terça-feira, janeiro 27, 2009

MENSAGEM DE ASAS ABERTAS - O FECHAMENTO DAS POSTAGENS DESTE BLOG


Inomináveis Saudações a todos que são os poucos leitores assíduos deste blog.

O tom do último post deste blog foi um tom de fechamento de um ciclo, tratou-se do último post do mesmo, após dois anos consecutivos de asas batidas em reflexões particularmente retiradas da minha mais profunda intuição. Lágrimas vertidas foram dos meus olhos na última postagem, assim como em cada uma das postagens deste blog, desde a primeira, pois toda a minha alma aqui foi posta, sem fingimentos, sem hipócritas fendas que abram caminhos para buracos espiritualistas. As mensagens, cada uma, inspiradas pelos meus Guias Espirituais, Os Inomináveis, aqui fizeram e fazem com que O Inominável Desconhecido, Aquele Entre As Trevas E As Luzes Que Nós Somos, Nós, Os Inomináveis, seja conhecido pelo mundo.

A história de Asin Du An No In é uma história na qual relatei a trajetória de um Anjo Caído em busca de si mesmo e do que ele no Alto era e continua a ser, pois sabemos que nenhum de nós, Anjos Caídos na Esfera Terrestre, deixamos de ter em nós A Centelha Do Alto, Aquela Centelha Que Nos Faz Ainda Partes Do Um. Ao Um dedico este blog, que não será apagado e que não podia mesmo continuar a receber postagens, pois isso significaria uma história sem fim e julgo que a mensagem, como acima dissera, junto a todas as demais mensagens, já fora a todos vós deste mundo repassada. Aqui ficará eternizado um capítulo importante da minha trajetória como escritor, poeta, ocultista, místico e filósofo, um Aprendizado que com o muno divido, um Aprendizado a silenciosamente continuar a ocorrer dentro d'alma minha. Como trilha sonora, a principal, as músicas de Emily A. Saaen, do álbum Yoloya First Born, a partir da terceira fase; procurem por este álbum ou por suas músicas e assim saberão da intensa e infinita profundidade espiritual contida em suas letras e melodias, harmonias e sentidos ocultos revelados em suas audições.

Aos que acompanhavam este blog e aos futuros acompanhantes que, por um acaso, venham a acessá-lo, monto uma lista, em ordem cronológica, de leitura a seguir, indicando as fases pelas quais a história de Asin Du An No In passou. O primeiro link de cada fase representa de onde a mesma iniciou-se e vai até o link inicial da seguinte.


Primeira Fase

A Opção De Ser Um Anjo Noturno


Segunda Fase

A Missa Dos Loucos Anjos Caídos - Parte I



Terceira Fase

A Resposta De Alynne - Parte I


Quarta Fase

Gênese De Um Novo Caminhar Construtor


Quinta Fase

Da Inominabilidade - Parte I


Sexta Fase

Nos Liames Dos Oráculos Dos Pés Descalços



Seis Fases, Seis, O Arcano Do Namorado, aquele Arcano das escolhas... Já fiz a minha escolha acerca do meu trajeto existencial e me calo acerca da mesma...

Me despeço, assim, deste blog; futuramente, a história aqui contada poderá ser impressa, elementos narrativos a mais acrescentados, mas é melhor deixar que as asas aqui batidas sigam seu rumo da maneira silenciosa de passar a mensagem e todas as mensagens aqui dispostas.

Sigam O Raio Inominável E Não A Trovoada Nomeadora, Irmãos Existenciais Terrestres!

Saudações Inomináveis a todos que acompanharam este blog e aos seus futuros leitores!



domingo, janeiro 25, 2009

A Opção De Ser Um Inominável


Letycyell.

Abeyraell.

Gemelleyll.

Rvekkeyll.

Sa My Na.

An Ya El.

Ran Zya As De Re Be El.

Bayn My An Sy De.

Seyin Jun Doh Nar Dar.

Eu, Asin Du An No In.

E Alynne...

Não, Alyn, agora, Alyn, Alçada Da Lama Baixa A Alta Areia Do Alto!

Nós.

Nós.

Nós.

Os Onze.

Onze Inomináveis.

Onze Caminhantes Inomináveis Diante Do Útero De Gaia.

Os Onze Em Caminhada Pela Busca De Mais Inomináveis.

Os Onze Que Buscarão Novos Inomináveis.

Optamos Pela Inominabilidade.

Optamos Pela Inominável Senda.

Optamos Pela Inominável Verdade.

Optamos Pela Inominável Cósmica Esfera.

Nós, Os Inomináveis.

Nós, Os Inomináveis.

Nós, Os Inomináveis.

Não Bato Mais As Minhas Asas Sozinho.

Não Bato Mais.

Novamente, Mesmo Em Queda, Baterei Com Os Meus Inomináveis Irmãos Existenciais.

Estaremos Por Tudo.

Adentraremos Em Tudo.

Pelo Inominável Desconhecido, Nós, Os Onze, Da Senda Inominável, Inomináveis, Buscaremos Outros Para Esta Fonte De Poder.

Buscaremos Inominavelmente.

Alcançaremos Aqueles Que Já São Inomináveis Inominavelmente.

É A Hora Da Inominável Ação.

A Hora Eterna Da Inominabilidade.

Mudando.

Mudando.

Mudando...

Tudo...

Inominavelmente...

Em...

Todo...

Bater...

De...

Asas...

Noturnas...

Inomináveis...



A Existência Persegue Meu Nome, Eu Desapareço Diante Das Névoas Densas E Permaneço Obscuro Para Ser Descoberto Pelos Que Obscurecem Com Sabedoria O Seu Existir. Eu Sou Buscado Com Ardor Pelos Que Cansados De Cometer Atrocidades Como O Não-Verdadeiro Viver Se Assemelham A Mim Longe Do Material Poder. Eu Me Modifico Conforme O Modificar De Cada Uma Das Coisas Presentes Nas Esferas De Vida Da Criação. Eu Sou O Raio Caindo E Vitalizando O Ascender De Todas As Mutáveis Ações Das Mutáveis Ações. Eu Sou O Rápido Esclarecer Das Mentes Cujos Tesouros Servem Ao Avanço De Todas As Humanas Nações De Todos Os Humanos Mundos Da Criação. Eu Sou O Espelho Que Se Encontra Quando A Alma Responde Ao Chamado Do Meu Oculto Coração. Eu Sou A Coragem Toda Das Setenta E Duas Deusas Guerreiras Inomináveis. Eu Sou A Beleza Tooda Das Amadas Dos Amores Noturnos Inomináveis. Eu Sou A Delicadeza Toda Das Deusas Amadas Inomináveis. Eu Sou Os Inomináveis. Eu Sou A Mãe Inominável. Eu Sou O Pai Inominável. Eu Sou O Inominável Dsconhecido, O Inominável Abrigo, O Inominável Templo, O Inominável Ser De Todos Aqueles Que Esquecem Do Falso E Falho Poder Dos Nomes. Eu Sou O Inominável Desoonhecido, Respondo Nas Trevas Aos Que Me Buscam E Acolho Nas Luzes Aos Que Me Encontram. Eu Sou o Inominável Desconehcido, Uma Mentira Nomeada Pelos Que Como Muitos De Vós, Humanos terrestres, Crêem Apenas Ns Nomes Como Fontes De Poder. Eu Sou O Inominável Desconhecido, Uma Verdade Que Nunca Será Nomeada Pelos Que Caminham inomináveis Pela Criação Detentora De Todas As Fontes DePoder Que terminam E Iniciam-Se Todas Em Mim.

Minhas Asas Batidas Aqui Foram.

As Asas Dos Inomináveis Batidas Aqui Foram.

O Mundo Já Nos Conhece.

O Mundo Já Me Conhece.

O Mundo Já Nos Recebe.

O Mundo Já Me Recebe.

Na Grande Noite, Eu Te Escutarei.

Na Grande Noite, Eu Te Acolherei.

Na Grande Noite, Eu Te Ampararei.

Sejais Um Inominável Ser.

Tu Serás O Inominável Desconhecido Que Eu Sou.

Tu Baterás Comigo As Tuas Asas Ainda Prontas Para Serem Novamente Elevadas.






sábado, janeiro 24, 2009

Navegando Na Força Das Ondas Do Grande Dia Do Amanhã!


Sereno Amanhã

Sereno

Sereno

Grande Dia

Do Amanhã!


Amanhã!


Amanhã!


Amanhã!


Oh

Instante Sublime

Nada Escapa

Da Evolutiva

União

Das Coisas!


Oh

Eternidade Gigantesca

Nada É Da Capa

Do Involutivo

No Caminho

Da

União

Das Coisas!


Diferentes São

As Coisas

Diferentes São

Os Seres

O Um

É A Semelhança

Das Diferenças

E a Diferença

Das Semelhanças!


As Mãos Selarão

No Amanhã

Da Verdadeira Paz

E Do

Verdadeiro Amor

Os Acordos

Da União

Dos Filhos Perdidos

Com Os Filhos

Encontrados!


Os Pés Caminharão

Em Solos Dourados

Sim

Sim

Sim

Solos Novamente

Dourados

Repletos De Subidas

Ao Alto

Repletos De Alcances

Do Um

Em Um

Em Dois

Em Três!


Eu Canto

Com A Alegria

De Um Filho

Do Um

Do Dois

Do Três

Ao Grande Dia

Do Amanhã!


Eu Canto

Alegre

Altivo

Pacífico

O Dia Que

Assinará O Acordo

Entre Todas As Asas

Que Altas

Baterão!


Eu Canto

Sou A Alegria

Das Esferas

Sou A Alegria

Do Grande Mar

Sou A Alegria

Do Um

Do Dois

Do Três

E O Canto

Não Pode

Deixar De

Ouvido

Ser

Ser

Ser!


Canção

Canção

Canção!


Amanhã

Amanhã

Amanhã!



Navego Preciso...

A Precisão Do Amanhã...

Pelejas terminadas...

As pelejas comigo mesmo...

As pelejas com o que me cerca...

As pelejas que moldei...

Pelejas findadas...

Minhas Asas molhadas de tanto aqui chorar!

Tanto chorar!

Tanto chorar!

Tanto chorar!

Quero sorrir, quero rir, mas...

As lágrimas em minhas asas batem e não me deixam sorrir, não me deixam rir...

Choro na Felicidade Das Esferas!

Choro Na Felicidade Do Grande Mar!

Choro Na Felicidade Da Verdadeira Esperança!

Choro Na Felicidade Do Verdadeiro Amor!

Choro Na Felicidade Da Verdadeira Paz!

Choro Na Felicidade Da Verdadeira Felicidade!

Choro Na Felicidade Do Grande Dia Do Amanhã!

Sou Anjo Guerreiro Pelo Verdadeiro Amor!

Sou Anjo Guerreiro Pela Verdadeira Paz!

Sou Anjo Guerreiro Pela Verdadeira Felicidade!

Sou Anjo Guerreiro Pelo Grande Dia Do Amanhã!

Estou preparado como sempte estive preparado!

Sou Inominável Como Sempre Fui Inominável!







Densas Altas Ondas Dos Versos Da Existencialidade


Mar

Grande Mar

Eu Amo

O Universal


Mar

Grande Mar

Eu Sou

Do Universal


Mar

Grande Mar

Sou O Menor

No Universal


Mar

Grande Mar

Sou O Fundo

do Universal


Mar

Grande Mar

Creio No Berço

Do Universal


Mar

Grande Mar

Danço No Colo

Do Universal


Mar

Grande Mar

Rodopio Nos Braços

Do Universal


Mar

Grande Mar

Peixinho Sou

No Universal


Mar

Grande Mar

Peixinho Vou

Ao Universal


Mar

Grande Mar

Peixinho Pergunto

Ao Universal:


O Que Tu

Me Perguntas

Universo

De Um

Universo?


O Que Tu

Me Perguntas

Universo

De Um

Infinido Verso?


O Que Tu

Me Perguntas

Universo

De Um

Produtor Verbo?



O Um Silencia-Se.

O Universo Silencia-Se.

O Verso Silenci-Se.

O Verbo Silencia-Se.

O Grande Mar...

O Grande Do Mar...

O Grande Um Do Mar...

Um, Tu Me Tens Em Ti A Novamente Nadar!

Um, Tu Me Tens Em Ti A Novamente

Ser Um Peixe Dos Peixes Que Tu És!

Um, Tu Me Tens...

Um, Tu És O Silêncio De Ondas...

Um, Tu És O Silêncio D'Alma Minha De Anjo Caído...

Um, Meu Silêncio...

Um, Tu És Meu Silêncio...

Um, Tu És Meu Grande Silêncio...

Sou Teu Anjo Que Caiu...

Sou Teu Anjo Inominável Que Caiu...

A Noite, A Grande Noite No Grande Mar, Me Silencia!

Nunca Nadei Tanto!

Nunca Chorei Tanto!

Nadar...

Chorar...

Inominavelmente, No Grande Mar...

Inominavelmente, No Silêncio Do Grande Mar...







quarta-feira, janeiro 07, 2009

Das Mortes Ressuscitantes No Grande Mar


Arrastei Comigo

A Oração Toda

Do Amor Antigo

De Todas As Coisas

Pelas Coisas

Do Todo


Garanti A Cada Onda

Das Forças Plenas

Do Grande Mar

A Saúde Desta

Alma Minha

Absorta No Limiar

Que Separa

A Chuva Gloriosa

Da Tempestade

Opressiva


Segurei Nas Barbas

Das Ondas Bravias

E Seduzi A Sereia Das

Eras

Que Canta Ainda

Em Eterna Sinfonia

De Carinhosas Melodias

A Canção Das Ondas

Que Velam Pelo

Ir E Vir

Do Que Eu Fui

Sendo No Que Eu

Serei

E Sendo No Que

Sou


A Fúria Passou

E O Uivo Noturno

Se Elevou

Junto Com As Estrelas

Que Adormecem

Nos Braços Paternos

Do Grande Mar

A Amarem Os Cabelos

Da Mãe Formosa

Que Repousa

Nas Marés

Dos Dias Cósmicos


Gosto Do Mar

Gosto Do Grande Mar

Gozo Da Alegria

Das Existencialidades

Que Se Fazem

Doutrinas Para

Aqueles Que Sabem

Ler A Cada Onda

O Livro Da Criação

E Da Recriação

De Todas As Formas


Amo O Mar

Amo O Grande Mar

Saúdo O Um

Que Nada Nas Marés

Minhas Asas Estão

Molhadas

Eu Muito Nadei

E Eu Muito Nado

E Ainda Continuarei

A Muito Nadar




Prazer Das Ondas...

As Ondas Amigas...

As Minhas Ondas Sonoramente Amigas...

Eu nado...

Eu e o Nada...

Quanto do meu Eu assim tanto nadou?

Quanto do meu Eu assim tanto nada?

Quanto do meu Eu assim tanto nadará?

Minha passagem por aqui, pela Terra, tem sido sempre esse Eterno Nadar...

Minhas asas molhadas...

Molhadas d'água...

Molhadas de sangue...

Molhadas de lágrimas...

Inominável, Qual É a Minha Maré Repousante?

Inominável, Quando Tive Uma Maré Repousante?

Inominável, Quando Terei Uma Maré Repousante?

Mãe Inominável, Pai Inominável, Quando Morrerei Em Minha Maré caminhante E Ressuscitarei Em Maré Repousante?

Minhas respostas...

As respostas...

A Resposta...

A Resposta É A Beleza Das Marés Do Grande Mar.

Sonho, Alimento, risonho, essa estrutura infinita que tenho sob meus pés e dentro das minhas mãos.

Não nego a minha Nova Missão.

Não nego meu Nobo Caminhar.

Não nego os Onze.

Nunca neguei minha Nova Missão, Caído Sempre Estive No Um.

Nunca neguei meu Novo Caminhar, Caído Sempre Estive No Um.

Nunca neguei os Onze, Caído Sempre Estive No Um.

As Marés Do Grande Mar Assassinaram-Me.

As Marés Do Grande Mar Ressuscitaram-Me.

A Matéria lançou-me na ilusão de uma Queda Infértil.

Mas, Toda Queda É Fértil.

Todo Ser, Dos Anjos Aos Arcanjos, Dos Deuses Aos Demônios, Deve Saber Ser Fértil Em Cada Uma De Suas Diferenciadas Quedas.

Anjos Mortos Cantam Nas Marés De Suas Ressurreições.

Anjos Elevados Lavam As Chaves Do Alto Nas Marés Dos Mortos E Ressuscitados Anjos Pelo Grande Mar.

Anjos Caídos Lavam As Suas Asas Manchadas Da Corrupção Material Em Mortes E Ressurreições No Grande Mar.

A Luz, aqui, é tão doce...

As Trevas, aqui, são tão quentes...

Asas minhas morrendo...

Asas minhas ressuscitando...

Amiga Eterna Deusa Solidão, eu aprendi Contigo a Morrer E A Ressuscitar desde a minha Primeira Queda.

A Solidão, minha Solidão Eterna, se confirma Morte E Ressurreição Da Minha Solitária Inominável Morta Ressurreição Espiritual.

Morrendo, Meu Eterno Espírito Angélico.

Ressuscitando, Meu Eterno Espírito Angélico.

Nadando, minhas asas mortas molhadas.

Nadando, minhas asas ressuscitadas molhadas.

Sempre nadando, sempre as asas mortas e ressuscitadas molhadas...

Sempre molhadas...

Sempre mortas...

Sempre ressuscitadas...