terça-feira, março 18, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte IV


- Quero Atravessar A Nova Planície, Mestre Jesus, Livre Das Imperfeições Das Sombrias Escarpas De Meu Eu Quedante. Quero Pousar Minhas Asas Cansadas, Mestre Jesus, No Alto Da Nova Planície E Parar De Batê-Las Na Direção Contrária Dos Meus Encaminhamentos Todos Para A Praia, A Praia Do Descanso Dos Caídos E Dos Quedantes. Quero Alvorecer, Mestre Jesus, Junto Ao Sol Adormecido Dos Pontos De Caminhos Que Jazem No Silencioso Jardim Da Imobilidade. Quero Ter, Mestre Jesus, O Silêncio Em Meu Redor, O Topo Das Montanhas Aquecendo-Me No Todo Das Minhas Certezas Inauditas De Estar Revelado Em Meu Finalizar De Passos Dados. Sou Pássaro Cansado, Sou Pássaro Doente, Mestre Jesus, Já Bebi Do Fel Das Eras Quedantes E Já Fervi Nos Vulcões Das Várias Feras Dilacerantes Que Se Expandem Pelos Cósmicos Horizontes. Sou Anjo Caído Vadio, Sou Anjo Caído Vagabundo, Sou Anjo Caído Mendigo, Sou Anjo Caído Eremita, Ao Fim, As Penas De Minhas Asas Noturnas Inomináveis Me Condenam Ao Exílio Cósmico Inexorável. Inexorabilidade Mutável, Modifico-Me E Fico Ainda Sendo O Estúpido Caminhante Solitário Que Diante De Si Tem A Chance De Cair No Abismo Da Queda A Mais Ou Abraçar O Abismo Da Queda Eterna À Frente E Em Redor De Si Mesmo. Patinar, Caminhar, Dar Voltas No Meu Abismo, Mestre Jesus, Já Me Torna, Agora, O Agora Cósmico Meu Diante Da Possibilidade De Novamente Estar Na Inominabilidade, Um Anjo Caído Provando Da Improvável Certeza De Estar Atuante Nas Maravilhas Cósmicas Da Verdade. O Cansaço Das Minhas Asas Noturnas Inomináveis, Mestre Jesus, É-Me O Carregar De Todos Os Pesos Imagináveis E Inimagináveis Da Criação. Pesa-Me O Mais, Pesa-Me O Muito Mais, Pesa-Me O Além-Mais...

- Que Peso É Maor Do Que O Do Próprio Conhecer-Se No Deserto Das Situações, Asin?

- Preciso, Mestre Jesus, parar...

- Que Descanso Para Os Filhos Da Verdadeira Como Vós, Asin, Há?

- Mestre Jesus, não como aos Onze liderar...

- Que Liderança É Maior Do Que A Da Vontade De Um Dever A Cumprir Pelo Um Revelado Na Fonte De Poder Inominável, Asin?

- Anjos Elevados Inomináveis, qualquer um Deles, Meus Irmãos Inomináveis, podem aos Onze liderar...

- Tu ages fora Da Roda, Asin.

- Agir em Qual Girar, Mestre Jesus, Além Do Descansar Das Minhas Asas Noturnas Inomináveis?

- Tu Pescas Tua Própria Estagnação, Asin, Mas O Um Não É Consciente E Ao Mesmo Tempo É Consciente Do Teu Desejo De Parar De Bater As Vossas Asas, Asin.

- O que eu lideraria, Mestre Jesus, tão cansado, tão exausto, tão Mais Quedante Do Que O Meu Próprio Cair?

- As Razões, As Missões, As Meditações, Asin, O Que Sabeis Do Pescar De Cada Criatura E De Cada Ser?

- Pesquei Muitas Razões... Pesquei Muitas Missões... Pesquei Muitas Meditações... E fui Cair... E continuo a Cair... E continuarei a Cair...

- Os Inomináveis Nunca Desistem Da Verdadeira Guerra, Asin, Eles Nadam A Cada Batalha Nas Esferas Que Doutrinam Suas Faces Que São Sempre A Verdadeira Guerra.

- Musgos E Plantas Adormecendo E Moribundas Em Meu Guerrear, Mestre Jesus...

- O Musgo Pode Ser Colhido E Conservado No Caminho Que Se Percorre No Último Patamar. As Plantas Nascerão Poderosamente No Jardim Do Grande Interior Mar. Todo Ser Já Percorreu A Via Indireta Do Cansaço De Toda Batalha Em Toda Guerra Da Verdadeira Guerra. Das Pescas Dos Homens E Das Pescas Dos Seres Evoluídos Sempre Aproveitam-Se Os Peixes Que Sabem Nadar Na Direção Exata Das Verdadeiras Ondas Do Grande Mar. A Minha Pesca, Asin, Colhida Nas Esferas Que Pescam O Amar, Inteirada Das Esferas Que Tecem O Pescar E O Amar, É A Pesca Da Subida Da Crística Escadaria Do Além De Todo Mar No Grande Mar. Falando A Um Anjo Caído Estou A Falar Ao Mesmo Tempo Com Um Anjo Elevado, Asin. Asas Cansadas, Asin? Asas Querendo Repouso, Asin? Muitos Anjos Elevados Qeu Caem Sentem-Se Cansados Da Eternidade Nas Altas Esferas E Querem As Efemeridades Carnais Dos Desejos Sensuais E Perceptivos. Contigo foi assim, Asin, E Pelo Inominável Desconhecido, Uma Das Infinitas Faces Do Um, Tu Te Destes À Carne E Fostes Um Com A Carne. A Carne Responde E O Espírito Responde, Asin, Ao Mesmo Tempo, O Alto Chamado É Inescapável. Plantadores E Pescadores, Eis O Que Somos No Arquitetado Plano Da Criação. Tua Carne, Teu Espírito, Inomináveis, Querem Parar; mas, A Tua Outra Carne, O Teu Outro Espírito, Querem Parar, Asin?




quarta-feira, março 05, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte III


- A Oração Penetra Nas Almas Carentes De Aconchegos Valentes, É Como A Suave Brisa Da Tarde Envolvente Das Coisas Maternais E Paternais. Maternal É A Coroa Da Oração, Todo Ser Deve Portá-La Diante Das Altas Regiões Do Universal Coração. Paternal É O Cetro Da Oração, Todo Ser Devia Portá-Lo Fazendo Um Imperador Do Seu Caminhar. Oração, Asin, É A Salvação Interna, A Interna Salvação, E Não As Palavras Que Ficam E As Palavras Que Se Vão. A Oração, Asin, Do Mais Fraco Ao Mais Forte Reduz A Diferença E Todos Os Irmãos Nas Beiradas Das Estradas E Nas Subidas De Todas As Montanhas São Do Fim De Suas Fomes Duvidosas E Do Colapso De Suas Dúvidas Altas. Dúvidas Na Oração Rebaixadas Ao Estado Da Fruta Podre Na Mesa Construindo-Se Firme Em Toda Torre. A Torre Balança E É A Balança Do Início De Todo Caminhar. Na Torre, A Fruta Podre É Oferecida, A Fome É Augusta, A Dúvida Entre Aceitar Ou Não Significa Menos Alguns Segundos De Existência. A Fruta Podre Oferecida Ora Em Favor De Ser Desgustada. A Fruta É Podre, Mas Aquele Que Possui Infinita Fome A Quer Saborear, É A Fome Dos Dias De Caminhada, É A Fome Das Noites Na Grande Viagem Da Existencialidade. A Fruta Podre Oferecida, Mas A Saudável Fruta, A Fruta Eterna Do Desejo De Sobreviver, Mais Forte Penetra Nos Domínios Alvos D'Alma, Que, Então, Liberta-Se Do Apodrecido Amadurecer De Sua Floresta De Frutas Todas. Quantos, Asin, Já Não Aceitaram A Fruta Podre? Quantos, Asin, Já Não Quiseram Degustar Todas As Frutas Podres Encontráveis? Quem É O Verdadeiro Degustador Da Verdadeira Vida: O Império Dos Desejos Ou O Desejo Dos Impérios? Quem Mais Impera Degusta Seu Desejo Na Certeza Do Amadurecer De Todas As Verdadeiras Frutas. E Orando. Quem Mais Deseja Imperar Degusta Seu Império Acima De Seus Infinitos Impérios. E Orando Mais. Quem Decide O Desejo Imperial Governando O Imperial Desejo É O Ser, Asin, Da Oração Que Medita Na Meditativa Oferenda De Si Mesmo À Grande E Sagrada Árvore Da Verdadeira Vida.

- Árvore Dos Galhos Frondosos. Árvore Dos Galhos Maresios. Árvore Dos Galhos Tão Teus, Mestre Jesus.

- E De Todos Que Sabem Plantá-La Em Suas Eternas Eternidades De Almas.

- Perdi todos os Galhos Dela, Mestre Jesus...

- Plante Outros Acima Dos Galhos Mortos, Asin.

- Plantei... Cresceram... Esmoreceram... Desapareceram...

- Plantar É Crescer. Esmorecer É Desaparecer. Quem Pode Crescer Plantando Ao Esmorecer Do Seu Desaparecimento?

- Desapareceram As Altas Batidas De Minhas Asas, Mestre Jesus... Minha Queda É O Meu Crepúsculo Existencial, Eu Oro, Oro, Oro, Oro... E Quedo-Me Na Gruta Distante Da Luz Primordial. Oro, Oro, Oro, Oro... Sagrado deveria ser O Orar De Anjos Caídos E Em Queda E Que Ainda Cairão... Sagrados Nas Trevas Onde Estamos... Onde eu estou ao lado, Mestre Jesus, dos Anjos Caídos, dos Anjos Em Queda, dos Anjos Que Ainda Vão Cair... Represento A Centelha Dos Trevosos De Asas Noturnas Inomináveis... Represento As Trevas Quedantes Inomináveis... Como Posso Guiar Os Onze Sem Guiar? Como Vou Deixar Que Eles Me Tenham Como Um Mestre Se Nem Ao Menos A Doutrina Da Inominabilidade Saída Dos Meus Lábios Quedantes É Me Ainda A Fruta Amadurecida Que Degustava Lá Nas Ondas Do Alto Mar? Como, Mestre Jesus, Pescar Assim Sendo Um Pescado Pela Ruína Quedante Do Cair No Próprio Existir?

- Tu Conheces as tuas limitações, Asin, estás ciente de que teus pés já não pisam no Permanente Tecido Das Altas Tecelarias Do Alto Amor.

- Estou No Alquebrado Tecido Do Baixo Caos, Embebido Na Fúria De Minha Queda, Bebendo Da Caixa Da Minha Queda, Bêbado Pelas Incertezas E Dúvidas Do Continuar De Minha Queda...

- Beber Da Própria Queda É Uma Oração, Asin.

- Oração Dos Caídos, Dos Que Estão Caindo E Dos Que Cairão, Mestre Jesus...

- O Kosmos, Asin, O Um, Cai Com Todos Que Caem, Estão Caindo E Cairão. O Kosmos, Asin, O Um, Eleva-Se Com Todos Os Que Estão Elevados, Se Elevam E Elevarão.

- O Equilíbrio Do Um...

- Ainda te lembras do Girar Dos Giros Infindáveis, Asin?

- As Rosas, As Rodas, As Rotas, As Rondas, As Regências, As Reuniões, As Retificações...

- O Um Ainda Lhe Dá A Rosa Inominável. O Um Ainda Lhe Gira Na Roda Inominável. O Um Ainda Lhe Direciona Na Rota Inominável. O Um Ainda Lhe Guia Na Ronda Inominável. O Um Ainda Que Rege Na Regência Inominável. O Um Ainda Lhe Convoca Na Reunião Inominável. O Um Ainda Lhe Retifica Na Retificação Inominável.

- Assim É, Mestre Jesus.

- Se A Oração É Ainda, Asin, Por Que A Vontade Enfraquecida?

- Eu quero desistir de Bater As Minhas Asas Noturnas Inomináveis, Mestre Jesus...