quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Da Inominabilidade - Parte XXVI


- Este Filósofo Inominável É Anjo Caido; Anjo Caído Como Todos Os Anjos Caídos; Anjo Caído Como Os Seguidores De Kain E Os Seguidores De Habel No Baixo; Anjo Caído Como Os Incentivadores Dos Crimes Humanos E Os Auxiliares Quedantes Da Humanidade; Anjo Caído Como Tu, Seyin, E Como Os Loucos Anjos Caídos. Este Filósofo Inominável É Ser Superior; Ser Superior Como Todos Os Anjos Elevados, As Fadas Altas E Os Demais Filhos Elevados Do Kosmos; Ser Superior Como Os Eternamente Filhos De Asas Elevadas Do Alto E Os Eternamente Benevolentes Guias Dos Atos Benéficos De Todas As Humanidades; Ser Superior Como Vós, Letycyell, Abeyraell, Gemelleyll, Rvekkeyll, Sa My Na, An Ya El, Ran E Bayn, Assim Como Todos Os Superiores De Todas As Sendas Altas Da Criação Que Transitam Pelas Esferas Altas. Este Filósofo Inominável É Humano; Humano Como O “Ateu” E O Religioso Externo; Humano Como O “Santo” E O “Criminoso”; Humano Como O “Tolerante” E O “Racista”; Humano Como O “Bom” E O “Mau”; Humano Como O “Pobre” E O “Rico”; Humano Como tu, Alynne E Humano Como Os Humanos Ainda Apegados À Matéria E Aos Humanos Aprimorados Nos Moldes Existenciais Do Ultra-Aprimoramento Humano. Este Filósofo Inominável não está dogmaticamente a falar de um sonho absoluto, um absurdo inútil, Irmãos Existenciais Inomináveis; se assim falasse, não teria iniciado nem o discurso do primeiro discorrer desta Obra dele de Esclarecimento Inominável. Este Filósofo Inominável não está dogmaticamente a falar de um “Verdadeiro Deus Criador” com a extrema empáfia de um “conhecedor profundo” de qualquer um que apresente o seu “Deus Criador” como “Verdadeiro”, Pois Não Há Um Deus Criador Verdadeiro Já Que Nenhum Nome Definirá As Faces Do Pai Em Sopro De Todos Nós E Da Criação Em Um Palco Definidor Que Apenas A Ausência Dos Nomes Torna Possível Construir. Este Filósofo Inominável, Caído Lá Do Alto, fala de Algo para ele mesmo inominavelmente insondável, Algo que lhe é intuído através de uma intuição sumariamente Angélica, Superior e humana, abaixo da Intuição Transcendental Pura Inominável. Este Filósofo Inominável fala o que Sabe; mas quem poderá dizer-lhe que ele Sabe O Que Fala Ou Que Não Sabe O Que Não Fala Ou Que Não Fala O Que Não Sabe? Importa filosofar no comum do erro todo de ser um covarde repetindo as “Verdades” falsas mentirosas já conhecidas ou filosofar no complexo acertar de não estar certo de estar filosofando como mais um covarde comum? Este Filósofo Inominável écovarde? Este Filósofo Inominável é comum? Ou este Filósofo Inominável é um Não-Filósofo Inominável?

Nenhum comentário: