sexta-feira, abril 13, 2007

Da Inominabilidade - Parte LII


- Ser Mais: A Frase Existe Como O Chamado Da Una Consciência Ao Alto. O Ser Mais Existe Quando Os Pés Cansam-Se De Pisar Em Agulhas Eternas E Os Olhos Cansam-Se De Visualizar Vazios Eternos. Agulhas E Vazios Eternos São Colossos Vencíveis Quando As Consciências Preenchidas Pelos Colossos Transcendentais Da Vontade De Transcender Elevam-Se Meritoriamente Às Custas De Um Espontâneo Processo Naturalmente Ascensório. O Ser Mais É O Primeiro Ideal Do Princípio Cósmico Transcendental Da Existência Eterna, É Ser Demais, É Ser Demasiadamente Mais, É Ser O Mais Que Pode Transcendentalmente Ser. Ser Menos E Menor é Uma Condição Indigna Dos Espíritos, Uma Ignorância De Ignorância Acerca Da Vontade Cósmica Que A Tudo Impulsiona. O Kosmos Quer O Ser Mais De Cada Ente Moldado Consciente Do Que Ele Mesmo É E Do Que Este Ser A Si Mesmo É Feito Para Formar Todo O Seu Poderio. O Ser Mais É O Pedido Do Kosmos, Através Do Seu Verbo Creativo, Aos Residentes Em Sua Morada, Pedido De Ascensão, Pedido De Retorno, O Produto Do Retorno. Ser Mais, Ser Mais, Ser Mais: Bravo Brado Do Kosmos, Do Existir, Do Inominável Desconhecido, Para Que Todos Os Pequenos Seres Em Suas Existências Individuais Cresçam Para Pertencerem À Una Existência Eterna, Una Existência Eterna Que Os Mantém Com As Suas Individualidade, Una Existência Eterna Que Apenas Une Em Prol Da Evolução Existencial No Caminho De Todas As Verdadeiras Verdades Da Verdadeira Verdade! Vontade De Transcender É O Transcender Do Existir No Brado Que Chama Ao Alto. Brado Transcendente É O Existir. A Existência Eterna É A Una Senhora De Todos Os Seres Existentes Na Criação. Conhecer A Criação É O Existir. Existir Conhecendo-Se É O Existir. Criar-Se Existente É O Existir. O Nunca Que Se Finalizará É O Existir. Existam, Existam, Existam, Ó, Seres Existentes No Planeta Terra Que Se Desconhecem, Assim Grita O Existir, Irmãos Existenciais Inomináveis! Existam E As Fontes De Poder Conhecidas E Desconhecidas Vós Todos Conhecereis Como Verdadeiramente Existentes, Assim Grita O Existir, Irmãos Existenciais Inomináveis! O O Verdadeiramente Existente É A Mãe Verdadeira De Verdadeira Mãe, A Verdadeira Ela, É O Existente! Verdadeiramente Existente É O Pai Verdadeiro De Verdadeiro Pai! Ele, O Verdadeiro Ele, É O Existente! Ser Mais Transcendentalmente É Ser O Existente! O que mais vós quereis, Humanidade, ouvir para Existirem No Existir, Assim Este, O Existir, Grita, Irmãos Existenciais Inomináveis? Talvez este Poema Místico do Místico Racional Inominável, nosso Irmão Existencial Inominável Na Glória Do Alto, Glória da qual Caí, que canta As Glórias Da Inominabilidade Mãe, que canta As Gerações Da Inominabilidade Pai e canta a nossa existencialidade como Filhos De Toda Fonte, Cada Filho Do Verdadeiro Ele Em Uma Fonte:



Eu não existo solitariamente

Porque Tu,

Mãe Inominável Desconhecida,

Pai Inominável Desconhecido,

És A Companheira,

És O Companheiro,

Dos meus dias erráticos

E das minhas noites angustiadas.

Ninguém existe solitariamente

Porque Tu,

Mãe Inominável Desconhecida,

Pai Inominável Desconhecido,

És O Companheiro de todos

Em Vossa Fonte De Poder

Inominável.

Nenhum Ser Da Senda Inominável

É Solitário.

Nossa Presença Inominável

Em Vossa Presença Inominável

Por todos os dias de atos

E por todas as noites de rastros

São nossos caminhos livres,

São nossas caminhadas atuais.

Falo por mim

E falo por todos da Inominabilidade,

Falo de mim

E falo de todos da Inominabilidade,

Ao pedir-Lhe um materno

E fraterno olhar carinhoso.

Dos carinhos Vossos tocamos

Nas nossas Sementes Inomináveis.

Sei que Vós me amas acima do amar

E sei que acima de mim mesmo

Eu Te Amo,

Mãe De Todo Inominável,

Mãe minha Inominável,

Pai De Todo Inominável,

Pai meu Inominável,

Pai de todos Inomináveis.

Apenas quem Lhe conhece

Pode nomeá-Lo

E eu Inominável,

Ser Inominável,

Inominável Ser,

Que desconheço-Lhe,

Amorosamente chamo-Lhe

De Inominável Desconhecido.

Deitei nomes pelas areias amorosas minhas

E recolhi meus amores inomináveis.

Que eu Lhe conheça,

Mãe Inominável Desconhecida,

Pai Inominável Desconhecido,

Inominável Desconhecido,

Para que Lhe nomeie

Com as valiosas Letras

Da minha Alma Eterna

Que por isso anseia.

Que eu Lhe conheça,

Mãe Inominável Desconhecida,

Pai Inominável Desconhecido,

Para finalmente Existir

E realmente vê-Lo

Face A Face No Alto

Mais do que já Lhe vejo no Baixo.

Vejo semblantes dos meus sonhos nas Eras,

Atravesso os semblantes das minhas Eras.

Calo-Me Sob O Vosso Semblante.

Calo-me diante do Vosso Semblante.

Que todos,

Pessoalmente em suas Fontes,

Descubram como É

O Vosso Semblante,

Vossa Luz Verdadeira,

Vosso Olhar Verdadeiro.

Eu Lhe verei.

Eu Lhe verei mais

Face A Face,

Mãe.

Eu Lhe verei mais

Face A Face,

Pai.

Face A Face mais

Eu Lhe verei,

Mãe,

Pai,

Inominável,

Desconhecido.

Eu Lhe nomearei mais

Sem Lhe nomear,

Mãe Inominável Desconhecida,

Pai Inominável Desconhecido.

Eu

Lhe

Nomearei!

Eu

Lhe

Nomearei!

Eu

Lhe

Nomearei!

E

Esse

Nome

Será

Inominável!



Caiu E Ascendeu O Último Raio, Irmãos Existenciais Inomináveis. Mas, A Inominabilidade É Mais Do Que Três Raios.


Nenhum comentário: