sábado, novembro 04, 2006

Uma Das Humanas Lâminas Dolorosas


Um punhal erguido contra o corpo de uma inominável mulher trinta vezes. Um inominável assassino, a cada punhalada, fazendo-se mais um a lançar-se mais abaixo no Baixo. Eu não posso interferir em tal ato. Anjos Elevados Do Karma, milhares deles, envolvem o assassino e a vítima, o ato deve ser realizado. O sangue da inominável vítima mancha toda a roupa do assassino e toda a mata de um inominável campo. Tal crime ocorre em todos os horizontes humanos, horizontes estes dominados pela Violência, Violência esta A Mãe Da Civilização Humana Contemporânea. Todos os crimes possuem um sentido e uma explicação. Este crime que nesta inominável noite estou a assistir possui um sentido e uma explicação. Assisti a inúmeros crimes como esse e a piores. Nunca me envolvi, há Leis Altas que permitem tais crimes. Tais crimes nunca são cometidos em vão. Tais crimes nunca foram cometidos em vão. Tais crimes nunca serão cometidos em vão. Razão há para o punhal na mão do inominável assassino dilacerar a carne de sua inominável vítima. Razão há para a inominável vítima apunhalada estar tendo a sua carne pelo punhal do inominável assassino dilacerada.

Amanhã tal crime chocará. Causará protestos. Causará revolta. Causará ódio. Se iniciará uma caçada ao inominável assassino, um homem refinado, culto, do que se denomina a alta sociedade deste Planeta Terra. A inominável mulher é a sua vigésima quinta vítima e não será a última. Incentivando-o nas punhaladas, como em todos os crimes anteriores e os que cometerá vejo um Anjo Caído Da Violência, Ber Ho Ju Ol Fa. Ber movimenta o braço esquerdo do inominável assassino, gargalhando. Os Anjos Elevados Do Karma nada podem fazer. Eu, aqui longe nas Sombras Do Éter, nada posso fazer. As punhaladas sucedem-se e Ber gargalha mais e mais alto. Anjos Caídos não são Demônios. Porém, alguns dos meus Irmãos Caídos merecem o humano epíteto de Demônios. Ber, sentindo baixas alegrias por inspirar o inominável assassino neste crime, nos crimes anteriores que o inominável assassino cometeu e nos crimes posteriores que o inominável assassino cometerá, merece o humano epíteto de Demônio no mais alto sombrio sentido deste.

O inominável assassino desfere a trigésima punhalada, ergue-se e limpa com um lenço negro o seu punhal. Os Anjos Elevados Do Karma amparam ao espírito da inominável mulher assassinada, espírito perdido, espírito choroso, espírito dolorido. Ber percebe que eu estou a observá-lo, sorri, passa pelos Anjos Elevados Do Karma e do espírito da inominável mulher assassinada, chegando até mim, a 246 m distante do local do crime, que como todos os crimes, possui um sentido. O inominável assassino continua a limpar o seu punhal. Ber está a olhar para ele. Ber está a sorrir.

- Meus progressos com esse imbecil foram maravilhosamente sangrentos desde que notei-lhe a tendência para o assassinato na Alma Eterna enquanto ele era uma criança. Moldei aquele psicopata, Asin, por divertimento, adoro ver aos humanos se destruirem, adoro ver o sangue humano ser derramado.
- A Beleza De Tua Vestimenta Celeste, Ber, já foi uma das Maravilhas Altas e agora tu te afundas mais no Baixo assumindo obras de sangue nefastas.
- "Obras de sangue nefastas", Asin, são obras humanas. Os Anjos Caídos Da Violência apenas dão o toque inspirativo sangrento a todos os assassinos deste mundo. O Karma das vítimas de todos os assassinos a isso leva-as, mas em outros casos, em casos especiais, admito que nós interferimos nos Karmas daqueles que achamos que devem ser aniquilados na carne para o nosso divertimento. Tu estás errado em crer que tudo provém do que a Humanidade supersticiosa e estúpida, imbecil e ignorante, denomina de Karma. Karma é ignorante estupidez dos ignorantes estúpidos do Espiritismo, ignorantes que como alguém muito sábio em sábio dia escreveu "evocam os mortos, mas não podem ressuscitá-los". Karma é crença oriental ultrapassada nas Esferas Da Violência a dominar este mundo e eu te digo, Asin, que a Humanidade nada pode fazer contra a ação Dela. Todos podem ser vítimas como aquela mulher CULPADA, tu sabes que ela foi um dos torturadores mais cruéis da Santa Inquisição. Todos, até os que foram "bons", "doces" e "caridosos" em vidas passadas, podem ser vítimas. E todos, dependendo de como forem espiritualmente, podem resistir ao Chamado Da Violência ou entregarem-se a Ele, como o meu querido imbecil assassino entregou-se.
- Há opositores contra ti e os outros Anjos Caídos Da Violência, Ber.
- Tu serás um deles, Asin?
- Não.
- Não? Tu não queres Re...
- Não quero Retornar Ao Alto, mas sei que apenas perderia mais do meu Tempo Eterno entrando em guerra convosco e os demais de tua Senda. Os Anjos Elevados e outros Anjos Caídos a caminharem pelos inomináveis e nomináveis horizontes deste mundo são-lhes opositores, mas estão errados. Condeno A Guerra Oculta Entre Os Anjos Elevados E Caídos, a ocorrer em todas as Esferas, pois é conflito que encaminhará a todos vós até O Nada Verdadeiro. Não vou me opor a vós e aos de tua Senda, Ber. Não vou participar de uma guerra contra vossos atos. Estou preso a este planeta e é neste planeta que eu auxiliarei aos que resistem e aos que se entregam às inspirações dos Anjos Caídos Da Violência e dos demais Princípios Causadores Das Quedas Humanas.
- Tu és um inimigo meu, Asin. Awan falou-me de vossa soberba, mas vejo em ti também arrogância e falta de humildade para quem se encarregou agora de auxiliar aos "sofredores humanos".
- Tu és um inimigo de si próprio, Ber. Awan é uma inimiga dela própria. Vós dois vêem em mim o que infinitamente lhes sobra.

Ber afasta-se e, gargalhando, caminha em direção ao inominável assassino, ainda a limpar seu punhal.

O espírito da inominável mulher assassinada é entregue ao Anjo Mensageiro Da Morte Are U Fas pelos Anjos Elevados Do Karma.

O espírito da inominável mulher assasinada é encoberto pelo Manto Das Consolações a fim de ser encaminhada para A Transição Dos Assassinados Para O Éter.

Ber apenas fica a gargalhar e a fitar aquele a quem inspira os assassinatos.

Olho para o inominável assassino e percebo que Ber não está correto.

A inspiração não advém dele para o seu Inspirado.

O Inspirado inominável assassino é quem o inspira a auxiliá-lo.

Inspira em pensamentos sanguinários.

Inspira em sentimentos sanguinários.

Inspira através de seu Espírito Eterno sanguinário.

Inspira através de sua Alma Eterna sanguinária.

Humanos como este inominável assassino, infelizmente, são vários.

Eles são uma minoria neste Agora.

Serão maioria em algum Amanhã caso a Humanidade não se desvencilhe do Abraço Da Violência.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, vim retribuir a visita e agradecer o comentário...estive a olhar suas páginas, você escreve bastante e bem, somos parecidos sim na nossa fome por arte, vida, palavras...Parabéns, beijo grande, Carolina