segunda-feira, dezembro 11, 2006

A Resposta De Alynne - Parte I


- As múltiplas faces dos seres humanos possuem o ardor das baixas tempestades, eu o sei pois sou uma humana, uma humana falha, uma humana pequena. As múltiplas faces dos seres humanos possuem o essencial elemento das falhas que dependem deles mesmos se serão eternas ou efêmeras, eu, como humana a falhar, como humana a ser efêmera nas coisas importantes, como humana a ser eterna nas coisas supérfluas, sei que há ocasiões nas quais a irracionalidade demarca os passos humanos, os atos humanos, os pensamentos humanos. Os seres humanos não caminham assim para uma Perfeição Absoluta e nem para uma Perfeição Relativa. Os seres humanos não se tornam peças de um Caminho que seja assim tão fácil de ser seguido, pois tanto a Absolutividade quanto a Relatividade são facilidades que às mentes, corpos, almas e espíritos humanos torna-se teorica e praticamente inteligível e atraente como seguimento potente e possante. Ber, Awan, Zaah, não se poder ser Absoluto ou Relativo, pois tudo no Elementar Correr Das Eras Da Criação É Mutável E Constante Na Mutabilidade Que Permite O Evoluir De Todos Os Seres Automanifestados E Moldados. Os Que Não Possuem Origens E Nem Fins, Como As Faces Do Nosso Pai Em Sopro e Os Princípios Automanifestados Do Alto, São Guiados Mutavelmente Em Seu Evoluir, Evoluir Pelas Eras Conhecidas E Desconhecidos Do Grande Tecido Da Criação. A Natureza Da Criação, A Mãe Mutável De Todas As Coisas, não procura Ser Absoluta, não procura ser Relativa. A Mãe, Face Feminina De Toda A Criação, É Mutável, É Como Fêmea Desconhecida Aos Olhos Menores Que Diante De Todos Os Olhos Maiores Demonstra O Quanto Nós, Seus Filhos, Tanto No Alto Como No Baixo, Somos Crianças Eternas No Eterno Jardim Eterno Das Coisas Mutáveis Da Criação. Violência, Luxúria e Bebedeira são Partes Das Chaves Mutáveis De Todas As Coisas, São Verdades Das Esferas Baixas Que Altamente Estão Engrandecidas Enquanto Não Nos Redescobrirmos, Nós Aqui Do Baixo, Como Crianças Eternas Nos Jardins Eternos Do Jardim Eterno Das Coisas Mutáveis Da Criação. Crianças vós três são, Ber, Awan e Zaah. Crianças eu e Asin somos. Crianças são todos os humanos, do Baixo e do Alto. Crianças são todos os Anjos Caídos. Crianças são todos os Anjos Elevados. Crianças são todos os Deuses. Crianças são todos os Seres De Todos Os Caminhos Das Dimensões E Das Realidades. Crianças são os que se julgam tão sábios diante da Mutabilidade Que Os Demonstra Que A Sabedoria Não É Permanência Em Eterna Garantia De Paz E De Felicidade. O Sábio, Aquele Sábio De Infinitas Mutáveis Faces, Revelado Como A Mãe, Revelado Como O Pai, Nos Diz Sempre A Cada Passo Nosso Que Somos Apenas Crianças. Toda a vossa Missa, Loucos Anjos Caídos, foi uma Missa De Crianças Que Jamais Amadurecerão Na Morada Da Criação Em Mutável Expansão. Eu me Revelo Criança e as minhas palavras, nesta minha Resposta a vós três, são Palavras De Criança Que Não É Absoluta Ou Relativa Em Suas Brincadeiras De Falsa Sábia. Vós três possuem uma Sabedoria Quedante, mas Sabedoria De Crianças. Eu possuo nenhuma, sou Mais Criança do que vós. E, ao Colo Abençoado Da Mãe Sempre A Modificar-Se, não tenho ilusões quanto ao que seja verdadeiramente a Humanidade Do Baixo e a Humanidade Terrestre. Sou humana e como humana digo-lhes que a Humanidade pode ter tudo o que vós Revelastes. Sou humana, mas Vejo que erraram ao atribuirem Absolutividade e Relatividade ao que Revelam. Tudo Mutável na Violência, na Luxúria, na Bebedeira. Tudo Mutável, em prol da Evolução Humana. Tudo Mutável, Crianças Caídas.

Nenhum comentário: