domingo, janeiro 21, 2007

A Das Borboletas Altas


- Entre todas as histórias humanas, mesmo nas dolorosas, mesmo nas violentas, mesmo nas destrutivas, mesmo nas inférteis, Há Sempre Um Vôo. O Vôo pode ser para O Alto Firmamento ou para O Mais Baixo Firmamento. Mas, isso significa que os humanos podem ser vistos como propensos a serem sempre Equilibrados Entre Ascender E Cair Como Se Incapazes Apenas De Ascender Ou Cair? Creio na Capacidade Una Da Ascensão Humana, Pai Da Terra, e não na disparidade crida por muitos Anjos Caídos acerca da Dualidade Humana Existencial. Eu, Sa My Na, Anjo Elevado Dos Coroados Vôos Dos Espíritos Da Deusa Natureza, creio na Redenção Da Humanidade, uma Redenção Verdadeira, uma Redenção Escrita Nos Livros Eternos Da Existencialidade Eterna Da Criação. Borboletas Altas Reinam Nas Mansões Das Mudanças Humanas E Mesmo Os Cânticos De Lun zyn Bel Não Podem Apagar Os Cânticos De Lun Kin Fer. Coroada Fui, como muitos Anjos Elevados Da Coroa De Metatron, com As Chaves Dos Vôos Das Expansões E Libertações. Nós, Os Dos Coroados Vôos, Os Das Borboletas Altas, Amparamos O Choro De Gaia quando florestas são queimadas, animais são caçados e massacrados inutilmente, quando corporações industriais poluem o meio-ambiente, quando Ela Se Revolta e, como um Chamado para que os humanos Lembrem-Se Dela, ocasiona catástrofes. Revolta É Nome Desconhecido Para Gaia, Pai Da Terra, e aqui, no Útero Dela, Peço A Ela Perdão Por Este Erro... Senhora Gaia, Tu Choras Porque Os Vôos Da Humanidade Não Carregam Esta Mais Para As Vossas Sendas De Vôos Verdadeiros... Também nós, Anjos Elevados Coroados, não somos mais Lembrados... Não o somos, porém, pelo Criador De Todas As Sendas Dos Vôos Altos, Somos Borboletas Que Mesmo Esquecidas Por Aqueles Que Um Dia Foram-Lhes Admiradores Continuam A Expandirem E Libetarem Os Verdadeiros Sentidos E Os Verdadeiros Sentimentos. Meus Irmãos Coroados Em Vôos abandonaram as Suas Esperanças com relação à Humanidade, Pai Da Terra. Sou Borboleta Eterna Solitária a crer na Redenção Da Humanidade... Meus Vôos nesta Crença Elevada são solitários... A Solidão De Crer Na Redenção Da Humanidade Quase Abate-Me Em Plenos Vôos... Mesmo assim, Pai Da Terra, Pela Presença Do Meu Mestre Metatron Em Mim Continuo A Voar Com As Borboletas Altas Em Redor Dos Humanos Que Esqueceram-Se Dos Vôos Que Podem Retirá-Los Do Solo Inexistencial De Seus Sofrimentos! A Presença De Metatron, Pai Da Terra, É A Porta Por Onde As Borboletas Altas Me Conduzem Nos Vôos Entre As Quedas Humanas! Amo os seres humanos, Pai Da Terra, amo-os! Sei que sozinha estou a Voar Neste Amor! Sei que sozinha, entre Os Coroados Em Vôo, estou a crer no Poder Redentor Da Humanidade! Sei, Pai Da Terra, Sei E Continuar A Voar Assim Como Quem Dá À Luz A Infinitas Borboletas Altas A Cada Firmamento Percorrido!

2 comentários:

Lou Albergaria disse...

as asas nos fazem alçar lindos vôos ou nos paralisam também quando se tornam um fardo ou algo que ainda não compreendemos e por isso não sabemos ainda como se faz.
Viver é um pouco assim. Todas as possibilidades se abrem, mas e agora, José? Por onde começar, o que preciso acabar em mim para renascer sem dor? O casulo é abrigo, bem como escudo. Construímos casulos imaginários como se fossem labirintos e nos perdemos, descolamo-nos de nós mesmos e nos partimos em múltiplos fragmentos. Acaba-se a identidade, mas sombram as asas e a partir delas com muita fé quem sabe nos faremos inteiros algum dia...

Belo texto! Beijos!

Inominável Ser disse...

Perdemos asas, ganhamos noivas asas e perdemos novamente... A Eternidade e sua busca por Ela é assim, uma montanha de perdas em um monte permeados de angustiantes vales tenebrosos...

Mas, devemos desistir de voar?