sexta-feira, maio 18, 2007

Da Inominabilidade - Parte LXV


- Negar A Forma, Negar A Não-Forma. Negar A Utilidade, Negar A Não-Utilidade. Negar A Formalidade, Negar A Não-Formalidade. Negar A Expressividade, Negar A Não-Expressividade. Negar A Aliança, Negar A Não-Aliança. Negar A Presença, Negar A Não-Presença. Negar A Sentença, Negar A Não-Sentença. Não Inominável, Separação, Atração, Ação Do Negado Espaço Na Reação Do Estado Do Não-Estado Fluente Das Superfícies Todas Da Verbalidade E Da Não-Verbalidade. O Mundo, O Não-Mundo, Diante Do Estar E Diante Do Não-Estar.

- Entre A Cósmica Fluência E A Cósmica Não-Fluência, Bayn.

- Seguiremos Na Inominabilidade Do Não Da Roda E Da Não-Roda, Asin?

- Formaremos A Nova Roda E A Nova Não-Roda Inominavelmente, Bayn.

- Giraremos No Eixo E No Não-Eixo Das Coisas Inomináveis?

- Os Inomináveis Negam O Eixo E O Não-Eixo, Seyin.

- Asin, As Leis Inomináveis Não Seguem A Estrutura Arquitetônica Das Esferas Automanifestadas E Moldadas?

- O Que Seguir Inominavelmente, Seyin? O Que É O Seguir Inominavelmente, Seyin?

- A Razão Das Esferas, mesmo na Inominabilidade, seria então a nossa própria Caminahada Individual E Coletiva como Inomináveis?

- Não Há Caminhada Individual Para Os Inomináveis. Não Há Caminhada Coletiva Para Os Inomináveis. Não Há Os Inomináveis Para Os Inomináveis, Seyin. Nós, Os Inomináveis, Parcela Dos Inomináveis Todos Da Criação, Como Estes Devemos Até Negar A Inominabilidade. Juntemos os pedaços quebrados de uma árvore por um raio. O raio inverteu as Camadas Ocultos De Força Vital dela e arrancou-a do seu contato com Gaia. Diferenciando a raiz da material árvore e a Raiz Da Imaterial Árvore, A Árvore Verdadeira, encontraremos os campos materiais e os Campos Imateriais do contato dela com Gaia. Porém, Para A Árvore Retornar Ao Seio De Gaia É Preciso Que Ela Negue A Si Mesma Como Árvore E A Gaia Como Mãe, Obtendo Assim A Raiz De Um Novo Solo Para A Atitude Plena De Um Solo Maior Que A Realize Sendo Árvore Verdadeira Em Seu Todo E Como Gaia Em Semelhança Verdadeira E Inegável. Os Inomináveis são assim, Enxugadores De Lágrimas. Nós, Inomináveis, somos assim. Somos, inicialmente, agora como uma Força Individual E Coletiva Que Nega-Se Como Individual E Coletiva, Árvores Atingidas Por Raios Ilusórios Que Nos Afastaram Do Contato Com As Nossas Origens Inomináveis. Somos, eu que retomo O Caminho Da Senda Inominável de modo integral, vós que vos Revelastes Como Inomináveis, Árvores Lançadas Em Solos Estranhos E Dispersos Em Solos Mais Estranhos. Somos, Enxugadores De Lágrimas, iniciando a nossa Caminhada Inominável, Árvores Despedaçadas Pelos Campos Estranhos Da Materialidade. O Raio Do Estranho Temos Que Negar. O Raio Do Estranho Devemos Afirmar. Temos Que Nos Negar Como Árvores Despedaçadas E Nos Afirmarmos, Assim, Como Árvores Verdadeiras, Porque A Mutabilidade Na Inominabilidade É Uma Infinita Cadeia De Conhecimentos E Acontecimentos Que Moldam A Nossa Inominável Segurança Em Sermos Seguros De Estarmos Infinitamente Nos Negando Como Somos E Como Não Somos.

- Totalmente, Asin, Faremos Enxugando Lágrimas A Cadência Da Criação De Novas Etapas De Nós Mesmos.

- E Não Seremos A Cadência, Rvekkeyll.

- Participaremos Do Outro Livro Do Livro Inominável.

- Expressivamente E Não-Expressivamente.

- Escrevemos Já O Nosso Outro Livro Inominavelmente.

- As Letras São Como As Transições E As Não-Transições, Rvekkeyll.

- Transitaremos Pela Inominabilidade, Transitaremos Pela Não-Inominabilidade, Transitaremos Pelo Não Inominável, Transitaremos Pela Natureza Inominável, Transitaremos Pela Não-Natureza Inominável. Já estamos Transitando Inominavelmente E Não-Transitando Inominavelmente. Já estamos, Asin. Já estamos, Irmãos Existenciais Inomináveis Não-Inomináveis. Já Estamos, Enxugadores De Lágrimas Não-Enxugadores De Lágrimas. As Transições E As Não-Transições Do Corvo Oculto Em Ritmos Inomináveis E Não-Inomináveis Estão A Comigo Dialogar... Diálogo Transitório E Diálogo Não-Transitório. Asin, desde que na Terra Caminho, sempre acompanhei As Transições E As Não-Transições De Todas As Coisas Nomeáveis. No Outono Transitório E Não-Transitório, Com A Mãe Gaia Eu Transitava E Não-Transitava. Na Primavera Transitória E Não-Transitória, Com A Mãe Gaia Eu Transitava E Não-Transitava. No Verão Transitório E Não-Transitório, Com A Mãe Gais Eu Transitava E Não-Transitava. No Inverno Eterno, O Inverno Da Humanidade, O Inverno Da Separação Que Marca O Esquecimento Do Homem Da Mãe Gaia, Eu Eternamente Transito Entre O Transitável E O Não-Transitável Da Eternidade Que Não Perdurará Por Infinitas Eternidades. O Inverno Eterno, por ter sido Moldado pelos seres humanos, a estes cabe e não aos Elementos Cósmicos Da Verdadeira Verdade que, com a Inominabilidade, eu Vejo Transitável E Não-Transitável. O Inverno Eterno Não É Inverno Eterno, É Ilusão Transitória E Não-Transitória Proporcionada Pela Queda Humana. Ele Cairá, O Inverno Eterno Cairá, E Toda Creatura Humana, No Grande Dia Do Amanhã, Transitará E Não-Transitará Em Suas Respectivas Fontes De Poder. Assim, O Corvo Oculto, Aquele Que Transita E Não Transita Pelo Kosmos, Revela A Esta Vossa Irmã Inominável Não-Irmã Inominável, Enxugadores De Lágrimas Não-Enxugadores De Lágrimas.

- A Canção Do Corvo Cósmico Transita E Não Transita Pelo Corvo Oculta.

- A Transição E A Não-Transição Ressoam No Verdadeiro Abrir.

- Horizonte Novo De Novo Não Evolutivo A Evoluir Até O Sim Do Não E O Não Do Sim, Rvekkeyll.

- Horizonte Dos Inomináveis, Asin, Não-Horizonte Dos Inomináveis.



Nenhum comentário: