quinta-feira, outubro 16, 2008

As Noturnas Luzes Do Dia Interno


Sacudo A Antiga Veste...

Sacudo A Antiga Gota De Chuva Silvestre...

Sacudo A Antiga Poeira Cósmica Fértil...

Tranquilo...

Tranquilidade...

Penso...

Penso...

Penso...

Minha Morada Interna Sacudo...

As Janelas Internas D'Alma Minha Sacudo...

As Portas Internas d'Alma Minha Sacudo...

As Paredes Internas D'Alma Minha Sacudo...

Não Há Mais Gelo...

Não Há Mais Sede...

Não Há Mais Amargo...

Não Há Mais Sabores Delgados...

Não Há Mais Sabores Indelicados...

O Dia D'Alma Eterna Minha...

Consigo Novamente Ver As Estrelas...

Consigo Novemente Ver As Luas...

Consigo Novamente Ver Os Sóis...

Consigo Novamente Me Ver Adormecer Aos Pés Das Constelações Universais...

Consigo Novamente Me Ver Despertar Ao Colo Da Grande Mãe Universal...

Mãe Inominável, Com Que Se Parece Novamente O Meu Olhar?

Pai Inominável, Com Que Se Parece Novamente O Meu Desperto Ser?

Olhos...

Ser...

Está Tudo Clarificado...

O Clarificado Se Torna Expansivo Dos Meus Internos Campos...

Uma Ponte Não Me Divide Mais...

Um Precípicio Não Me Condena Mais...

Um Abismo Não Me Angustia Mais...

Sair De Mim Em Mim...

Ficar Em Mim Apenas Diante De Mim...

Este Espelho Do Mundo mostra-me tudo da Humanidade, a confusa Humanidade...

Eu abraço os passarinhos feridos...

Eu beijo os pequenos humanos perdidos...

Eu tenho como meus Grandes Irmãos a todos os perseguidos...

Tenho todos os humanos e, ao mesmo tempo, eles nem a si mesmos tem...

Ainda não podem ter a si mesmos...

Ainda não podem Bater Asas No Alto...

Poderão, apenas, quando perceberem que O Alto É O Objetivo Derradeiro De Todas As Almas Eternas Moldadas...

Meu Objetivo, Quedante E Elevado...

Cada Objetivo Inominável, Eleva E Faz Caor...

Por Que Elevar-Se Sem Antes Cair?

Por Que Cair Sem Antes Elevar-Se?

Por Que Considerar Apenas A Elevação?

Por Que Considerar Apenas A Queda?

Bato Asas Nas Trevas...

As Trevas Da Minha Queda...

As Trevas Da Minha Elevação...

Bato Asas No Abismo...

Pelo Abismo Novamente Caio...

Pelo Abismo Novamente Elevo-Me...

Pelo Alto, Quão Bom É Assim Ser Gigante De Pedra E De Aço Quebráveis Que Se Digladiam Pela Esperança Do Inquebrantável!






Nenhum comentário: