terça-feira, dezembro 26, 2006

A Resposta De Alynne - Parte X


- O Nada forma o nosso Alvorecer Verdadeiro, somos todos Crianças Do Nada a brincarmos com as Sementes De Um Todo. Que Todo? O Todo Possível De Nossos Erros Eternos? O Todo Impossível De Nossos Acertos Eternos? Nas Veias Reais Do Grande Coração Das Coisas Tanto Os Seres Elevados Quanto Os Seres Caídos E Os Seres Em Evolução Estão Imersos No Nada De Si Mesmos E No Nada Que É A Criação. De nada adianta o apego aos princípios menores das principais humanas cadeias de princípios menores humanos. Sei de tal Lei Oculta porque o ser uma dos humanos ensina-me isto. De nada adianta o apego aos ditames de fantasiosos princípios maiores humanos, A Humanidade Toda Não Possui Princípios Maiores. De nada adianta o apego dos Seres Superiores aos Seus Princípios Superiores, as prolongações de tais apegos nada ensinam acerca do Princípio Desconhecido Que A Tudo Concede O Poder De Evoluir Ao Ritmo Das Melódicas Formas Das Coisas Moladas E A Serem Moldadas E A Estarem Sendo Moldadas. Podeis ser Filhos de Kain, Loucos Anjos Caídos, mas vosso apego a Ele é Apego De Criança Caída A Um Dos Princípios Da Criação Que Nada São E Nada Fazem E Nada Geram. Kain É Nada. Habel É Nada. Todos Os Princípios Da Criação São Nada Diante Da Mutabilidade De Todas As Coisas Que É Tudo. Como Mutáveis Crianças, Mutáveis Ciclistas, Mutáveis Bandoleiros, Enfim, Da Estrada Existencial, Todos Nós Fora De Nosso Pai Em Sopro Somos Fagulhas Do Nada No Nada A Navegar Em Tudo No Grande Mar Cósmico. O Grande Enigma Jamais Saberemos, Mesmo Estando Ao Nível Dos Menores Vermes E Mesmo Sendo Um Pisoteador Dos Menores Vermes. O Enigma, O Grande Enigma É Ele, Nosso Pai Em Sopro Revelado Em Todo Ato. Todo Ato dito como bom. Todo Ato dito como mau. Todo Ato de nós todos aqui no Grande Mar Material, nós, Crianças, Ciclistas, Bandoleiros, nada Enigmáticos desconhecendo O Enigmático Pai De Todas As Coisas.

2 comentários:

Clarissa disse...

«somos todos Crianças Do Nada a brincarmos com as Sementes De Um Todo»...
Este excerto do seu texto é verairamente magnífico e confesso que me envolveu de tal forma que ainda não me consegui abstrair dele para uma atenta leitura do resto do texto. Fiquei presa nestas palavras e no eco que elas tiveram em mim, como se fossem o início de um texto que se quer escrever em mim... ou por mim...
De uma magnífica beleza e verdade vou ouvi-las um pouco mais... depois volto...
Um abraço

Inominável Ser disse...

Inomináveis Saudações, Clarissa.

Bem-vinda, Clarissa a este espaço de pensamentos e venha quando quiser.

Tu te atentastes a esta parte do post e isso significa que tuas reflexões remetem às observações existencialistas que a todos os seres humanos são intrínsecas e inegáveis.

É como dar um salto em direção aos Grandes Mares...

Mares Do Todo?

Que Todo Se Tudo É O Nada?

Saudações Inomináveis, Clarissa.