terça-feira, janeiro 01, 2008

As Humildes Mãos Que Mais Pescam


Olho para as ãos Dele, As Mãos Do Mestre Pescador e lembro que as minhas mãos, no Alto, foram assim. O chá de ervas que estou a tomar com Ele, ervas que jamais a Humanidade atual ainda pode sonhar a conhecer, é de Altos Bálsamos, Plantada E Colhida Aos Pés Dos Filhos Da Verdadeira Paz Existencial. Assim, à frente Dele, à frente do Mestre Pescador, Sou Uma Criança Que Elevadamente Bateu Asas No Alto E Agora Queda-Se No Bater Novo De Asas No Baixo. Meus Irmãos Existenciais Inomináveis ainda dialogam no Útero De Gaia, como os deixei, para que pudessem analisar A Inominabilidade. Analisar O Inominável... Possível Não É Analisar O Inominável, Possível É Ser Inominável Analisando Tudo Essencialmente, Sem Dar Nomes, Ser Ser Doador De Nomes, Sem Ser Dedicado A Nomear.

Montanhas e mais montanhas percorri e me emociona estar diante Dele. Muitos podem evocá-Lo, Ele a todos atende. Muitos podem bajulá-Lo, Ele a todos atende. Muitos podem rejeitá-Lo, Ele a todos atende. Muitos podem rir Dele, Ele a todos atende. Muitos podem desconhecê-Lo, Ele a todos atende. Muitos podem vendê-lo como mercadoria, Ele a todos atende. Muitos podem subestimá-Lo, Ele a todos atende. Muitos podem matar em nome Dele, Ele a todos atende, Muitos podem enganar em nome Dele, Ele a todos atende.

Pescar, As Mãos Dele Pescam Nas Ruínas, Nas Pequenas Construções, No Que Ainda Será Construido. Pescar, As Mãos Dele Pescam Na Lama, No Chão Frio, No Mar Revolto. Pescar, As Mãos Dele Pescam No Espaço Indefinido, No Espaço A Definir, No Espaço Em Definitivo. Pescar, As Mãos Dele Pescam No Vulto Desesperado, No Enxame Revolto, Na Alcatéia Feroz. Pescar, As Mãos Dele Pescam No Palco Errado, No Palco Correto, No Palco Antigo, No Palco Novo, No Palco Eterno. Pescar, As Mãos Dele Pescam No Ato Da Rede Que Não Fura, No Ato Da Rede Que Se Expande, No Ato Da Rede Que Atrai, No Ato Da Rede Que Abraça, No Ato Da Rede Que Beija.

As Mãos Dele Lançam A Rede E Aqueles Que São Pescados Jamais Se Sentem Como Pequenos Ou Médios Ou Grandes Peixes. Todos Os Pescados Pelo Mestre Pescador São Peixes Do Grande Mar Redentor Das Verdadeiras Coisas Em Sua Essência Sublime De Humilde Palor. Peixes Do Mestre Pescador, Peixes Que São As Outras Faces Do Mestre Pescador, Cujas Mãos Enlaçam Mares Obscuros E Mares Luzidios Buscando Os Que Podem Ser Pescados Para Que Se Cumpram As Maravilhas Do Mar Alto De Grandes Pescas Existenciais.

O chá nós dois terminamos de tomar no mesmo instante. O Mestre Pescador pousa suas mãos em seus joelhos, aqui na Montanha Distante De Todas As Montanhas. Ele sorri e Seu Sorriso Abre As Portas Do Alto Celestial Novamente Para Meu Iniciar Sempre Inicial. Ele fala e Sua Voz Pesca Meu Inominável Ser Quedante Essencialmente...

- Conversemos, Irmão No Grande Mar, sobre A Nova Caminhada Dos Onze.

- Conversemos, Irmão E Mestre Jesus.




Nenhum comentário: