quinta-feira, abril 17, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte VI


- Trino Poder Força Todo Ser, Asin, Ao Carregar Da Cruz Da Criação. Trina Força É De Todo Ser, Asin, O Bastião Da Cruz De Toda A Verdadeira Razão. Ao querer desistir, Asin, da tua Nova Caminhada, tu estás apenas Desistindo Da Inominável Cruz Da Tua Inominável Estrada. Triunfante Todos Podem Ser Nas Cruzes Eternas Das Dores, Das Dúvidas E Das Lágrimas. Triunfantes E Filhos Da Trina Estrada, A Estrada Mãe Do Sangue Na Cruz, A Estrada Pai Do Sangue Fora Da Cruz, A Estrada Filha Do Sangue Germinando Do Solo Abaixo Da Cruz. A Estrada Da Cruz É A Estrada Maior Dos Verdadeiros Filhos Das Montanhas, As Altas Montanhas Da Criação. A Estrada Da Cruz, Asin, A Espada Caída, A Espada Quebrada, O Valor Da Guerra Na Estrada Da Cruz É O Valor Dos Que Lutam Para Ser Exemplares Para Os Que Alçam Altos Vôos. Tais Seres não são heróis e nem são diferentes de todos que ainda não Despertaram, seja através da Noite Sagrada De Todas As Coisas ou do Dia Sagrado De Todas As Coisas. Não há heróis coroados com falsos louros, Asin, entre os que percorrem A Estrada Da Cruz. Antes de desistir da tua Nova Caminhada, lembra-te de todos aqueles que abaixo dos céus de todos os Mundos Da Criação carregaram suas Cruzes sem o temor do escárnio, do ódio e dos gritos de deboche dos que Adormecem Nos Braços Da Fruta Apodrecida. A Fruta Saudável, A Fruta Eternamente Saudável, Agradece Quando Alimenta Os Carregadores Felizes E Eternamente Altos De Suas Próprias Cruzes. Sorrisos de pequeninos, sorrisos de crianças, é com sorrisos assim, Asin, que Todos Os Seres Devem Apoiar O Peso Da Cruz Nos Corpos Que Lhes Cabem, Os Corpos Conhecidos, Os Corpos Desconhecidos. Não se gabam da Libertação Concedida Pela Cruz todos aqueles que derramam seu sangue pelas Inspirações que fazem ser influentes sobre determinados seres de todas as Humanidades. Eu Triunfiei Em Minha Cruz Nos Braços Do Um. Triunfei Sorrindo. Triunfei Dolorido. Triunfei, Asin Du An No In, E Estou Nos Lábios De Todos Os Seres De Mundos Daqui Deste Mundo E De Outros Mundos E Neste Mundo Mesmo Apenas Como Um Que Soube Caminhar Na Estrada Da Cruz. Não salvei a Humanidade, não salvei as Humanidades, Sou O Verdadeiro Cordeior Que Sangra Ainda Pela Perdida Humanidade Terrestre. Eu Sangro, Eu Choro, Eu Oro, Eu Tenho Em Meu Olhar Cada Um Dos Seres Humanos. Eu Sangro, Sangro Como Governador E Pai De Bons E De Maõs Aos Olhos Do Kosmos E Na Inatividade DoAlém Do Kosmos. Três Vezes Sangro, Três Vezes Choro, Três Vezes Oro, Três Vezes, Asin, Três Vezes Acalento E Velo Tanto Pelo Assassino De Crianças Quanto Pelo Protetor De Toda Existência Humana E Animal De Carne Humanamente Material. Meu Cálice É Trino, Três Vezes Bebo Do Sangue Da Humanidade Terrestre E Sorvo As Tristes Lágrimas Dos Ainda Pacíficos Desconhecidos Campos Silvestres. Somo A Arena E O Palco, Asin, Suavizo Os Rebentos De Ar Infeliz E Os Sedentos Pela Febril Violência, Asin. Esquecem De Mim, Lembram De Mim, O Um Em Três E Em Mais De Três Infinitudes Trinas, Motiva-Me, Asin. O que não mais te motiva, Asin?

- O que me motivava desde que Caí Do Alto, Mestre Jesus?

- Tuas Asas Batiam Em Nome Do Inominável Desconhecido Desde Que Tu Caistes, Asin.

- O Anjo, Mestre Jesus... Eu, O Anjo, Anjo Caído Noturno Inominável, Anjo Noturno Inominável Caído, Mestre Jesus... Cansei Da Semente... Não Planto Nada Mais Na Corrente... Meu Livro Queimou-Se...

- Não Queres Escrever Um Novo Livro Teu, Asin?

- A Pena Perdi Quando O Bater Meu Não Escreveu Mais As Páginas Do Meu Alto Voar, Mestre Jesus...

- Anjo De Triste Paragem, Por Que Ficas Assim caindo Em Tristes Idades?

- O Sonho... O Alto Sonho... Perdi-O, Mestre Jesus... Perdi-O... Perdi-O...

- Tu Sabes Beber Do Cáice Doloroso, Asin. Bela Dele E Aja Em Teu Novo Ir.

- Meu Novo Ir eu temo, Mestre Jesus...

- O Não-Ir É O Que Tu Devias Temer, Asin.




Nenhum comentário: