quinta-feira, março 08, 2007

Da Inominabilidade - Parte XXXI


- Na Creação Criada, isto é, no Pensamento Criador Inominável Do Pensamento Creador Inominável, O Reflexo Verdadeiro Do Verdadeiro Ele No Todo De Todas As Coisas, O Pensador Pensa Transcendentalmente Mutável Em Mais Verdades Mutáveis Com relação Às Suas Creaturas Animadas E Inanimadas; nestas, no Olhar Místico Racional Inominável, pulsa uma vida realmente possível, pois átomos e moléculas movem-se mutavelmente onde aparentemente não pode existir qualquer movimento. Na Creação Criada Na Razão Inominável Do Reflexo, O Verdadeiro Ele É o Bem Nos Bons Incondicionalmente; O Mal Nos Maus Incondicionalmente; Nem Bem E Nem Mal Nos Bons E Nos Maus Incondicionalmente. O Verdadeiro Ele, O Ele Inominável, Imana E Transcende, Transborda-Se E Dissolve-Se, Toma E Doa, Em Todos Os Pensamentos De Suas Creaturas, O Pó Do Fim, O Tesouro Do Meio E Os Segredos Do Início. O Verdadeiro Ele, O Ele Inominável, É O Imanente, O Transcendente, O Transbordante, O Dissolvente, O Usurpador, O Doador, O Pensamento Pensado Dos Pensamentos De Suas Creaturas Em Toda A Cadeia Evolutiva Conhecida E Em Todas As Cadeias Evolutivas Desconhecidas. Em Seu Simples Complexo Navegar No Espaço Material, O Verdadeiro Ele Pensa Em Seu Pensamento E O Ciclo Evolucionário De Todas As Coisas Objetivas Pensadas Para Ocuparem O Mar Material Está Nesse Eternamente Navegar Que É Eternamente Movimentar-Se. Não há nenhum “Juízo Final” para a Creação Criada e nem para O Pensamento; Este não retornará a nenhum “vácuo” que jamais existiu, Eternamente Sendo Pensar No Pensador, O Ciclo Dos Ciclos Da Inominabilidade. O “Apocalipse” é o de cada ser individual que mal utiliza a sua consciência, diariamente cultivando ou o ser-bom ou o ser-mau, Quando Na Pensativa Mutabilidade Do Todo Não Há Bem Ou Mal. O “apocalipticamente”, o “fim do mundo”, o “fim” de qualquer mundo, é uma quimera da mais primitiva natureza ainda crida por alguns cegos religiosos externos. O Pensamento E O Pensador jamais haveriam de interromper o Seu Eterno Evoluir para que “tudo se acabasse no belo panteão universal chamado Criação”. O Pensamento, O Pensador, É O Sem-Fim. Sem-Fim, Mutável Sem-Fim, Na Creação Criada E Na Criação Creada, Indissoluvelmente Sem-Fim Que Prima Pelo Continuar Existencial Do Conhecido E Do Desconhecido. O Sem-Fim É O Desconhecido Do Qual Procede O Sem-Fim Do Conhecido, O Mutável Meio Pensativo Que Não É Nenhum Meio Definido, Definidor E Definitivo Para O Proceder Compreensível Da Inominabilidade Pensando. O Pensamento Creador Do Inominável É O Produtor Da Navegação De Tudo Moldado Nele E Dele E Para Ele E Por Ele Nos Horizontes Da Creação Criada E Da Criação Creada. O Inominável É O Navegante A Navegar Pela Una Creação (Creação Criada + Criação Creada) Através Do Raio Da Razão Inominável Por Inominável Razão. O Inominável não é o dualismo imbecilizado e imbecilizante crido milenarmente neste mundo. O Inominável Pensa-Se Como Creação Criada, Irmãos Existenciais Inomináveis. O Inominável Pensa-Se como Criação Creada, Irmãos Existenciais Inomináveis. O Inominável É A Própria Una Creação Sua, Um Delicado Mar Navegado Por Si Mesmo, Uma Navegação De Delicadezas De Si Mesmo, O Navegante Cuja Delicadeza É O Seu Si Mesmo, Irmãos Existenciais Inomináveis. Esse Simples Complexo Navegar É Pensado Pelo Místico Racional Inominável Como Pensamento Pensado Pelo Pensador, Verdade Navegável Que O Faz Isento Do Pensar Na bondade E Do Pensar Na Maldade. O Místico Racional Inominável Não Classifica-Se Nem Como Bom E Nem Como Mau Porque Sabe Que O Pensador Não Classifica As Creaturas Por Ele Pensadas Como Boas Ou Como Más.




Nenhum comentário: