quarta-feira, abril 23, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte VII


- O Coração Das Coisas, Sentes O Pulsar Dele, Asin?

- Como Um Explodir E Um Implodir De Verbos E Versos Creacionistas, Mestre Jesus.

- Não É Tão Belo Quanto Os Grandes Peixes Belos Nadando No Grande Mar?

- Beleza, Potência, Belo Prazer De Nadar.

- Tudo É A Onda Do Coração, Asin.

- A Onda do meu Coração, Mestre Jesus, é uma Luz Caída Apagando-Se No Ondular Dos Meus Quedantes Dias...

- Tua fé na Inominabilidade, tua Fé, desapareceu, Asin?

- Desde que... Mestre Jesus, quero tomar O Chá Do Coração Morto, quero Adormecer, quero Esquecer... Nadei... Nado... Qual Praia Vai Ser Aquela Que Receberá O Melhor Dos Passos Dos Meus Pés, Mestre Jesus?

- A Praia Do Teu Coração, Asin.

- Coração Caído, Coração Quedante...

- Ouça, Asin, A Canção Do Coração Cósmico...



Sou A Teia Do Inquebrável,

Sou A Veia Do Kosmos,

Eu Pulso Nas Coisas Que Falam

Que Nadar É Fazer-Se

Um Pulsar De Muitos

Corações Pescados.


Sou Pesca Pulsante,

Minhas Batidas Dilacreram

Os Temores Dos Maiores

E Dos Grandes Homens.


Sou Pesca Batendo,

O Frescor Meu De Sangue

É O Que Bebido É

Por Todos Aqueles

Que Põem Seus Corações

A Baterem

Com A Mais Infinita

Verdadeira Fé.


Sou Coração Da Criação,

O Coração Do Peixe,

O Coração Da Ave,

O Coração Do Inseto,

O Coração Dos Felinos,

O Coração Dos Homens,

O Coração Das Mulheres,

O Coração Das Plantas,

O Coração Das Águas,

O Coração Das Pedras.


Cantem Todas As Canções,

Eu Bato Por Todas

As Canções!


Cantem Todas As Canções,

Eu Pulsante Canto

Por Mais Canções!


Cantem Todas As Canções,

Estou Em Todos Os Vossos

Corações!



- Tua Voz, Mestre Jesus, não há neste Mundo igual a Ela...

- Cantar É Agradar Ao Coração, É O Ir Além Da Fina Canção E Derrubar O Falso Filhote De Leão.

- Essa Canção Do Coração lembrou-me do Canto Solar Do Arcanjo Miguel que noAlto eu Ouvia...

- Um Sol É O Teu Coração, Asin.

- Apagado, Sol Apagado, Mestre Jesus...

- Nenhum Alto Sol Pode Ser Apagado Quando Cai, Asin.

- Todos Os Altos Sóis Dos Corações Dos Anjos Caídos São apagados, Mestre Jesus, todos...

- Cantes, Asin.

- Mestre Jesus, eu...

- Cantes a maior das canções que tu ouvistes na Terra.

- Mestre Jesus, eu...

- Cantes, Alegra-Te, Cantar É Cosmicamente Ter, Cantar É Cosmicamente Ter Mais Do Que O Ter!

- Jamais cantei aqui no Baixo...

- Todos, então, ouvirão a Voz De Asin A Cantar.

- Há uma canção, uma humilde canção feita por um Grande Ser... Ela, Mestre Jesus, é a que mais me tocou n'Alma Quedante...



Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão
Enfim


Volto ao jardim
Com a certeza de que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar
Para mim


Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti


Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim



- Teu Coração É Do Alto, Asin, Teu Jardim É Do Alto. Chores, chores, chores...

- Mestre Jesus, tão tarde... tão... tarde...

- Não, O Enfim é Eterno, O Fim Não É Nomeável, Teu Caminhar Inominável É Coração Que Bate Acima Dos Corações Terrestres.

- Minha Missão... Mestre... Mestre Jesus... Posso falhar, falhar... Falhar Em Pescar... Por isso, desistir apenas me resta executar...

- Eu Venci A Minha Missão Na Grande Cruz Cósmica Da Libertação, Asin, Pelo Um Revelado Em Infinito De Trinos Infinitos. Também resisti e duvidei da minha Fé no que me confiaram a Realizar na Terra. Compreendo tua insegurança, o teu medo; minha insegurança é o meu medo também foram assim.

- Como os venceu, Mestre Jesus, como os venceu?

- Batendo O Meu Coração E Cantando A Minha Canção, Asin.




quinta-feira, abril 17, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte VI


- Trino Poder Força Todo Ser, Asin, Ao Carregar Da Cruz Da Criação. Trina Força É De Todo Ser, Asin, O Bastião Da Cruz De Toda A Verdadeira Razão. Ao querer desistir, Asin, da tua Nova Caminhada, tu estás apenas Desistindo Da Inominável Cruz Da Tua Inominável Estrada. Triunfante Todos Podem Ser Nas Cruzes Eternas Das Dores, Das Dúvidas E Das Lágrimas. Triunfantes E Filhos Da Trina Estrada, A Estrada Mãe Do Sangue Na Cruz, A Estrada Pai Do Sangue Fora Da Cruz, A Estrada Filha Do Sangue Germinando Do Solo Abaixo Da Cruz. A Estrada Da Cruz É A Estrada Maior Dos Verdadeiros Filhos Das Montanhas, As Altas Montanhas Da Criação. A Estrada Da Cruz, Asin, A Espada Caída, A Espada Quebrada, O Valor Da Guerra Na Estrada Da Cruz É O Valor Dos Que Lutam Para Ser Exemplares Para Os Que Alçam Altos Vôos. Tais Seres não são heróis e nem são diferentes de todos que ainda não Despertaram, seja através da Noite Sagrada De Todas As Coisas ou do Dia Sagrado De Todas As Coisas. Não há heróis coroados com falsos louros, Asin, entre os que percorrem A Estrada Da Cruz. Antes de desistir da tua Nova Caminhada, lembra-te de todos aqueles que abaixo dos céus de todos os Mundos Da Criação carregaram suas Cruzes sem o temor do escárnio, do ódio e dos gritos de deboche dos que Adormecem Nos Braços Da Fruta Apodrecida. A Fruta Saudável, A Fruta Eternamente Saudável, Agradece Quando Alimenta Os Carregadores Felizes E Eternamente Altos De Suas Próprias Cruzes. Sorrisos de pequeninos, sorrisos de crianças, é com sorrisos assim, Asin, que Todos Os Seres Devem Apoiar O Peso Da Cruz Nos Corpos Que Lhes Cabem, Os Corpos Conhecidos, Os Corpos Desconhecidos. Não se gabam da Libertação Concedida Pela Cruz todos aqueles que derramam seu sangue pelas Inspirações que fazem ser influentes sobre determinados seres de todas as Humanidades. Eu Triunfiei Em Minha Cruz Nos Braços Do Um. Triunfei Sorrindo. Triunfei Dolorido. Triunfei, Asin Du An No In, E Estou Nos Lábios De Todos Os Seres De Mundos Daqui Deste Mundo E De Outros Mundos E Neste Mundo Mesmo Apenas Como Um Que Soube Caminhar Na Estrada Da Cruz. Não salvei a Humanidade, não salvei as Humanidades, Sou O Verdadeiro Cordeior Que Sangra Ainda Pela Perdida Humanidade Terrestre. Eu Sangro, Eu Choro, Eu Oro, Eu Tenho Em Meu Olhar Cada Um Dos Seres Humanos. Eu Sangro, Sangro Como Governador E Pai De Bons E De Maõs Aos Olhos Do Kosmos E Na Inatividade DoAlém Do Kosmos. Três Vezes Sangro, Três Vezes Choro, Três Vezes Oro, Três Vezes, Asin, Três Vezes Acalento E Velo Tanto Pelo Assassino De Crianças Quanto Pelo Protetor De Toda Existência Humana E Animal De Carne Humanamente Material. Meu Cálice É Trino, Três Vezes Bebo Do Sangue Da Humanidade Terrestre E Sorvo As Tristes Lágrimas Dos Ainda Pacíficos Desconhecidos Campos Silvestres. Somo A Arena E O Palco, Asin, Suavizo Os Rebentos De Ar Infeliz E Os Sedentos Pela Febril Violência, Asin. Esquecem De Mim, Lembram De Mim, O Um Em Três E Em Mais De Três Infinitudes Trinas, Motiva-Me, Asin. O que não mais te motiva, Asin?

- O que me motivava desde que Caí Do Alto, Mestre Jesus?

- Tuas Asas Batiam Em Nome Do Inominável Desconhecido Desde Que Tu Caistes, Asin.

- O Anjo, Mestre Jesus... Eu, O Anjo, Anjo Caído Noturno Inominável, Anjo Noturno Inominável Caído, Mestre Jesus... Cansei Da Semente... Não Planto Nada Mais Na Corrente... Meu Livro Queimou-Se...

- Não Queres Escrever Um Novo Livro Teu, Asin?

- A Pena Perdi Quando O Bater Meu Não Escreveu Mais As Páginas Do Meu Alto Voar, Mestre Jesus...

- Anjo De Triste Paragem, Por Que Ficas Assim caindo Em Tristes Idades?

- O Sonho... O Alto Sonho... Perdi-O, Mestre Jesus... Perdi-O... Perdi-O...

- Tu Sabes Beber Do Cáice Doloroso, Asin. Bela Dele E Aja Em Teu Novo Ir.

- Meu Novo Ir eu temo, Mestre Jesus...

- O Não-Ir É O Que Tu Devias Temer, Asin.




sábado, abril 12, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte V


- A Outra Carne, A Estreita Paragem. O Outro Espírito, A Perfeita Passagem. Asin, quandos os Seres se notam diante da Povoada Senda Das Ondas Dos Grandes Mares No Grande, Olham estupefatos para os Gigantes que são A Outra Carne e O Outro Espírito. Pequenos Peizes Pesquei No Horizonte Da Humanidade E Grandes São Os Demais Peixes Que Ainda Devem Ser Pescados. A Terra, o Planeta Terra, Asin, que Vemos em Sua Verdadeira Face, Face De Outra Carne, Face De Outro Espírito, passa por uma fase de transformações que são Frutos do que ocorre nos Planos Do Baixo. É A Hora Do Recado Dado E Não Do Recado A Dar, A Hora Do Texto Aprovado E Não Do Texto A Escrever, A Hora Do Prato Preenchido Pela Alimentação Que Visa Mais Alimentar E Não A Do Prato Já Desgastado Pelas Eras De Insensatez No Humano Mar. Reparas, Asin, no nadar dos peixinhos e nos sorrisos das crianças perto do mar? Reparas, Asin, no cantar dos passarinhos em horas sombrias e no calor dos rostos suados em horas de alegria? Reparas, Asin, no humilde que rasteja diante da vazia certeza de ser algo maior do ímpio que rumoreja? Reparas, Asin, na atitude do vento diante da folha que está morta ao solo e na atitude da árvore diante dos animaizinhos que nela adormecem? Reparas, Asin, no brilho do sol em recantos alados e no brilho do luar em recantos sofridos? Sim, Asin, tu reparas, É O Olhar De Tua Outra Carne, É O Olhar Do Teu Outro Espírito. Separais em cadinhos de forças que tu mesmo possas agitar cada passo das Coisas De Tua Outra Carne. Vibres como um pescador de rede extensa a cada Ondular De Teu Outro Espírito. Surjas como um filhote ajoelhado diante do trono dos Leões Que Governam e de mil e mil passos de nove rodelas de um caminho atrelado de glórias, Asin, Alcances O Vazio Da Obra De Tua Outra Carne, Da Obra Do Teu Outro Espírito.

- Caminho atrelado de glórias, Mestre Jesus... Que caminho atrelado de glórias é o meu?

- Tu És.

- Compreendo meu Ser, Mestre Jesus, mas O Glorioso... Em um Ser Quedante... Um Ser Caído...

- O Glorioso Nem Sempre Precisa Transitar Entre Os De Altas Asas, Asin.

- Chama E Glória perdi, Mestre Jesus...

- A Chama De Tua Outra Carne É Tua Inominável Glória E A Glória De Teu Outro Espírito E A Tua Outra Inominável Chama, Asin.

- Não pesco nesses Mares, nem pesco em Outros Mares, Mestre Jesus... Olhos e asas minhas doentes e mais quedantes do que as minhas Quedantes Marchas...

- A Terra Pisada Não Se Equilibra Em Pés Mornos, Asin. A Terra Pisada Pelos Fortes De Todas As Fontes De Poder É O Que Produz A Belelza Da Suave Onda Do Verdadeiro Ser. Como seriam as coisas terrestres sem Os Filhos Elevados De Todas As Fontes De Poder? Como Seriam As Coisas Da Criação Sem Os Filhos Do Um Revelados Em Suas Respectivas Fontes De Poder?

- Elevado...

- A tua aflição, Asin, agride a Inominabilidade.

- A Agressão Eterna contra a Inominabilidade é a minha continuidade no Planeta Terra, no Plano Material...

- Não te exponho ao sofrido momento de obrigá-lo a desistir de tua idéia de não querer Caminhar em tua Nova Caminhada.

- O Kosmos Possui Inomináveis Em Todas As Esferas, Mestre Jesus, e eu disse ao Senhor que minhas asas estão muito cansadas de darem Vôos aqui no Baixo...

- É o que quer a tua Outra Carne?

- Não, Mestre Jesus, Ela quer que eu saia a Pescar...

- É o que quer teu Outro Espírito?

- Ele me agita para que eu Nade novamente nas Ondas Altas Do Grande Mar... Mas, Mestre Jesus, é Alyn, Minha Filha, o meu Feminino Realizado, quem por Lá irá Nadar...

- Conheço vossa angústia, mas tua Visão está nublada, Asin, pela tua Angústia Radiante Maior: A Angústia De Não Mais Poder No Alto Bater As Suas Asas.

- Eu queria... Eu quero... Mestre Jesus, como é aberrante minha Decadência Existencial...

- Tu Sabes Transformar A Matéria Impurificadora No Espírito Branco De Todas As Cores, Asin.

- Ah, Mestre Jesus... Mestre Jesus...

- Medo em vossa voz, Asin, medo.

- Sim, medo... Medo, Mestre Jesus... Medo... Vi As Luzes Nas Trevas E As Trevas Nas Luzes Nos Caminhos Dos Veículos Do Inominável Desconehcido... Sem medo, como Anjo Elevado, Bebi Do Fel Da Loucura Caótica E Sorvi Do Vinho Da Loucura Material... Loucura Material que depois veio a me Derrubar... O Encontro Dos Onze é também o meu Crepúsculo Em Onze Quedas... Queda Coroada... Queda Dourada... Queda Prateada... Queda Vermelha... Queda Negra... Queda Torrencial... Queda Aquosa... Queda Fátua... Queda Urrada... Queda Sussurada... Queda Nas Quedas De Todas As Minhas Demais Quedas...

- A tu fé lhe fez assimilar cada uma das Onze Quedas, Asin. Darás chance ao Nascer Da Décima Segunda Queda?

- Minha Nova Caminhada é exatamente minha Décima Segunda Queda, Mestre Jesus...

- Anjo Caído De Inominável Fé Alta, Bata Asas E Caias Mais Para Poder A Outros Erguer! Asin, O Um No Inominável Desconhecido Assim Revela Sua Vontade Na Infinitude Cósmica.