quinta-feira, junho 07, 2007

Da Inominabilidade - Parte LXX


- Vencer Os Nomeáveis Obstáculos Das Certezas Feitas E Prontas Como Verdades É O Maior Desafio Entre Os Desafios Da Inominabilidade. Nós Sabemos, Asin.

- A Pluralidade Do Efêmero ainda me é estranhamente Algo que devo lutar por Querer Acreditar Que Existe, Alynne, mesmo Sabendo...

- Que Determinadas Coisas Mutáveis Da Criação Que Parecem Não Modificar-Se Estão Em Duvidosa Rota De Colisão Com As Verdades Inomináveis.

- É Inseguro Ser Inominável.

- E o que É Seguro em toda a Criação, Asin?

- Apenas O Inseguro.

- E permanecemos nessa Guerra Entre Seguridades E Inseguridades que nos permite Escrever Sobre Livros Inteiros De Mais Mentiras Do Que Verdades.

- Sim, Alguns Textos Lidos Mentem, Abeyraell...

- E Outros Nos Fazem Crentes De Que Somos Algo Em Algo, Alynne.

- É O Desespero Das Formas Escritas No Kosmos...

- É O Kosmos Sem Todas As Suas Formas Escritas Em Seu Próprio Livro. Ser Inominável complica ainda mais essa Inseguridade Existencial, já que A Efemeridade Inominável vem a nos reduzir, a cada Mutável Ir E Vir Das Consistências E Consciências De Todas As Coisas, A Pontos Negativos De Batalhadores Por Um Caminho Que Sempre Queremos Que Seja Positivo.

- O Livro Dos Enxugadores De Lágrimas Tende Ao Fracasso Efêmero, Abeyraell.

- Tendências Incorporam-Se No Efêmero, Bayn. Admitamos que no Caminho Inominável estamos todos Cegos, Nada No Inominável Adquire Seguridade Porque Tudo É Mutação A Todo Momento A Seguir O Ritmo Verdadeiro De Cada Coisa Presente No Seio Da Criação. As Escritas Vão Caindo E O Livro Vai Se Apagando.

- Ao longo de tudo que faremos, temos mesmo que ser Cegos?

- O que o leva a não querer Saber Ser Inominavelmente Inominável, Bayn?

- O que me leva, Abeyraell, é a certeza de que iremos Caminhar Fora Dos Nossos Originais Eixos De Existencialidade Inata, Como Cegos Dividindo Seus Passos Entre O Esquema Fundado E O Esquema A Ser Fundado.

- Abeyraell está mais correta, meu Irmão.

- Somente porque já se aceita Cega, Ran?

- Tu enxergar Tudo, Bayn? Tudo, Dentro Da Grande Noite Da Criação Que Nos Deu A Noção Do Que Somos E Do Que Não Somos?

- Somos Anjos Elevados, Ran, Sabemos De Tudo!

- E, Sendo Anjos Elevados, Bayn, Somos Realmente Soberanos No Sinalizar De Que Tudo Que Nos Rodeia, Até Nós Mesmos, Somos Efêmeros?

- Tu estás te tornando, Ran, bastante...

- Efêmero, sim, Efêmero Inominavelmente. E as vossas dúvidas também são Efêmeras, Irmão Inominável.

- Não são dúvidas... É... Pelo Alto, Eu Sou Um Anjo Elevado Com Medo De Ser Um Inominável!

- O Medo É Efêmero, Bayn.

- Não em mim, Asin, porque eu sempre tive medo. Medo De Ser Anjo Elevado E Por Causa Deste Mesmo Medo, Cair.

- Quer dizer, Bayn, que...

- Exatamente, Asin, Sou Anjo Elevado Que Não Se Agrada Com A Sua Obra Elevada... Uma Obra efetuada neste mundo, que sequer me conhece e reconhece... Falo dos humanos, uma Raça que... Pelo Alto, porque tenho que Enxugar Lágrimas Humanas?

- Mas, tu acreditas...

- Acredito na Redenção Da Humanidade, Asin. Mas, tal crença, agora, Inominável, Sei, é efêmera... E, sinceramente, mutável... Portanto, totalmente mentirosa se a pusermos aos Níveis Existenciais Da Verdade Da Criação Que É A Verdade Do Todo E Do Nada Efêmeros.

- Esta É A Guerra De Todos Os Inomináveis, Enxugadores De Lágrimas.

- Uma Guerra que temo, Asin... Que temo...

- Todos nós, Inomináveis, A tememos, Bayn... Todos nós, Os Inomináveis...






Nenhum comentário: