quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Da Inominabilidade - Parte VII


- Verdadeiramente Aprender adjudica verdadeiramente empreender racionalmente um Verdadeiro Compreender. A mais elevada das instituições de ensino é a instituição humana e não-humana erguida com os materiais do Verdadeiramente Transcendental reunindo parâmetros puros do pensar em Mutável Todo De Verdadeiras Compreensões. O ser humano, “ser” como Gênero, englobando toda a Humanidade, é capaz de Verdadeiras Compreensões porque adormecida nele está a Intuição Transcendental Pura Inominável à qual, Inominavelmente, vos apresento, Irmãos Existenciais Inomináveis. Aspas e indagações cessam no intuir mutavelmente silencioso que destina a entidade humana, esta sobrenaturalmente detentora de ocultos sentidos racionais, ao percorrer dinamicamente sensato do Verdadeiro Compreender. “Sobrenaturalmente” não é um termo indicador de “capacidades místicas e ocultas elevadas”, sendo místico e oculto vistos nesta ótica como “superpoderes”. “Superpoderes” não existem, são fantasias humanas de fantásticas ilusões de mentes tolas imaginativas que cabem bem na ficção literária. A entidade humana, “entidade” que não é fantasia espiritual, sendo “espiritual” aqui considerado como “existência etérea”, adquire mais do que “superpoderes” quando, elevando-se na Arte Do Intuir Transcendental Puro Inominável quando escolhe percorrer A Senda De Poder Inominável, quando busca conhecer o Verdadeiro Compreender através da Inominabilidade. Superser Inominável É Aquele Que É Verdadeiramente Compreensivo Com Relação À Sua Mutabilidade Que O Faz Terminantemente Verdadeiro Modificar-Se. Empreendimentos intelectivos transcendentais puros são disponíveis a todos os homens e mulheres dotados de boa racionalidade. Não há na boa racionalidade o conjunto debilitador de várias, variadas e invariáveis “razões” em conflito, uma multiplicidade dantesca de ilogicismos. Boa racionalidade é a vontade voraz de uma única Razão perspicaz na conduta desvendadora do que imprime-lhe o erro do dantesco. Boa racionalidade é a mutabilidade voraz de uma única Razão brilhantemente racional resgatando ao ente que verdadeiramente pensa a ciência da pureza do pensar intuitivamente ao invés de sentir exaustivamente. Boa racionalidade é a clareza voraz de uma única Razão que identifica em cada conceituação o maior identificável ponto de um erro e o maior identificável ponto de um acerto. Boa racionalidade é a profundeza voraz de uma única Razão permitindo-se dispor suas operacionalidades nas modulações mutacionistas do operar intuitivamente transcendental puro. Boa racionalidade é o racional puro voraz conscientemente de uma única Razão que busca as suas propriedades no ato mesmo de ser única. Boa racionalidade é a pureza prática voraz do Verdadeiro Racional Verdadeiro Compreender Do Ser Para O Inominável A Una Razão.

4 comentários:

Escorpiana Explosiva disse...

BOM TEXTO QUE NEM SEI O QUE ESCREVER,MAS PROMETO VOLTAR PARA COMENTAR.



UM ABRAÇO.

Papoila disse...

Ola, deixo-lhe o aroma da flor de laranjeira no ar e o canto do Uirapuru para que continue a sua missao inspiradora e dignificante. Parabens plo ser e plo sentir. Voltarei, bjinho

Inominável Ser disse...

Inomináveis Saudações, Escorpiana Explosiva.

Obrigado pela visita, deixe sempre a vossa ferroada e aprecie os meus escritos inomináveis.

Saudações Inomináveis, Escorpiana Explosiva.

Inominável Ser disse...

Inomináveis Saudações, Papoila.

O aroma de vossa bela flor foi por mim sentido e inominavelmente permanece em mim como uma forma de que tu gostastes do que lestes aqui. Obrigado pela visita, volte sempre e acumule mais aromas, mais fortes aromas, mais deliciosos aromas, agradáveis aromas, neste espaço inominável deste Inominável Ser.

Saudações Inomináveis, Papoila.