sexta-feira, fevereiro 29, 2008

A Sagrada Pesca Em Infinitas Sagradas Ondas - Parte II


- Pescando, Asin, A Flores Raras E As Flores Sagradas. As Flores Raras Florescendo Aos Pés Das Crianças Felizes No Jardim Dos Encantos Encontráveis. Sabeis O Que É Uma Criança Feliz? É Toda Alma Dotada Da Raiz Humilde Do Querer Ascender Pela Escadaria Do Amor, O Amor Sem O Limite Imaginável, O Amor Na Infinitude Cósmica. Muitos podem dizer que toda frase Eu Te Amo é a mais pura expressão amorosa. Mas, eu te digo, Asin, que A Expressão Amorosa Maior É Ser O Amor No Eu Do Outro, Amor Como O Amor Da Mãe Cósmica A Todos Os Filhos Da Criação, Amor Do Pai Cósmico A Todos Os Filhos Da Criação, O Amor Do Um Aprendendo Com A Sua Multiplicidade. Todos Os Seres Choraram Diante Da Árvore Quedante, Asin, como tu estás agora aqui em minha Morada De Muitas Moradas. Nossa Mãe nos conforta nesses instantes, Os Instantes Da Silenciosa Oração Das Lágrimas. Nosso Pai nos conforta nesses instantes, Os Instantes Da Silenciosa Oração Das Muitas Lágrimas. As lágrimas humanas a mim chegam, Asin, as lágrimas dos ricos, as lágrimas dos pobres, Os Ricos Em Espírito, Os Pobres Em Espírito. Sou Para Eles O Calor Dos Infinitos Sóis Girando No Seio Cósmico Do Um, ouço cada um, meço cada um, conforto cada um, abraço cada um, beijo cada um, consolo com Palavras Ditas Silenciosamente cada um. Não Há Mistérios Quando Me Procuram Com O Coração Sincero E Choroso Em Oração Humilde E Segura Da Sua Orientação Solar. Todos Os Que Choram Podem Sair Das Suas Condições De Chorosos Seres Para A De Solares Seres. A Mãe, O Sol Feminino, É O Peixe Nadante No Interior Dos Humanos Que Choram. O Pai, O Sol Masculino, É O Peixe Nadante No Outro Interior Dos Humanos Que Choram. O Um É O Grande Sol, O Um É O Grande Peixe, O Um Em Infinitas Fontes De Poder É O Iluminante Sol-Peixe Que Nadante É Pelos Oceanos Da Existencialidade. Nada disso pelo qual tu passas, Asin, é um sinal de fraqueza, nada é a fraca forma de Ser como a forma dos Não-Seres Que Gemem.

- Queria eu acreditar, Mestre Jesus, que fosse assim...

- Acredites Que É O Outro Assim.

- A Montanha é tão árida agora...

- O Deserto, Asin, atravesse-o como antes, Pescando O Inominável.

- O Deserto, Mestre Jesus, é esta minha Existência Quedante. Anjo Caído... Anjo A Cair... Anjo Que Cairá Cada Vez Mais... Sinto saudades da Rosa Da Inominabilidade A Girar Diante Dos Meus Olhos Noturnos Que Um Dia Foram Olhos Elevados... Sinto Saudades Do Beijo Acalentador E Amável Da Senhora Inominável... Sinto Saudades De Adormecer Nos Sóis Moldados E Nos Sóis Automanifestados... Sinto, Mestre Jesus, isso tudo, A Saudade Ofegante, A Saudade Operante, A Saudade Crescente, A Saudade Eterna Das Coisas Altas...

- Tu subirás, Asin.

- Não, Mestre Jesus, Sei Que Descerei Ainda Mais...

- Aqueles Qeu Estão Na Descida, No Abismo, Ainda Assim Podem Ser Grandes Seres.

- Minhas Orações falharam... Falharam, Mestre Jesus...

- Desistirás, assim, de tua Nova Caminhada, Asin?

- É tão dura... É tão ingrata... Não possuo a Vossa Vontade Infinita De Pescar, Cristo Da Terra, não possuo...

- A Posse É Como A Mão Do Assassino Assinando O Livro Do Seu Existencial Assassinato. Uma Mão Ele Ergue, Outra Ele Fecha. Uma Mão Ele Tem, Outra Ele Teme. Um Olhar Ele Concede, Outro Ele Nega. Um Solo Ele Pisa, Outro Solo Ele Ignora. Os Grandes Seres como tu, Asin, São Assassinos De Suas Fraquezas Existenciais, São Os Inomináveis Seres Compreendidos Na Fonte De Poder Inominável.

- Compreendo Toda A Lógica Verbal Do Inominável, Mestre Jesus... Calculo O Fim... Calculo O Início... O Resultado...

- Tu me procurastes mais para desabafar da tua condição de insegurança do que para pedir permissão para O Ato Inominável De Pescar em tua Nova Caminhada.

- Sou fraco, Mestre Jesus... Um Anjo Caído fraco que por milênios tentou reencontrar uma mulher que já não faz parte da EsferaExistencial Terrestre... Sou fraco... Anjo Caído fraco... Meus métodos de convencimento da Inominabilidade apenas foram de positiva conclusão porque através dos meus lábios falava O Inominável Desconhecido... Caio, Mestre Jesus, mais uma vez, diante de ti... Caio... Caio...

- Lágrimas, tuas lágrimas, ores agora por elas.

- Chorar assim... Chorar...

- Meu Filho, Cada Lágrima Tua É Uma Oração Ao Um. Vós Nunca Estivestes Longe Dele. Ele Aprendeu Muito Contigo, Asin, Assim Como Aprende Com Todos Os Que Caem E Com Todos Que Se Elevam. Assim Como Aprende Com Todos Os Que Ainda Cairão E Com Todos Que Ainda Se Elevarão. Assim Como Aprende Com Todos Que Estão Caindo E Com Todos Que Estão Se Elevando. Ele Aprende, Não É Bom, Não É Mau, Não É Justo, Não É Mãe, Não É Pai. Ele É Apenas O Um, Asin. O Um Que Eu, O Cristo Desta Terra, Sou Pescando. O Um Que Tu, O Inominável Andarilho Maior Desta Terra, Asin, É Inominavelmente. O Um É A Nossa Oração Permanente Em Nossos Ocultos Corações, É A Chave Do Oceano Das Pescas Eterna E Do Transcendente Caminhar Das Esferas Nadantes No Grande Sol-Peixes Da Cósmica Atitude Do Evoluir DE Todas As Coisas. Tu Sabes Atravessar A Porta Estreita Das Trevas, Asin, Ainda És Anjo Noturno Elevado Na Forma De Anjo Notunro Caído. Ores Na Porta Estreita Da Luz De Tuas Lágrimas, Elas Pescam Os Sóis Da Tua Inominável Essência, Elas Pescam Os Peixes De Vosso Inominável Essencial Mar Interior. Ores, Asin, A Oração É A Pesca Maior Que Colhe Todo Peixe Maior Que Impossível É De Ser Pescado Pelos Que Não Choram.




Nenhum comentário: