quinta-feira, março 15, 2007

Da Inominabilidade - Parte XXXVI


- É Quando O Amor Espiritual Vence O Amor Carnal Que Todo Casal É, Conjuntamente, Verdadeiros Mãe E Pai De Seus Filhos. Quando este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável diz todo casal, também refere-se aos incompreendidos homossexuais. O Homossexualismo, Diante Do Evoluir E Do Revolucionar De Todas As Esferas Altas E De Todas As Esferas Baixas, Nas Faces Do Grande Doador De Toda Existência A Revelar-Se Em Infinitas Fontes De Poder, Não Existe, Pois Para Ele Homem E Mulher, Mulher E Mulher, Homem E Homem São Partes Da Unidade Que Ele É E Serão Partes Novamente De Sua Unidade No Grande Dia Do Amanhã. Não Há Homossexualismo, O Que Há É Apenas O Mais Puro Amor Espiritual, Seja Este Entre Homens, Seja Este Entre Mulheres. Os ignorantemente denominados homossexuais pela Humanidade Terrestre, na Fonte De Poder Inominável são Produtores Do Amor Inominável Na Matéria Tanto Quanto Os Heterossexuais E São Tão Amados Quanto Estes Pelo Pensador. Os ignorantemente denominados homossexuais pela Humanidade Terrestre são mães e pais de Filhos Espirituais, Filhos Que Lhes Amam, Filhos Que Eles Amam, Filhos Verdadeiros Filhos. No Reino Espiritual Filhos Nascem de um casal ignorantemente denominado pela Humanidade Terrestre ignorantemente de homossexual e este, no Reino Material, Amando-Se Espiritualmente, pode e deve adotar filhos de outras mães e de outros pais. Os Que Amam Espiritualmente Deixam De Ser Apenas Apaixonados Conforme A Materilaidade E Compartilham Sensivelmente Da Maternidade-Paternidade Inominável Pensante Conforme A Inominabilidade. A Vontade Pensante Do Pensador É Fazer-Se Conhecido E Reconhecido, mesmo Desconhecido, Irmãos Existenciais Inomináveis, até nos Pequenos Detalhes Mutáveis Do Desenvolvimento De Um Ente Em Todos Os Mundos. Amar Espiritualmente Algo É Amá-Lo No Algo Pensativamente Amável Que Desse Amor Transmuta-Se Naquele Amor Desejoso Do Retorno Ao Pensamento. Unindo Este Amor Do Amor A Uma Linguagem Que Os Sóis Inomináveis Iluminadamente Fazem Compreender Em Seus Mistérios Presentes No Pensamento, O Místico Racional Inominável Acende Em Si Sóis Inomináveis Interiores Que Iluminam Os Astros Celestes De Vestimentas Admiráveis Que São Os Seus Pensamentos Inominavelmente Admiráveis. Crê este Filósofo Inominável Não-Filósofo Inominável, Crença Presente E Atuante Em Todas Da Inominabilidade No Alto E No Baixo, que no Misticismo Racional Inominável não é sempre necessário o celibato voluntário ou forçado para O Retorno Ao Pensamento. Os casais hetero e homossexuais que, encontrando-se em várias Existências Contínuas e Despertos Para O Caminhar Místico Racional Inominável, obtém do Pensador, igualmente como os que optam pelo comportamento volitivo celibatário, A Chave Do Retorno, integralmente. As Vestimentas Espirituais São Admiráveis Ao Iluminar Dos Sóis Nascidos Do Amor Espiritual, O Amor Verdadeiro, Internamente, Possível De Ser Alcançado Por Todos, Impossível De Não Ser Alcançado Por Alguém. Os Sóis Pensam Em Todos Os Sóis Que Encontram-Se No Pensamento, Que São Poucos Ainda, Iniciando Assim A Rota Da Caminhada À Condição De Cristos De Cristos. Uma Creação De Amor Espiritual Pode Ser Contida Em Dois Seres Amorosos Para Si E Para Com O Pensador, dedicando a Este o sexo e a procriação. Destes fazendo um Ato De Amor Ao Pensamento, de Encarnação a Encarnação, Os Casais Místicos Racionais Inomináveis, Naturalmente Complementares E Conscientes Do Retorno, deixam de ser casais conformes as efêmeras Leis Da Materialidade e tornam-se O Casal Inominável Pensante No Pensamento. O Pensador É O Feminino-Masculino Pensante De Toda Creatura E É O Amor Espiritual, O Único Amor Espiritual, O Mesmo Dos Casais Inomináveis Ou Do Celibatário Inominável Que Escolhe Amar Espiritualmente A Toda A Creação E O Que Nesta, Material E Espiritualmente, Caminha Mutavelmente. Os dois, o Casal Inominável e o Celibatário Inominável, atuam no auxílio que melhor seja adaptável aos Não-Místicos Racionais Inomináveis e Não-Místicos Racionais de outras infintas Fontes De Poder que afogam-se nas suas próprias Trevas Infernais. As Revoluções Proporcionadas Pelos Místicos Racionais Inomináveis São Ao Nível Do Pensamento E Mutáveis Pelo Pensamento. A caridade dos Místicos Racionais Inomináveis é a de gerarem nos Não-Místicos Racionais Inomináveis e Não-Místicos Racionais de outras infinitas Fontes De Poder afogados em suas próprias Trevas Infernais Forças Maiores Que A Estes Façam Caminhar Por Si Mesmos Em Suas Elevações Existenciais. Os Místicos Racionais Inomináveis São Revolucionários E Caridosos Em Seu Ato De Amor Ao Amor Inominável.

Nenhum comentário: