sexta-feira, agosto 22, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte XI


- Os resultados dos meus atos, Mestre Jesus, me posisionam favoravelmente como um esquecível ser que falhou em suas empreitadas. Eu Amava Angelicalmente As Altas Alturas Infinitas Das Altas Esferas e decidi por me unir ao Amor Materialmente Finito Das Baixas Alturas Infinitas. Fui Um com várias mulheres e amei apenas a primeira delas, Lydyan, pela qual Cai... Infinita Ironia é agora estar aqui, diante do Senhor, para reclamar desses fracassos em meu Quedante Existir...

- A Inglória Infinita É Tecer A Narração Das Quedas Que Ensinam A Melhor Construir A Glória Mais Infinita.

- Não sou O Peixe Mais Pleno, Mestre Jesus.

- Nades Mais, Respires Mais, A Sagrada Pesca É Ainda Capaz De Cativar-Te Na Profunda Estância De Tuas Ainda Celestiais Profundas Verdades.

- O Peixe Pleno É Parada De Momentos Incessantemente Celestiais... O Senhor de uma Glória Futura, minha Glória Futura, mas como jamais fui Glorioso no Alto, serei Glorioso no Baixo? Qual A Atitude Infinita Melhor: Descer Consciente De Suas Limitações Nos Abismos Existenciais Ou Realizar Mentiras Existenciais Acerca De Uma Inexistente Potência Existencial?

- As Potências São Mínimas Ondas, Asin, Que Os Filho Da Erva Abençoada Colhem Nas Areias Das Praias Mais Desertas.

- Isso tudo está acabando, Mestre Jesus...

- O que se finaliza, Asin?

- Sou transitório em minha imortalidade condenatória... Sou efêmero mais do que penso acerca do meu discernimento em continuar a caminhar batendo bem as minhas asas... Sou finitude errática em um solo de entradas acertadas no abismal conduzir-me ao meus Mais Cair... Falhei... Falhei, Mestre Jesus... Falhei...

- A Escrita De Teu Livro Existencial Ainda Proclama O Teu Caminhar, Asin.

- Ele Proclama Algo Que Não Escrevo Nas Areias Do Deserto Existencial...

- Perigas de tu estares certo.

-Eu estou certo, Mestre Jesus! Não suporto mais a Errônea Escrita de minhas Quedas! Não suporto mais a Errônea Palavra de minhas Quedas! Não suporto mais o peso da Inominabilidade que não pedi para me acompanhar em cada uma das minhas Quedas!

- Perigas de tu estares errado.

- Correto, Errado... Qual A Importância Diante Do Oceano Do Fim Das Caminhadas, Mestre Jesus? Isto acabaou... Acabou...

- Perigas de eu estar errado.

- Tu nunca erras, Mestre Jesus, nunca!

- Erro por te tratar como ovelha mansa, mas tu és um Guerreiro Forjado Nas Quedas, Um Forte Em Asas Noturnas Inomináveis Que Ainda Batem Bem Alto.

- Minha Força quer O Esquecimento Das Coisas Quedantes... Minha Força... Força... Que Força, Mestre Jesus, devo ainda ter para continuar aqui neste mundo defendendo uma das Bases De Poder Do Um?

- Perigas de eu estar certo.

- Por que este jogo de palavras, Mestre Jesus?

- Por que tu não jogas com as Palavras, Asin?

- As Palavras... O Grande Jogo Das Palavras...

- O Verbo Se Faz Senhor De Suas Muitas E Determinadas Luzes.

- Que tipo de convecncimento ou Visão quer me conceder, Mestre Jesus? A do Grande Dia Do Amanhã? Este Dia pode Realizar-Se sem a minha inominável interferência.

- Tua Interferência, Asin, É O Jogo Da Vitória Do Grande Dia Do Amanhã.

- Isso não é um Mistério para mim, Mestre Jesus, mas não aceito. Anjos Caídos Não São Heróis.





Nenhum comentário: