sábado, novembro 28, 2009

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - O Anjo Inominável Do Amor - Canto XVII


Estrelas Do Amar

No Grande Mar,

O Anjo

Risca

Em Vossas Páginas

O Nome

Do Verdadeiro Criador

Que Arde Nas Frontes

Dos Altos Filhos

Do Alto Amor!

Estrelas Do Amar

No Grande Mar,

O Anjo

Risca

Em Vossas Páginas

Todo Ato

De Criação

A Ondular

Do Verdadeiro Criador

Revelado No Nascer

E No Transformar

Dos Dias

E Das Noites,

Do Sol

E Do Luar!

Estrelas Do Amar

No Grande Mar,

O Anjo

Risca

Em Vossas Páginas

O Sopro Moldador

Dos Firmamentos

Das Auroras

E Dos Crepúsculos

De Todos

Os Mundos

E De Todos

Os Rumos

Do Verdadeiro Criador

Presente Nas Estrelas

Do Interior

Dos Seres!

O Anjo,

Com Amor,

O Amor Das Estrelas

Do Amor,

avisa que

O Verdadeiro Deus

É Uma

Infinita

Estrela

No Interior

De Todos

Os Seres,

No Interior

De Todas

As Coisas!

O Anjo,

Brilhando Junto

No Âmago Profundo

Da Una Estrela

Do Pai E Mãe

Da Criação,

avisa que

Este Mesmo

Pai,

Esta Mesma

Mãe,

É

O Verdadeiro Deus,

É

O Verdadeiro Criador,

É

Essência,

É

Estrela,

É

Amor!

O Anjo,

Brilhante

Na Inominável

Estrela Do Amor,

Avisa que toda

mais bela visão

oriunda da Flor

que gira ativada

pelo coração,

toda mais bela visão

do Um

Que É Tudo,

do Um

Que É Todos,

do Um

Que É O Todo,

Forma A

Una Estrela

Que Infinita Brilha

Apenas Sendo

Amor,

Amor,

Amor,

Amor,

Amor,

Amor,

Amor,

Amor,

Amor!

As Grandes Jarras

Da Senhora Das Estrelas

Do Amar

Derramando Todo

O Amor

Do Oceano Estelar!

E Todas As

Altas Amorosas

Estelares Ondas

Apontam Para

Os Filhos Do Bem

Que O Anjo,

Sacudindo Estrelas,

Amorosamente Envolve

No Tecido Do Luar

No Dia

E Na Noite

Da Criação!








sexta-feira, novembro 27, 2009

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - O Anjo Inominável Do Amor - Canto XVI


A Alta Torre

ergue-se

soberanamente

amparada no

Infinito.

A cada andar

Dela,

em cada molécula

de Sua Forma,

executa-se um

Movimento,

O

Uno Movimento.

Infinitamente,

Anjos estão perfilados

pelos andares,

perfilados na

Una Oração

Da Perfectibilidade.

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio,

Silêncio

Na Consciência

Da Unidade...

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio,

Alto Silêncio

Consciente

Na Unidade...

Dança Sublime

vai serpenteando

em risos d'amor

pela Alta Torre,

O Anjo Inominável

Do Amor

Canta Alto,

O Anjo Inominável

Do Amor

Dança Alto,

O Raio Inominável

Do Amor

Atinge

A Alta Torre,

Cai,

Cai,

Cai

A Mentira

Da Materialidade,

Sobre As Consciências

Dos Libertos

Eleva-Se,

Eleva-Se,

Eleva-Se

A Una

Consciência

Da Una

Verdade!

Libertos atingem

Seus Raios

De Verdades,

Inominavelmente

Nascem

Novos Raios!

Os Libertos,

Ah,

Os Libertos,

Pelo Grande Espírito

Da Verdade,

A Una Verdade,

Dançam E Cantam,

Cantam E Dançam,

Com O

Anjo Inominávwel

Do Amor

em redor,

pelos arredores,

dentro,

sempre dentro,

da

Alta Torre,

da

Torre Da Unidade!

Libertos,

Os

Libertos,

Ah,

Os Libertos,

No Hino Do Raio

Do Amor,

Tocando O Sino

Da Eterna Religião

Do Amor,

Pela Caridade,

A Mais Alta Forma

Do Amor,

Ao Lado Do Anjo

Que É

Essencialmente

Amor,

Lançando,

Lançando,

Lançando

Raios Conscientes

De Una Verdade

Na Una Verdade

Aos Que Também

Se Libertarão

Para Juntos Estarem

Com Eles

Na Vestimenta

Da Alta Torre

Em Infinita

Ação!

Infinito Raio

De Amor

A Cair!

Infinito Raio

De Amor

A Sair!

Infinito Raio

De Amor

A Ficar!

E A Temperança

Das Coisas Amantes

Do Uno Amor

Derramando Do Seu

Amoroso Jarro

O Oceano

De Infinito Mar

Do Amar

Presente Nas Estrelas

Do Grande Mar!







quinta-feira, novembro 26, 2009

As Poéticas Crônicas De Asin Du An No In - O Anjo Inominável Do Amor - Canto XV


Uma palavra é dita

e suas forças

ecoam íntimas

do Pórtico Maior

Do Umbral Universal.

Diversos Viajantes,

Eremitas

Não-Vacilantes,

Pesdcadores

Não-Atuantes,

Trabalhadores

Não-Falantes,

orando mentalmente,

com as mãos postas

nos corações

e caminhando lentamente,

se aproximam

do Pórtico Maior.

O Anjo paira

sobre todos Eles,

enviando-lhes vibrações

com o bater de Suas

amorosas asas,

todos sorriem recebendo

amorosas dádivas,

todos sorriem lendo

em Suas almas

amorosas cartas.

Todos param diante

do Guardião Do Umbral,

Aquele Que Olha

Para O Alto,

Aquele Que Olha

Para O Baixo,

Aquele Que Olha

Para O Meio,

Aquele Que Guarda

O Caminho Para

O Uno Caminho,

O Uno Horizonte,

O Uno Lado.

Diante Dele,

com a gravidade

dos pés limpos,

a serenidade da

lótus frontal a brilhar,

a humildade da

coroa em redor

da formosa cabeça

a infinitamente

pesar,

cada Eremita,

não mais

cansado,

não mais

abalado,

não mais

sofredor,

repousa uma branca rosa

retirada de seus corações

ao solo

e adentra,

então,

além do Umbral,

no Uno Solo.

O Anjo,

a cada um dos que

ultrapassam

o Pórtico Maior,

grava n'alma

O Selo Do Amor

com um beijo

presente na

ternura necessária

advinda dos ares

do Alto Amor.

O Anjo,

saudando amorosamente

O Eterno Guardião

De Cinzentas E Brancas

Vestes,

exalta em cânticos

na Alta Linguagem

a chegada dos

Filhos Do Alto Amor

ao Pai E Mãe

Da Eternidade,

à Sublime

Unidade,

Mãe E Pai

Da Universalidade.

Cada branca rosa

ao solo deixada

pelos Eremitas

que atravessam o

Pórtico

forma um jardim

cujas coroas

de alvas eternas

formas

circundam as

Altas Regiões

Amorosas.

O Anjo sobe

para Esferas

Mais Altas,

acompanhando os

Jardineiros Celestiais

nos cuidados para com

o regar

das brancas rosas.

O Anjo chega

a uma Esfera

Do Uno Pensamento

e se posiciona ao alto

da Torre De Todos

Os Firmamentos,

vigiando as consciências

dos seres que se

encaminham

em direção ao Umbral.

E não se esquecendo,

com o mesmo

Amor Incondicional,

de velar pelos que ainda estão

tão longe do Alto

quanto os Deuses Abismais

estão longe

dos Deuses Celestiais.

Mas,

O Alto Amor

a todos unirá

no Grande Dia

Do Amanhã,

no Grande Dia

Do Espírito Da Verdade.

E A Torre sediará

Aqueles Que Apenas

Unos Pensarão

No Pensamento

Da Unidade.

Altas Marés

Banham

A Mente

Da Unidade.

Altas Marés

Banham

Os Pensamentos

Da Unidade.

Altas Marés

Formam Oceanos

Que Pensam E São

A Unidade.

Torre De Vigília.

Torre Da Verdade.

Torre Da Unidade.