domingo, outubro 19, 2008

Bravias Ondas Da Serenidade Do Grande Mar


Não vou correr em direção ao Útero De Gaia, não devo correr para lá de volta. Eles estão em diálogos agora que não necessitam de minha presença, eles precisam desses diálogos para sentirem Além da minha presença, vista por eles como a Presença de um Mestre. Há tempos, muitos séculos atrás, eu caminhei neste mar, Apaydashea... Eu me recordo da canção do Guardião Das Ondas Do Grande Mar como se a mesma ainda estivesse sendo por Ele entoada...



A Alma Navega

E O Maior

Dos Altos Sonhos

Começa!


Eu Navego

E Meus Braços Alcançam

Todas As Praias!


Eu Navego

E Meus Pés Pisam

Em Todas As Praias!


Eu Navego,

O Grande Mar

É Meu!


Eu Navego,

Eu Sou

Do Grande Mar!


Eu Navego,

Eu Sou

O Grande Mar!


Grande Mar,

Navego Na Felicidade

Do Vosso Existir!


Grande Mar,

Navego Nas Pérolas

Do Vosso Existir!


Grande Mar,

Grande Mar,

Grande Mar,

Grande Mar,

Grande Mar,

Grande Mar,

Grande Mar,

Arrisco Um Nado A Mais,

Quero Arriscar

Nadar Mais!




Cantar...

Anjos Caídos Cantando São Como Rouxinóis Vorazes Pedindo Por Alimentações Mais Capazes.

Quando cantei da última vez...

Quando eu cantei da última vez...

É, isso é Dor Quedante...

Dor Quedante...

Quando eu cantei da última vez...

Ainda Batia As Minhas Asas No Alto...

Caminhei aqui por cima dessas águas cantando...

Esta mesma música eu cantei ao lado do Guardião...

A mesma música...

Como não é distante de mim aquele momento...

Como não é imperfeita em mim a lembrança daquele momento...

Quantos momentos os Seres perdem por serem distantes e imperfeitos ante seus Verdadeiros Momentos...

Seres, pelas Esferas, chorando, sem Saberem de seus Verdadeiros Momentos...

Seres, pela Terra, chorando, eles não nadam em seus Verdadeiros Momentos...

Eloá se foi da Matéria...

Daniela se foi da Matéria...

João Pedro se foi da Matéria...

Alana se foi da Matéria...

Quantos, assim, se irão da Matéria enquanto não se continuar a...

Ah, o que digo...

Ah, o que eu digo...

Ah, o que eu deveria dizer...

Ah...

O que eu já disse...

Como eu já caminhei pelo mar do humano sangue a cada vez mais crescer...

Anjos Chorando Agora...

Anjos Caminhantes Comigo Aqui Agora, Acima Destas Ondas...

Anjos Elevados...

Meus Irmãos...

Anjos Caídos...

Meus Irmãos...

E Os Elevados Acima Da Matéria...

E Os Caídos Abaixo Da Matéria...

Meus pés pesam...

Minhas asas...

Ah, minhas asas!

Baterei para retirar do Sangrento Destino Do Mar Material Alguns Todos!

Mas, pelo Inominável Desconhecido, como, como, COMO, eu gostaria de fazer com que todos os seres humanos do Planeta Terra pudessem, agora mesmo, caminhar por cima das Ondas Do Grande Mar...

Tão sereno...

O Grande Mar...

De serenas águas bravias...

O Grande Mar...

Grande Mar Em Mim Serenamente Bravio A Ondular....







Nenhum comentário: