quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Da Inominabilidade - Parte XXI



- O Inominável Desconhecido É Razão. Razão Desconhecida De Desconhecida Razão. Razão Una De Una Razão. Razão Inominável Por Inominável Razão. A tolice bestial e bestializante humana comum O nomeou, mas nunca chegará, “sabiamente”, A Saber Nomeá-Lo Não O Nomeando Racionalmente, Conhecendo-O Por Sábio Verdadeiro Desconhecimento Mutável Que Guia Ao Verdadeiro Conhecimento Do Inominável. Nomes são tolas convenções humanas criadoras de lendas e reforçadoras de mitos. Nomeando O Inominável Desconhecido como “Deus”, criou-se uma lenda, reforçou-se um mito e o desconhecimento Daquele é negativo, impuro, inocente em suas características de ser apenas um molde pseudo-aprimorado das facetas benévolas humanas, vazia em suas significações diretas já que o simples nome "Deus" pode relacionar-se tanto a uma pedra que pode ser esmagada em qualquer estrada quanto a um Ser Evoluído Em Condição Divina Que Pode Estar Propenso A Perder A Condição Divina E Caminhar Na Matéria. Nenhuma Fonte De Poder, inspirando um fundador de uma religião ou um livre pensador que busque As Faces Reais Do Originador Do Existir, daria um humano nome humano ao que é impossível de ser humano e de ter a Quedante Face Humana Que Objetiva A Carnavalização Na Matéria Em Lugar Da Espiritualização Na Imaterialidade. Ele, Sendo A Razão Desconhecida De Todas As Origens Possíveis E Impossíveis No Patamar Da Fonte De Poder Inominável Que Ele É, Já É Tudo Todo Talhado Infinito e não necessitava da limitação do nome “Deus” e de outros, belos nomes que geram desgraças para esta Desgraça Contemporânea que é o mundo civilizado atual, o mundo, Irmãos Existenciais Inomináveis, no qual atuaremos Enxugando Lágrimas. A Desgraça Eterna Da Humanidade Originou-Se Das Humanas Nomeações Humanas Do Inominável Presente Em Todas As Fontes De Poder E Em Todos Os Poderes Manifestos Materialmente Das Fontes De Poder. Ao Inominável Desconhecido nomeado como “Deus” e os outros nomes que Lhe impurificaram como Pai, foram direcionados todos os erros existenciais humanos cometidos ao longo da História, por total falta da Intuitiva Percepção Transcendental Do Que Ele É Sem Um Nome. Pelo “Deus” e outros belos nomes a Ele dados, que não são A Razão Inominável, um fantasmagórico palhaço do circo desgraçado que é o viver humano, digamos e pensemos assim, Irmãos Existenciais Inomináveis, porque assim é a Realidade Terrestre, as religiões externas e as “seitas” foram fundadas. Conforme Sabemos Em Nososs Olhares Ocultos, Irmãos Existenciais Inomináveis, As Fontes De Poder que inspiraram as formações religiosas e doutrinárias externas mundiais são legítimas, apenas sendo ilegítimos os herdeiros delas que adulteraram as Palavras Verdadeiras dos fundadores inspirados por Aquelas. Por causa dos ilegítimos herdeiros das Palavras Verdadeiras Das Fontes De Poder, as religiões externas e as “seitas” não são A Religião Inominável Do Inominável, Religação Verdadeira Com Ele Através De Um Transcendentalismo Puro Inominável E Com A Verdadeira Verdade Que Clama Pelo Seu Encontrar-Se Com O Olhar Humano Transcendental Puro Inominável. Nenhum Inominável Ser Misticamente Racional Inominável segue religiões externas e “seitas”, não age conforme a irracionalidade religiosa aceitadora das palavras do padre, do pastor, do rabino, do aiatolá, do bispo, do papa e de qualquer “religioso maior que tem experiências pessoais com Deus”. Este “Deus” é o irracional encarnado em todos os religiosos externos, a maternidade de todas as desgraças espirituais da Humanidade, a Razão Nominável, peça-chave de uma desgraça material nomeada tida como “divina”, “sagrada”, “soberana”. A Razão Inominável, para tais irracionais, se assim continuarem a ser, Irmãos Existenciais Inomináveis, será sempre A Graça Verdadeira Que Jamais Nomearão, A Graça Contemporânea Que Jamais Conhecerão, A Graça Eterna Que Jamais Terão.

Nenhum comentário: