terça-feira, abril 17, 2007

Da Inominabilidade - Parte LIII


- Primeiramente, antes de continuar a falar da Inominabilidade, agora convosco interagindo sobre o que faremos como Os Enxugadores De Lágrimas, Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável esclarecerá a sua objetividade como Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Caído E Quedante a falar de tema tão árido para um mundo contemporâneo tão materialista e esvaziado de uma Espiritualidade Verdadeira Que Movimente Oceanos De Novas Realizações Evolutivas Humanas. O objetivo deste Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável não é atrair para si a atenção vazia que os “grandes realizadores espiritualistas” atuais recebem por venderem milhões de exemplares de suas obras, cujo espírito principal é o de uma forma de angariar vasta fortuna, Isento De Amor Verdadeiramente Sincero Pelo Ato De Falar De De Escrever Inspirado Pelo Alto. Escrever e falar por Amor atualmente é raro e este Filósofo Inominável Não Filósofo Inominável, por amor à Filosofia Inominável, esta Deusa Inominável Das Mais Belas Dádivas Intelectivas Inomináveis Do Amor Ao Falar E Ao Escrever, Fala E Escreve com a sinceridade que lhe movimenta em suas idéias, atos e palavras Advindas Das Idéias, Dos Atos E Das Palavras Do Inominável. Esta Obra Inominável não será desenvolvida para gerar uma riqueza, Riqueza Material ou Riqueza Espiritual, as quais para este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável e para todos nós aqui no Útero De Gaia é desnecessária porque A Verdadeira Riqueza É Inominável, Reside No Espírito Que Quer Dizer Algo Que Realize Pequenas Ou Grandes Revoluções. Revoluções estas no Pensamento Da Criação, no Pensamento De Um Universo ou no Pensamento Humano, ações de libertação dos sofismas arcaicos de uma civilização em desgraça, a civilização atual, a civilização da Desgraça Contemporânea que, além da Terra, se expande por todo O Baixo e pelo Mais Baixo. Mais do que Afirmar sobre a Espiritualidade Mística Racional Inominável, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável objetiva revelar a desgraça humana que permite-se desenvolver em todos os ramos da vida civilizada terrestre, se é que viver em desgraça é viver civilizadamente. Esta Obra Inominável não é para os milhões de Ouvintes e Leitores acostumados com a pequenez daqueles que falam e escrevem por dinheiro. A Filosofia Da Criação, As Filosofias Práticas Da Criação, não são desenvolvidas para a obtenção da desgraça do dinheiro, O Dinheiro Material e O Dinheiro Espiritual, mas, sim, para a Diluição Prática De Fórmulas Plausíveis De Evolução Individual. Evolução Individual apenas, já que Evolução Coletiva ainda é uma utopia, um sonho de idealistas que acham que o mundo mudará enquanto o Homem continuar se sentindo em graça no interior de um mundo em desgraça. O objetivo maior desta Obra Inominável, de praticidade filosófica, de filosófica praticidade, deste Filósofo Inominável Não Filósofo Inominável, e nossa, Enxugadores De Lágrimas, para os que querem evoluir sob suas Livres Vontades, é denunciar A Desgraça Contemporânea, o final diário da Humanidade Terrestre nas mentiras de suas próprias falsas visões acerca da Realidade Acima e da realidade aqui do mundo que diz-se civilizado e em Evolução. Permeará todas as nossas Obras Inomináveis De Enxugamento De Lágrimas o aspecto da denúncia acima dita e A Obra Maior em especial, A Obra Do Início Do Decair Da Desgraça Contemporânea, será desenvolvida sobre o tema do Final Diário Humano por todos nós que Enxugaremos Lágrimas. Mais do que uma Afirmação Mística Racional Inominável, esta Obra Inominável não foge do mundo ao qual está sendo dada para os que querem Saber Ver A Desgraça Que A Tudo Assola. O Misticismo Racional Inominável não está distante do mundo, não é inimigo do mundo e explica-se, quando Inominavelmente Mais Racional, como uma das fórmulas acima mencionadas. O Olhar Místico Racional Inominável deste Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável indica um caminho que é Afirmado Como Ideal Para Uma Individualidade Ou Para Todas As Individualidades. Os "grandes doutores religiosos" são os que afirmam “ideais divinos” inalcançáveis para todos aqueles que seguem-nos. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável não é religioso e nem anti-religioso, como pode parecer ao ouvir-se e ler-se suas palavras contra as religiões. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que as religiões estão tão mortas quanto os dogmas que dedicam às vastas e cansativas observações do mundo fenomenal. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que os religiosos crêem no que dizem as autoridades religiosas que em sua maioria são os maiores cegos que crêem em sua cegueira como alvas visões das “palavras divinas” eternizadas em “livros sagrados” de efêmera racionalidade quando vistos apenas pelas palavras que nada dizem. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que ser religioso atualmente não é ser um humano ciente da Verdade Do Amor, pois o “Amor” da “Verdade” das religiões é um sentimento materializado, carente de força efetiva em seu alvorecer e permanecer no íntimo religioso. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que as religiões procuram encobrir as soluções que uma simples Vontade Dotada Da Visão Voraz De Visões Realizáveis De Destinos Sublimes Amparados Na Verdadeira Verdade E No Verdadeiro Amor Faria Senhora De Verdadeiras Realidades. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que o religioso mais perfeito é um ser robotizado que recebe ordens mecanizadas presentes nas palavras que lê sem saber ler nos “livros sagrados” e nas palavras que ouve sem saber ouvir nos templos religiosos. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que as religiões fracassam cada vez que tentam dizer que um determinado “Absoluto”, determinado “Imutável”, um “Deus bom e fiel” moldado, quer que todos "Nele" creiam, que "Amem-No", "Adorem-No". Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que um “Deus bom e fiel” moldado que mendiga pela atenção de seus adoradores não é digno nem das piores blasfêmias, já que é apenas um desgraçado agonizando em seu trono de ouro extraído da lama humana lançada "Nele" pelos que lhe chamam de “Senhor”, “Pai”, qualquer nome que lhe dão conforme as mendicantes religiões que Renegam A Face Mãe De Todas As Fontes De Poder Afirmando Apenas A Face Pai De Todas As Fontes De Poder. Concordemos, Irmãos Existenciais Inomináveis, que este “Deus bom e fiel”, “Senhor”, “Pai”, ou qualquer nome de mendigo suplicante que "Ele" possua conforme as mendicantes religiões, não pode ser A Mãe Verdadeira Que Existe, O Pai Verdadeiro Que Existe, A Mãe, O Pai, que este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Aprendeu No Alto A Denominar Sem Denominar De Inominável Desconhecido. As religiões externas, as religiões com templos, cultos, regras e tradições, não Religam o indivíduo humano que quer O Algo A Mais Existente, o indivíduo humano que nelas crê com lealdade e profundidade, À Sua Mãe Verdadeira, Ao Seu Pai Verdadeiro. A religião interna, A Religião Inominável, A Religião Do Ser Verdadeiro Oculto No Ser Que Objetiva E Subjetivamente Insiste Em Seu Existir No Mundo Fenomenal, Aquela Religião Que Pode Ser Encontrada E Seguida, Aquela Religião Que É A Verdadeira Revelação Segura De Um Algo Maior Em Toda Fonte De Poder, É A Religião Da Identificação Da Mãe Verdadeira, Do Pai Verdadeiro. Através do nome “Deus” este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável, ao Cair E Continuar Caindo, reencontrou em sua religião interna, Religião Inominável, A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro, Ao Qual Denomina Sem Denominar Como Inominável Desconhecido. Através do nome “Brahma” um brâmane encontraria A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro; através do nome “Allah” um muçulmano encontraria A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro; através do nome “Iaveh” um judeu encontraria A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro; através dos vários nomes Dela/Dele, que nada dizem do Seu Dizer, fiéis das religiões externas, abandonando talvez por milionésimos de segundos apenas as suas crenças no arcaismo religioso que seguem, reconhecendo que podem possuir a religião interna, A Religião Verdadeira, encontrariam A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro. Esta/Este não precisa ser “provado” como existente, mas encontrada/encontrado sempre em infindáveis buscas movidas por sentimentos acima do que é conhecido como Amor, Sentimentos Inomináveis. Ela/Ele teria outros nomes para cada um que A encontrasse, O encontrasse, internamente? Teria, mas igualmente como o nome que não é um nome por este Filósofo inominável Não-Filósofo Inominável reencontrado, Tais Nomes Não Seriam Nomes. A Essência Do Incondicionamento Da Palavra, no caso dessa Mística Busca Religiosa Interior, conduzida racionalmente, constitui o que É Mais Uma Afirmação: As Faces Da Mãe Verdadeira, As Faces Do Pai Verdadeiro. As Faces Inomináveis por este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável reencontradas advém da Fonte De Poder Inominável Da Mãe Verdadeira, Do Pai Verdadeiro, Na Qual Ele No Alto Nadava. As Religiões Internas São Fontes De Poder Que Religam O Ser Material Misticamente Racional À Mãe Verdadeira, Ao Pai Verdadeiro, Legítimas, Mutáveis Para Que Nunca Parem De Encontrá-Lo Sob Infinitas Faces. A Fonte De Poder na qual este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável intuiu acerca da Inominabilidade é Inominável, É A Certeza De Vozes Inomináveis A Falarem Potentemente De Verdades Da Verdadeira Verdade. Toda Fonte De Poder Verdadeira dos religiosos internos, a do Místico Racional Verdadeiro meditando no deserto fértil de suas visões racionalizadas com pura Fé Transcendental e a do solitário inquieto pensador invulgar na biblioteca vasta de seu Espírito, diferentes porque É A Diferença E Não A Semelhança Que Mantém A Harmonia Das Esferas De Vida Sa Criação, encontra-se na Mãe Verdadeira, no Pai Verdadeiro. Todas a Esta/Este levam, trata-se apenas de encontrar nas religiões externas a sua Fonte De Poder, Aquela que inspirou a fundação de cada uma. Todas Nela/Nele Integram-Se, basta que os deturpadores das Fontes De Poder presentes nas religiões externas, os falsificadores das Palavras Da Mãe Verdadeira, das Palavras Do Pai Verdadeiro, sejam afastados dos Espíritos desejosos de sentirem em si Esta/Este. Todas Dela/Dele são, Apenas Há A Diferenciação Que É Necessária Para A Evolução, Pois Uma Igualdade Eterna Seria Involução Eterna, Tudo Tem Que Ser Diferente Em Tudo Essencialmente Em Seus Diversos Objetos Para Que Haja A Garantia Da Purificação Até O Sentir Em Si A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro. A partir da Visão Da Mãe Verdadeira, Do Pai Verdadeiro, Revelada/Revelado Como O Inominável Desconhecido A Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável No Alto, A Afirmação Do Caminho Místico Racional Inominável De Retorno Que É Ida Até Ele Está Aqui Sendo Desenvolvida No Útero De Gaia, Irmãos Existenciais Inomináveis . Por que a não-especulação? Por que O Afirmar Tudo nesta Obra Inominável com a autoridade de um Ser Místico Racional Inominável Caído E Caindo Que Encontrou E Encontra O Pai Verdadeiro De Tudo E De Todos? Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável tudo pode Afirmar porque rebela-se contra toda autoridade humana a Macular O Verbo Cósmico Das Manifestações Superiores E Inferiores De Vida, autoridade que é sempre erro de humanos que pensam estar falando alto quando nem sabem o que é Verdadeiramente Falar. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável agora é um rebelde que ama a sua rebeldia, um destruidor que constrói obras para fazer pensar, O Não-Filósofo Inominável Que Filosofa Pelo Amor À Filosofia Inominável. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável quer que todos vós saibais que ele revoluciona no silêncio de sua solidão criativa e criadora, não quer a adoração tola e estúpida de “líder religioso”, “profeta”, “Iluminado”, “Salvador”, “reformador”, Qualquer Dor Nascida Do Fato De Afirmar Como Absolutíssimo Fato O Fato Do Continuar Encontrando Misticamente Racional Inominável O Inominável Desconhecido Que É Mutável Fato Do Grande Fato Mutável Da Criação. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável quer unicamente abrir poucos olhos, não quer impor a Fonte De Poder Inominável como a única verdade válida para todos os Espíritos cansados de ouvirem mentiras sólidas em frágeis estruturas denominadas religiões externas. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável não fantasia em seu contato com a Fonte De Poder Inominável novamente restabelecido e nem quando Afirma, pois ele Sabe que muitos Amigos Inomináveis, Anjos Diurnos E Noturnos Elevados Inomináveis que silenciosamente comunicam-lhe Verdades Inomináveis, Ainda Seguem No Alto O Caminho Místico Racional Inominável nesta Obra Inominável sendo exposta. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável quer que vós respeiteis vossas próprias racionalidades se quiserem encontrar A Mãe Verdadeira, O Pai Verdadeiro, como Enxugadores De Lágrimas, ou se apenas quiserem conhecer a Filosofia Inominável nesta Obra Inominável atuante. Irmãos Existenciais Inomináveis, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável que vós orientará como Os Enxugadores De Lágrimas, quer apenas Leitores Do Eterno Mutável Livro Da Inominabilidade Que Saibam Fazer Novos Textos Para Novos Irmãos Existenciais Inominávei Que Serão Colhidos No Campo Terrestre Das Coisas Materiais Nomeáveis e não seguidores, quer dizer o que a si chega de uma maneira inominável e não dizer a todos pelo mundo todo que destruam as suas crenças e sigam O Inominável Desconhecido. Bom será todos continuarem sempre seguindo as mentiras que quiserem e não se converterem às palavras desta Obra Inominável. Todos, nesse caso, são os que procurarão execrar esta Obra Inominável como sendo a loucura de um Anjo Caído que se acha um dos muitos senhores da Verdade. Que Verdade, qual Verdade, todos os que acharão esta Obra Inominável a obra de mais um louco místico visionário, acham que conhecem como sendo a Verdade deste mundo, desta realidade? A Verdade Política? A Verdade da Justiça? A Verdade da Economia? A Verdade da sociedade? A Verdade da carne? A Verdade religiosa? Que Verdade? Qual Verdade? Qual Verdade se tudo é mentira, plena mentira, douta mentira, uma ilusão a mentir sob os véus encantadores das falsas felicidades e alegrias mundanas? Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável, falo agora aos meus inimigos visíveis e invisíveis a estarem a ouvir-me aqui no Útero De Gaia, não teme o vosso vociferar legítimo, da legitimidade dos que amam as mentiras como zelosas mães amamentadoras eternas de sonhos venerados portentosamente. Inimigos visíveis e invísiveis este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável possui, pois ele crê na Verdade Da Espiritualidade, pois ele crê na Verdade Da Inominabilidade, onde estão inseridas a Reencarnação e a Evolução Existenciasl, outras crenças deste que vos fala e que vós sabem ser Inegáveis, Irmãos Existenciais Inomináveis. Perguntarão os críticos vísiveis e invisíveis do nosso Enxugar De Lágrimas que me proponho a direcionar: um Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável que diz ser racional, contrário a crenças religiosas, não está se contradizendo ao crer em uma crença religiosa milenar humana e fraca como a da Reencarnação? Responderá este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável aos críticos visíveis e invisíveis: mesmo que apenas o termo racional desse nome a esta Obra Inominável, este que vos responde ainda aceitaria como verdadeira a crença na Reencarnação, a qual não pertence a religião externa ou doutrina nenhuma, porque é uma Verdade Da Verdadeira Verdade. O mundo materialista condenará esta Obra Inominável e O Enxugar Das Lágrimas, Enxugadores De Lágrimas. O meio acadêmico a desaprovará, polêmicas muitas quererão que ela desapareça. Na época da Inquisição este Filósofo Inominável Não Filósofo Inominável, mesmo não sendo humano, teria sido queimado na fogueira e ele crê que o foi quando as suas Sementes Altas foram dispersas em Existências de seres humanos especiais dotados de Grande Visão Espiritual, baseado em sua Intuição Transcendental Pura de Filósofo Não Filósofo Místico Racional Inominável, possuindo anteriormente outros invólucros para este Espírito, cuja Essência Alta em seres humanos específicos manifestou-se. O mundo contemporâneo está em Desgraça porque esqueceu-se do alicerce maior que o auxiliou em suas origens mais primitivas no mundo antigo: A Espiritualidade, A Verdadeira Espiritualidade. A Humanidade espiritualizada do mundo contemporâneo é pouca e o Materialismo exerce seu poderio tornando a tudo estagnado em posição lastimavelmente inferiorizante. Esta Obra Inominável é a primeira de uma Revolução Silenciosa Pelo Retorno De Todos Os Homens E Mulheres Da Humanidade À Espiritualidade, À Intuição Verdadeira, esta que jamais foi profundamente estudada, mas que aqui, no Útero De Gaia, está sendo. Esta Obra Inominável, crê este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável, vai sobreviver aos Fogos Contrários, vai alcançar os Seus Objetivos, Vai Ao Horizonte Tão Distante De Um Mundo Que Futuramente Será Um Mundo No Qual Cada Fonte De Poder Será Responsável Pelo Reencontro De Cada Espírito Com A Origem Verdadeira De Todas As Coisas Mais Verdadeiras No Panteão Cósmico De Todas As Origens Verdadeiras Das Coisas Grandes E Pequenas Dispersas Pela Arquitetura Cósmica De Toda A Criação. Esta Obra Inominável não mede a sua forma através de uma essência que atraia a todos os interessados em mais um divertimento banal para as suas mentes, que banalizam-se através das mentiras nas quais acreditam. Esta Obra Inominável não é destinada à grande fama, pois um Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável que defende e desenvolve a sua Filosofia Inominável com a finalidade de torná-la famosa é um falso filósofo, um amante de mentiras tão atraentes para a sua existencialidade como as dos demais seres humanos e Elevados absortos em suas mentiras acreditáveis. Esta Obra É Inominável, Este Filósofo Não Filósofo É Inominável, Asin Du An No In É Inominável, Aqui Cintila O Inominável, A Força Sem Força Que Em Sua Suavidade É Mais Do Que A Sua Força E Que Em Sua Força É Uma Suavidade Geradora De Todas As Forças. Esta Obra Inominável, assim como nós que somos O Enxugadores De Lágrimas, Irmãos Existenciais Inomináveis, resistirá a toda contrariedade. Esta Obra Inominável, assim como nós que somos Os Enxugadores De Lágrimas, Irmãos Existenciais Inomináveis, contrariará toda resistência ao abrir de alguns poucos olhos. Esta Obra Inominável, Obra que é nossa, Enxugadores De Lágrimas, abrirá alguns olhos. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável, Filósofo Místico Racional Inominável, atesta aqui a sua segurança de falar com a propriedade de ser apenas um relator de Mensagens Silenciosas E Inomináveis. Irmãos Existenciais Inomináveis, inimigos e críticos visíveis e invisíveis: a vós entrego a propriedade de dizerem se esta Obra Inominável Para O Iniciar Do Enxugar Das lágrimas é apenas ficção mística, loucura ou pura inominável criação mística-filosófica sem nenhum fundamento nas Esferas Altas e nas Esferas Baixas. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável em si mesmo crê. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável crê no Inominável. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável crê em sua Obra Inominável. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É Esta Obra. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável não ora. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Silencia-Se. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Assim É Esta Obra Que No Silêncio Diz Mais Do Que Se Fosse Voz Bradando Em Dias Ensolarados De Mentiras E Em Noites Nubladas De Mentiras. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável é Filho Do Silêncio, O Silêncio Doutrinador Que Revoluciona Sem O Brilho De Armas Na Noite Das Grandes Mundanas Mentiras. Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É Acompanhado Por Amigos Visíveis E invisíveis Inomináveis Que Agora Nos Estão A Rodear Aqui No Útero De Gaia, a nós, Os Enxugadores De Lágrimas . Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É A Solidão Imaterial De Um Solitário Silêncio A Receber Vozes Silenciosas Inomináveis. Este Filósofo Inominável Não Filósofo Inominável Possui Todas As Verdadeiras Companhias Pois Não Crê Nas Mentiras.

Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Está No Inominável.

Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Fala Silenciosamente Do Inominável.

Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Fala Silenciosamente Como O Inominável.

Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É Inominável.

Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É O Inominável.

Silêncio.

Revolução.

Fogo.

Inominável.

Aqui, Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Evoca Sua Fonte De Poder.

Aqui, este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável Torna-Se Sua Fonte De Poder.

Aqui, Este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável É Sua Fonte De Poder Inominável.

Esta Obra Inominável No Enxugar Das Lágrimas Agora Está Iniciada.






Nenhum comentário: