sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Da Inominabilidade - Parte IX


- A Una Razão é a legalidade racional da ação e da reação do Espírito que por naturais complexidades inerentes a si mesmo deflagra a revolução racional que possui como conseqüência todo Incondicionamento. Incondicionada, a mente que apoia-se na Transcendentalidade Da Unicidade Transcendental Pura Inominável é a manipuladora de todas as Mutações Formadoras De Todo Verdadeiro Objeto Encontrável Nos Aspectos Objetivos Da Realidade Inominável, na qual incorpora-se como Incondicionadora. Mente na Unicidade é mente que capta tudo aquilo que a mente comum acostuma-se apenas a pensar em questões de fragmentações subjetivas de objetos objetivizados, que podem estar mentindo no que em aparência objetiva aparentam, renegando como inútil e desnecessário O Verdadeiro Conhecer Objetivo Do Objetivismo Fenomênico. Das Ciências Naturais Humanas, das Ciências Naturais Superiores, Ciências do Espírito atento ao mover de todos os aspectos perceptíveis da Realidade, a Una Razão é a que destaca-se pela sua transparente familiaridade com as mais puras regras lógicas de pensamentos transcendentalmente coordenados. A Una Razão é uma Ciência Da Inominabilidade porque em si mesma, sistematicamente, é passível de campos vastos de estudos, observações e classificações a partir dos graus incondicionados dos fenômenos que lhe são apresentados ordenadamente. Da natureza até ilógica e desordenada de alguns fenômenos incondicionadamente observáveis a Una Razão determina o todo que possa ser utilizável com absoluta concretitude douta de ensinante mutabilidade. Antes do continuar desta explicação do que em si e para o ente pensante essa Faculdade Transcendental Pura Inominável é, este Filósofo Inominável deve expor as conclusões de uma análise das diferenças entre as inteligências e as Inteligências, em si mesmas, presentes na Civilização Terrestre. Este Filósofo Inominável não pretende efetivar uma dogmatização de seus conceitos após tanto falar do incondicionamento de tudo o que limita, meus Irmãos Existenciais Inomináveis. Para este Filósofo Inominável, Incondicionar-se de todas as limitações acidentais do Espírito e da Carne é uma obra fatigante, mas inspiradora de forças elevantes que erguem Espírito e Carne das agruras proporcionadas pelos abismos das intelecções. E é de um abismo intelectivo condicionado por uma racionalidade condicionada por influências educativas condicionantes que processou-se o delinear de dois princípios condicionadores de intelecções as mais sublimes: o da racionalidade inicial de iniciações intelectivas e o da racionalidade parcial de parciais intelecções. Os dois princípios diluem-se nas mentes humanas, mentes que possuem a Una Razão possibilitadora de complexos e simples movimentos intelectivos. Em um ser humano convivem a típica racionalidade dos “eruditos” dogmáticos, dogmatizadores e dogmatizantes que elaboram teorias afirmativas das “verdades” oriundas de seu Espírito condicionado pelo terror irracionalizante da bestial palavra “dogma”; e a racionalidade das mais limitadas, limitadoras e limitantes qualidades intelectivas que cegamente induzem às crenças nos “dogmas” interpretativos das “verdades” condicionantes advindas da objetividade. Os conflitos adquirem A Marcha Existencial Do Imbecilismo No Seio Da Humanidade, pois a racionalidade inicial imbeciliza nos ramos da estupidez intelectual que se afirma máxima e a racionalidade parcial imbeciliza nos ramos da intelectualidade estúpida que se afirma nula em todas as suas erraticidades formais.

Nenhum comentário: