sábado, abril 12, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte V


- A Outra Carne, A Estreita Paragem. O Outro Espírito, A Perfeita Passagem. Asin, quandos os Seres se notam diante da Povoada Senda Das Ondas Dos Grandes Mares No Grande, Olham estupefatos para os Gigantes que são A Outra Carne e O Outro Espírito. Pequenos Peizes Pesquei No Horizonte Da Humanidade E Grandes São Os Demais Peixes Que Ainda Devem Ser Pescados. A Terra, o Planeta Terra, Asin, que Vemos em Sua Verdadeira Face, Face De Outra Carne, Face De Outro Espírito, passa por uma fase de transformações que são Frutos do que ocorre nos Planos Do Baixo. É A Hora Do Recado Dado E Não Do Recado A Dar, A Hora Do Texto Aprovado E Não Do Texto A Escrever, A Hora Do Prato Preenchido Pela Alimentação Que Visa Mais Alimentar E Não A Do Prato Já Desgastado Pelas Eras De Insensatez No Humano Mar. Reparas, Asin, no nadar dos peixinhos e nos sorrisos das crianças perto do mar? Reparas, Asin, no cantar dos passarinhos em horas sombrias e no calor dos rostos suados em horas de alegria? Reparas, Asin, no humilde que rasteja diante da vazia certeza de ser algo maior do ímpio que rumoreja? Reparas, Asin, na atitude do vento diante da folha que está morta ao solo e na atitude da árvore diante dos animaizinhos que nela adormecem? Reparas, Asin, no brilho do sol em recantos alados e no brilho do luar em recantos sofridos? Sim, Asin, tu reparas, É O Olhar De Tua Outra Carne, É O Olhar Do Teu Outro Espírito. Separais em cadinhos de forças que tu mesmo possas agitar cada passo das Coisas De Tua Outra Carne. Vibres como um pescador de rede extensa a cada Ondular De Teu Outro Espírito. Surjas como um filhote ajoelhado diante do trono dos Leões Que Governam e de mil e mil passos de nove rodelas de um caminho atrelado de glórias, Asin, Alcances O Vazio Da Obra De Tua Outra Carne, Da Obra Do Teu Outro Espírito.

- Caminho atrelado de glórias, Mestre Jesus... Que caminho atrelado de glórias é o meu?

- Tu És.

- Compreendo meu Ser, Mestre Jesus, mas O Glorioso... Em um Ser Quedante... Um Ser Caído...

- O Glorioso Nem Sempre Precisa Transitar Entre Os De Altas Asas, Asin.

- Chama E Glória perdi, Mestre Jesus...

- A Chama De Tua Outra Carne É Tua Inominável Glória E A Glória De Teu Outro Espírito E A Tua Outra Inominável Chama, Asin.

- Não pesco nesses Mares, nem pesco em Outros Mares, Mestre Jesus... Olhos e asas minhas doentes e mais quedantes do que as minhas Quedantes Marchas...

- A Terra Pisada Não Se Equilibra Em Pés Mornos, Asin. A Terra Pisada Pelos Fortes De Todas As Fontes De Poder É O Que Produz A Belelza Da Suave Onda Do Verdadeiro Ser. Como seriam as coisas terrestres sem Os Filhos Elevados De Todas As Fontes De Poder? Como Seriam As Coisas Da Criação Sem Os Filhos Do Um Revelados Em Suas Respectivas Fontes De Poder?

- Elevado...

- A tua aflição, Asin, agride a Inominabilidade.

- A Agressão Eterna contra a Inominabilidade é a minha continuidade no Planeta Terra, no Plano Material...

- Não te exponho ao sofrido momento de obrigá-lo a desistir de tua idéia de não querer Caminhar em tua Nova Caminhada.

- O Kosmos Possui Inomináveis Em Todas As Esferas, Mestre Jesus, e eu disse ao Senhor que minhas asas estão muito cansadas de darem Vôos aqui no Baixo...

- É o que quer a tua Outra Carne?

- Não, Mestre Jesus, Ela quer que eu saia a Pescar...

- É o que quer teu Outro Espírito?

- Ele me agita para que eu Nade novamente nas Ondas Altas Do Grande Mar... Mas, Mestre Jesus, é Alyn, Minha Filha, o meu Feminino Realizado, quem por Lá irá Nadar...

- Conheço vossa angústia, mas tua Visão está nublada, Asin, pela tua Angústia Radiante Maior: A Angústia De Não Mais Poder No Alto Bater As Suas Asas.

- Eu queria... Eu quero... Mestre Jesus, como é aberrante minha Decadência Existencial...

- Tu Sabes Transformar A Matéria Impurificadora No Espírito Branco De Todas As Cores, Asin.

- Ah, Mestre Jesus... Mestre Jesus...

- Medo em vossa voz, Asin, medo.

- Sim, medo... Medo, Mestre Jesus... Medo... Vi As Luzes Nas Trevas E As Trevas Nas Luzes Nos Caminhos Dos Veículos Do Inominável Desconehcido... Sem medo, como Anjo Elevado, Bebi Do Fel Da Loucura Caótica E Sorvi Do Vinho Da Loucura Material... Loucura Material que depois veio a me Derrubar... O Encontro Dos Onze é também o meu Crepúsculo Em Onze Quedas... Queda Coroada... Queda Dourada... Queda Prateada... Queda Vermelha... Queda Negra... Queda Torrencial... Queda Aquosa... Queda Fátua... Queda Urrada... Queda Sussurada... Queda Nas Quedas De Todas As Minhas Demais Quedas...

- A tu fé lhe fez assimilar cada uma das Onze Quedas, Asin. Darás chance ao Nascer Da Décima Segunda Queda?

- Minha Nova Caminhada é exatamente minha Décima Segunda Queda, Mestre Jesus...

- Anjo Caído De Inominável Fé Alta, Bata Asas E Caias Mais Para Poder A Outros Erguer! Asin, O Um No Inominável Desconhecido Assim Revela Sua Vontade Na Infinitude Cósmica.




Nenhum comentário: