. Bravo. Beijo.

Inominável Ser disse...

E nas asas assim batidas, Adriana, tu venhas aqui também abrir as vossas quando quiser...